CRÍTICA – O Assassino (2017, Michael Cuesta)

O Assassino é uma adaptação baseada no personagem Mitch Rapp, criado por Vince Flynn para sua série de livros. O filme tem direção de Michael Cuesta e é estrelado por Dylan Obrien como Mitch Rapp, Michael Keaton, Sanaa Lathan e Taylor Kitsch. Rapp é um rapaz que sofre uma grande perda e se torna obcecado em destruir a organização terrorista responsável por tal ataque, se tornando assim um agente contra-terrorismo da CIA.

Imagem relacionada

Durante o primeiro ato, o filme constrói de forma satisfatória a trajetória de Rapp lidando com seu luto e treinando para combater terroristas por conta própria. A cena inicial na praia apresenta um trabalho interessante de câmera, que conduz de forma caótica através do ocorrido e provoca tensão. A partir do recrutamento de Rapp pela CIA, o filme se apresenta com seriedade excessiva, com diálogos clichês, mal trabalhados e mal interpretados. Existe uma falha de roteiro latente, uma necessidade de expor frases de efeito e realizar o “beabá” de filmes de ação com temática antiterrorismo, buscando construiu a figura do protagonista como um herói quebrado, focado e determinado com dificuldades para obedecer ordens e trabalhar em grupo, Não existe qualquer novidade e o que se propõe a fazer, executa da forma mais óbvia e caricata possível.

As atuações são inconstantes. A direção de atores é falha, e em diversos momentos os protagonistas parecem não saber muito bem quais as motivações de seus personagens. Obrien apresenta boa fisicalidade mas deixa a desejar no carisma esperado de um herói de ação. Michael Keaton é divertido de assistir mas muito prejudicado pela cafonice do roteiro. Taylor Kitsch é o mais caricato do trio, muito aquém de outros trabalhos do ator, e as duas mulheres de maior presença do elenco, Sanaa Lathan e Shiva Negar são mais uma vez mal utilizadas, servindo de apoio para os objetivos dos protagonistas.

O Assassino apresenta potencial mas é sabotado por um roteiro fraco e recheado de clichês. O terceiro ato apresenta tamanhas conveniências para o desfecho final que se torna risível. Chato e genérico, O Assassino não vale a ida ao cinema.

Avaliação: Péssimo

Se você, ainda assim, encontrar coragem para ir assistir O Assassino, confira o trailer antes:

O Assassino chega aos cinemas brasileiros nesta quinta (21). Deixe seu comentário e para novidades do cinema, lembre-se de nos acompanhar nas principais redes sócias:

Facebook – Twitter – Instagram – Pinterest

the author

Graduada em Antropologia pela Universidade de Brasília e mestra em Cinema e TV pela University of East Anglia, Reino Unido. Atualmente trabalha com produção, filmagem e edição de vídeos. Ama a Viola Davis e batatas de sal e vinagre.