CRÍTICA – Thor: O Carniceiro dos Deuses (2012, Marvel Comics)

Thor, o Deus do Trovão enfrenta o visceral Carniceiro dos Deuses!

Assim como o subtítulo deste texto, não se pode classificar o encadernado de capa dura da Panini como menos que visceral, em algumas páginas, quase que literalmente. Pela primeira vez no comando do Deus do Trovão e estreando a fase do Filho de Odin na nova Marvel, Jason Aaron que esteve à frente de Southern Bastards, Wolverine e os X-Men conta uma história completamente diferente do que vemos normalmente nas histórias da Marvel.

Temos em mãos uma história adulta, que faz uma importante crítica ao sistema de divindades; sim, pois nesta história Aaron conta como os deuses coexistem e até como se digladiam, outro ponto que deixa tudo muito mais claro quanto aos deuses da Casa das Ideias, é a explicação de que quando alguém reza a um deus, este ouve as preces de quem a faz e decide ou não atender, mais ou menos nos moldes da realidade.

Não podemos esperar mais que uma excelente história quando temos em questão três Deuses do Trovão, sim TRÊS filhos de Odin, pois a história possui três linhas do tempo e se passa no futuro, com um Odinson amargurado pelos erros do passado e último morador de Asgard, no presente com um Deus do Trovão pertencente aos Vingadores, portador do Mjönir e no passado, com um Thor arrogante, egoísta e indigno, que só quer saber de transar com o máximo de mulheres possível e beber o máximo de cerveja que conseguir, não, não estamos falando dos brasileiros, ainda é Thor.

Agora que sabemos que temos três Deuses do Trovão, falemos do vilão, Gorr, um ser atormentado pela ausência dos deuses em sua vida, cansado de esperar e sofrer por promessas dos deuses que fazem nada mais a não ser ignorar. Um ser que de posse de uma grande arma decide com suas próprias mãos, assassinar todos os deuses, tornando-se assim o Carniceiro dos Deuses.

Imagem relacionada

A inebriante história de Aaron conta com a obra de arte que são os desenhos; os traços e os detalhes do desenhista Esad Ribic, e consequentemente a dupla conseguiu criar um novo clássico para o Deus do Trovão.

Imagem relacionada

 

Avaliação: Ótimo

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses é no mínimo intenso e visceral.

Aqui no Brasil a Panini lançou o arco completo em duas edições, Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses e Thor, O Deus do Trovão: Bomba Divina, que assim como o nome, é uma bomba de emoções. Você também pode comprar as edições separadamente em cinco hqs, são elas:

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses – Um mundo sem deuses;

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses – Sangue nas nuvens;

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses – A câmara dos perdidos;

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses – O último deus em Asgard;

Thor, O Deus do Trovão: O Carniceiro dos Deuses – Sonho de uma era sem deuses.

E aí, animado para desbravar esse clássico? Deixe-nos seus comentários e lembre-se de nos acompanhar nas principais redes sociais para mais novidades sobre seus quadrinhos favoritos!

Facebook – Twitter – Pinterest – Instagram

the author

Sou Otaku, Nerd, Gamer, mestre Pokemon, Pirata chapéu de palha, Saiyajin e já fui até Ninja de Konoha.