The Witcher: Conheça Saesenthessis, a dragão híbrida

Saesenthessis, comumente conhecida entre o povo como Saskia, a Matadora de Dragões, ou a Virgem de Aedirn, era um dragão. Era a filha do famoso dragão dourado Villentretenmerth e a dragão verde Myrgtabrakke. Ela dizia gostar de se alimentar de anões, e os preferia. Seu nascimento remonta da famosa Caçada pelo Dragão, evento importante, que definiu seu futuro para sempre.

Ela foi criada por Villentretenmerth, que criou sua filhote e a ensinou tudo que ele sabe, incluindo sua visão sobre várias coisas, como a igualidade de vida, justiça e honra. Foi dada a ela o nome de Saesenthessis e ela aceitou a visão de seu pai como a sua. Por ser fruto de uma mistura de espécies, ela herdou de seu pai a habilidade de polimorfia, apesar de sua habilidade ser bem limitada, diferente de seu pai – ela era capaz de tomar apenas uma forma, a de uma bela humana.

Entretanto, sua “infância” não durou muito, já que seu pai a deixou seguir seu próprio caminho – como é comum entre dragões. Então a jovem Saesenthessis começou a viajar pelo mundo sozinha.

Durante as suas viagens, ela conheceu o comandante da unidade Scoia’tael, um elfo chamado Iorveth. Pouco se sabe sobre o encontro, mas eles passaram a se respeitar. Foi Iorveth que a deu a ideia de usar um pseudônimo então ela tomou forma humana e adotou o nome de Saskia. Inventaram toda a sua história – ela era de Aedirn e ela lutou e matou um dragão, assim ganhando o apelido de Saskia, a Matadora de Dragões. Ela tinha participação ativa no reino de Aedirn, onde ela atraiu povos de muitas raças e lugares. Seus ideais de liberdade e igualidade atraíram os oprimidos de longe, que logo começaram a chamá-la de A Virgem de Aedirn.

Ela eventualmente se mudou para a cidade de Vergen no Vale de Pontar. Onde ela criou uma cidade única onde anões, homens e elfos moraram juntos como iguais. Apesar das coisas parecerem bem inicialmente, um evento trágico ocorreu, e o Rei Demavend III, lorde de Aedirn, foi assassinado. Enquanto o filho do rei morto, Príncipe Stennis foi colocado como herdeiro de Aedirn, Henselt de Kaedwen, decidiu se aproveitar da situação de desordem e enviou forças de invasão para Vale de Pontar com a intenção de anexá-la à Aedirn. O príncipe e seus nobres juntaram forças com a Matadora de Dragões e foi até a cidade de Vergen.

Perto dessa época, um diferente conflito ocorreu. Em Temeria, o Rei Foltest realizou um cerco no Castelo La Valette. Saskia soube que o jovem lorde Aryan La Valette estava em perigo e assim ela partiu de Vergen e voou para o campo de batalha para ajudá-lo. Ela atacou as forças invasoras do rei, mas depois de um tempo ela foi levada para longe, mas não por muito tempo. Ela retornou e atacou com ira, quase queimando vivo o próprio rei. Ele foi salvo no último momento pelo witcher Geralt de Rivia, que enfiou sua espada de prata em seu estômago. Ela foi ferida e saiu do campo de batalha à caminho de Vergen.

Não muito depois, ela foi convidada pelo Príncipe Stennis para negociar com as forças invasoras de Henselt. Como esperado, as negociações não correram bem, e terminaram com um duelo. O duelo entretanto foi interrompido quando o Rei matou o monge chamado Olcan e seu sangue ativou uma maldição dormente. Durante esse momento, uma dupla entrou no campo de batalha – o witcher Geralt de Rivia e o comandante dos Scoia’tael,  Iorveth. Eles rapidamente foram ajudar e lutaram contra os espectros e alguns afogadores, mas enquanto eles matavam um espectro, logo outro aparecia. Felizmente, eles receberam ajuda de uma coruja mágica que os defendeu e guiou o grupo em segurança através da névoa dos espectros até a dragão, o príncipe e os dois guerreiros foram em segurança até a cidade de Vergen onde foi revelado que a coruja era ninguém menos que outra famosa feiticeira, Philippa Eilhart.

Logo foi decidido que um conselho de guerra devia ser reunido afim de pôr fim à maldição e à unidade Scoia’tael, guiada por Iorverth. Apesar dos membros do conselho não estarem felizes em ver Iorveth, que eles consideravam apenas com um mero bandido e assassino, até que chegaram a um acordo. Infelizmente, quando Saskia levantou seu cálice para um brinde cerimonial, ela caiu inconsciente – envenenada. Philippa descobriu que o veneno era Traumador, a dor-mágica. Um veneno bem perigoso, e a vida de Saskia ficou por um fio. A feiticeira cuidou e preparou uma lista de vários ingredientes que poderiam curar A Virgem de Aedirn. Geralt começou sua missão de curar a Matadora de Dragões. Enquanto isso, Iorveth decidiu deixar Vergen e encontrar mais elfos para se unirem a sua causa.

Como sempre, Geralt conseguiu completar a missão e adquiriu todos os itens necessários para a cura, incluindo uma pétala da rosa da lembrança; Philipa usou todos os itens e conseguiu curar Saskia em tempo, ela estava fraca, e precisou descansar. Quase no mesmo tempo, o witcher suspendeu a maldição no campo de batalha. Com a maldição da neblina suspensa, nada mais estava no caminho para a invasão e Henselt decidiu não perder tempo.

Quando Geralt acordou de um sono profundo, provocado pelo processo de suspensão da maldição, Vergen já estava preparado para a batalha. Saskia disse ao witcher o que ele deveria fazer e onde ele poderia ajudar, e como sempre, o fez. As forças de defesa lutaram bravamente no portão principal e com a ajuda do witcher, mataram muitos invasores; mas estavam em menor número. Essa é a razão de terem decidido usar um olho em chamas para massacrar a primeira onde de ataque, então eles recuaram para o segundo portão. Os invasores reagruparam rapidamente e eram liderados pelo feiticeiro Dethmold, rapidamente avançaram para o portão e além dele.

Aqui, Saskia lutou lado a lado com o witcher e eles repeliram uma onda após a outra. Entretanto, Saskia recebeu a informação, que o grupo de soldados Kaedweni e Dethmold encontraram seu caminho para as minas e queriam usá-los para atacar Vergen por trás. Apesar de Saskia decidir ir com Geralt pelas minas, eles são emboscados por Dethmold e seus homens. A dupla por pouco não foi derrotada. Saskia não tinha outra escolha, ela então usou sua forma verdadeira. A dragão rapidamente derrotou todos os soldados – menos o feiticeiro, que fugiu por um portal – e ajudou o witcher. Ela contou a Geralt a verdade sobre sua origem, e a razão de precisarem inventar toda a história da Matadora de Dragões. Ela também confirmou que era de fato ela, que lutou contra La Valette no castelo e que foi ferida pela espada do witcher. Geralt decidiu manter ela em segredo e eles retornaram a superfície e se juntaram a batalha. Com o retorno de Iorveth e seus arqueiros, a batalha foi vencida e os invasores repelidos. O rei foi trazido diante da Matadora de Dragões e a feiticeira Philippa para ouvir os termos da rendição.

Saskia declarou Vale do Pontar como um reino independente e como sua rainha, e Philippa, como sua conselheira. Henselt concordou que ele consideraria a independência e Saskia seria a sua governante e jurou que não invadiria novamente. Depois que Saskia pediu a execução do feiticeiro DethmoldHenselt não tinha escolha, a não ser concordar com os termos, e o mago foi decapitado. Depois da execução, Saskia liberou o rei, e junto de Philippa partiram para o Lago Muinne onde acontecia uma grande reunião dos reinos do norte.

A execução de Dethmold entretanto não passou despercebido pelo povo de Saskia e especialmente Iorveth, que nunca pensou que ela seria capaz de pedir a morte de alguém. Iorveth acreditou que Saskia se comportou de forma estranha então ele o witcher decidiram procurar por alguma evidência na casa de Philippa. Eles encontraram uma receita do veneno Traumador, que não incluía a Rosa da Lembrança, e descobriu que adicionando uma pétala, Phillipa ligou por mágica a vontade de Saskia a sua própria. Em essência, Saskia era controlada por Philippa.

O nervoso Iorveth decidiu viajar até o Lago Muinne e confrontar a feiticeira. Como sempre, o witcher foi com ele.

Geralt chegou ao Lago Muinne acompanhado de Vernon Roche. Ele não descobriu a verdade sobre Philippa, nem encontrou a Matadora de Dragões.

Não até a reunião na qual estava ir por água abaixo. Depois de ser exposta, Philippa invocou Saskia em sua verdadeira forma. A dragão causou caos e rapidamente conseguiu resgatar sua aliada e voou com ela para longe. Elas foram seguidas pelo witcher Geralt, que eventualmente se pôs frente a frente com a dragão, e depois de uma longa luta, ele conseguiu montar nela. Saesenthessis tentou jogá-lo longe, sem sucesso. Geralt eventualmente conseguiu tirar a dragão dos céus, e com a sua queda, a dragão caiu sobre uma árvore e foi empalada por uma árvore quebrada. Apesar de ter sobrevivido, ela estava severamente machucada e já não era capaz de lutar. O witcher então se encontrou em um dilema: deixar a dragão sobreviver, ou pôr um fim em sua vida.

Após os eventos que ocorreram no Lago Muinne, Saskia retornou para Vergen e revelou ser um dragão. Como esperando, os habitantes de Vergen tiveram reações diversas a respeito de tal revelação. Muitos abandonaram a cidade e outros a observaram mais de perto.

Não completamente recuperada do feitiço de Philippa Eilhart, Saskia (ainda em forma de dragão) sem querer mata um grupo de anões durante a primeira expedição contra o Chelonodrake. Já pela manhã, ela já em forma humana, retorna para Vergen e promete diante de todos que nunca mais se transformará em um dragão.

Três semanas depois Saskia e Yarpen Zigrin conversa com Geralt sobre o Chelonodrake o convence a ajudá-los a derrotar o monstro. Cinco dias depois, Geralt, Eggar, Maervarienn e Yarpen criam um plano para matar o monstro.

Dois dias depois o grupo acompanhado por Barclay Els parte para a expedição final contra o Chelonodrake. Depois de derrotar o monstro, Saskia quebra sua promessa e se transforma em um dragão para levar um Barclay severamente ferido para os duendes médicos rapidamente, infelizmente, já era tarde demais, e ela decide deixar Vergen.

Algum tempo depois Saskia encontra Geralt em uma floresta e os dois conversam ao redor de uma fogueira. Por fim, ela decide retornar À Vergen para ajudar os habitantes da cidade a impedir a invasão das forças Nilfgaardianas. É sabido que ela não sai da cidade com vida.

Curtiu esse post? The Witcher possui um imenso mundo. Para saber mais, fique ligado na nossa série de post do universo de livros e games. Não deixe de ler também:

the author

Natural do Rio de Janeiro, agora, um candango do cerrado.
23 anos, de muita nerdice. Cinéfilo, viciado em séries e livros.