Início ANIMES CRÍTICA – Godzilla: Ponto Singular (1ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Godzilla: Ponto Singular (1ª temporada, 2021, Netflix)

Godzilla: Ponto Singular é o novo anime original da Netflix sobre o monstro japonês. O anime é do estúdio Bones e Orange e dirigido por Atsushi Takahashi.

SINOPSE

Godzilla Ponto Singular acompanha a pesquisadora Mei Kamino e o engenheiro Yun Arikawa, dois jovens gênios que encaram uma ameaça sem precedentes na Nigashio City de 2030.

Ambos ouvem a mesma música – uma música que os une e os leva a uma perigosa batalha contra uma força inimaginável. Um mistério deixado para trás por um pesquisador solitário, monstros aparecendo aqui e ali, um mundo tingido de vermelho. Para salvar a humanidade, os dois querem convocar Godzilla, o mais poderoso de todos os animais, e enviá-lo para a luta.

ANÁLISE

Nos últimos anos, o colossal Godzilla voltou a eclodir na cultura pop, em parte pelo MonsterVerse criado pelo estúdio Legendary nos cinemas, mas também pelo apelo popular que o kaiju tem entre os fãs. Sendo assim, é fácil entender o porquê outras produções buscam aproveitar a fama do monstro, ainda mais os animes japoneses.

Consequentemente, o novo anime da Netflix sobre o Godzilla não busca reinventar o monstro, apenas apresentar suas melhores características com um texto afiado. Sendo assim, o anime se sobressai em narrativa, mostrando que entende de termos físicos e matemáticos para explicar seu universo. Com personagens interessantes, Godzilla: Ponto Singular consegue criar um senso de perigo em sua trama de ação.

Em produções que tratam sobre monstros gigantes é muito fácil cair em estigmas, ou o monstro não aparece o suficiente ou a narrativa é fraca demais. O anime da Netflix consegue ficar no meio termo, pois é fato que Godzilla só irá aparecer mais para o meio do anime de 13 episódios. Contudo, até alcançar o monstro gigante, o anime é inteligente e esforçado.

CRÍTICA - Godzilla: Ponto Singular (1ª temporada, 2021, Netflix)

Ainda assim, alguns erros típicos das produções de anime da Netflix são visíveis. Quando finalmente Godzilla e outros kaijus aparecem em tela é notável a diferença entre o 3D e o 2D. Isso porque os monstros destoam do cenário e parecem não fazerem parte das cenas. A falta de detalhes também incomoda um pouco, uma vez que o mais interessante é perceber o quanto esses monstros são magníficos.

Mas, de fato, são aspectos que não atrapalham por completo a narrativa do anime. Visto que o tom de mistério, que mistura aventura e ação, dita praticamente todo o anime. Sendo assim, Godzilla: Ponto Singular serve exatamente para os fãs do monstro japonês que desejam ver algo de diferente nas histórias sobre esse ícone.

VEREDITO

Godzilla: Ponto Singular traz para o currículo do kaiju mais uma produção com bons momentos de ação. Com personagens consistentes e um roteiro que se apoia em bases científicas, é um bom anime para conhecer mais uma das aventuras de Godzilla fora dos mares.

3,0/5,0

Nossa nota

Assista ao trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorHBO Max: Desenhos animados para assistir no novo streaming da HBO
Próximo artigoCRÍTICA – Interrompemos a Programação (2021, Jakub Piatek)
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.