Início FILMES Crítica CRÍTICA – 14 montanhas, 8 mil metros e 7 meses (2021, Torquil...

CRÍTICA – 14 montanhas, 8 mil metros e 7 meses (2021, Torquil Jones)

CRÍTICA - 14 montanhas, 8 mil metros e 7 meses (2021, Torquil Jones)

O que você diria se alguém dissesse que iria subir as 14 montanhas com mais de 8 mil metros de altitude em 7 meses? Impossível, certo? Errado! 14 montanhas, 8 mil metros e 7 meses (14 Peaks: Nothing is Impossible, título original) é o mais novo documentário da Netflix e irá provar isso.

SINOPSE

Nimsdai “Nims” Purja, um destemido montanhista nepalês, embarca numa jornada aparentemente impossível: conquistar, em sete meses, todos os 14 picos de 8.000 metros do mundo.

ANÁLISE

Foto de Nims Purja no Evereste onde se vê centenas de pessoas sem preparação a tentar chegar ao cume da montanha. A fotografia foi capa de diversos jornais pelo mundo, incluindo o The New York Times.

Embora o montanhismo e as 14 grandes montanhas sejam as estrelas do documentário, a produção também tenta levar o espectador ao longo do “terreno acidentado” de ter que trilhar por acordos de patrocínio, relacionamentos pessoais, questões filosóficas sobre moralidade e até mesmo enfrentar a burocracia chinesa.

Ao longo da produção, Nims e seus companheiros xerpas, enfrentarão as imponentes 14 grandes montanhas, que são:

  1. Annapurna (8091m);
  2. Dhaulagiri (8167m);
  3. Kanchenjunga (8586m);
  4. Evereste (8848m);
  5. Lhotse (8516m);
  6. Makalu (8481m);
  7. Nanga Parbat (8126m);
  8. Gasherbrum I (8080m);
  9. Gasherbrum II (8036m);
  10. Broad Peak (8051m);
  11. K2 (8611m);
  12. Manaslu (8163m);
  13. Cho Oyu (8188m) e
  14. Shishapangma (8.027m).

De acordo com Nims ele queria enviar uma mensagem de esperança ao mundo realizando um projeto tão audacioso e que para muitos era considerado impossível. O montanhista comentou em entrevista, no ano passado, ao concluir o projeto:

Foi uma sensação incrível – e uma vitória para todos. Para todos que têm um sonho, para todos que querem ir além. Eu queria que meu desafio inspirasse as pessoas com o amor pelas grandes montanhas, mas, mais do que isso, quero que todos saibam que se você definir algo poderá alcançá-lo – não importa quem você seja e de onde venha.”

Ele completou o projeto em apenas 6 meses e 6 dias, enquanto muitos dos montanhistas levam uma vida toda para conseguir e muitos morrem no caminho; em paralelo, a conclusão do projeto de Nims Purja quebrou 6 recordes mundiais de montanhismo.

Para os puristas do esporte, o feito de Nims é controverso já que o atleta utilizou-se de oxigênio artificial em grandes altitudes, contou com helicóptero para logística e com xerpas para o transporte de equipamentos, mas estes mesmos puristas concordam que o feito como um todo é histórico e merece o reconhecimento devido.

VEREDITO

O documentário 14 montanhas, 8 mil metros e 7 meses é a forma que Nims e seus colegas escaladores xerpas encontraram para mostrar ao mundo que os nepaleses, merecem ser tão conhecidos e reverenciados quanto qualquer outro alpinista ocidental.

Fiel às suas palavras, ver Nims Purja sorrir diante da adversidade dá vontade de rever este documentário e ele promete que teremos novas aventuras ainda mais ousadas.

Nossa nota

4,5 / 5,0

Assista ao trailer legendado:

Se você já curtiu a produção e está na vibe do montanhismo, confira também:

CRÍTICA – Viagem ao Topo da Terra (2021, Patrick Imbert)

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorCRÍTICA – Imperdoável (2021, Nora Fingscheidt)
Próximo artigoThe Witcher: Ouça estes covers de Toss A Coin To Your Witcher!
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.