CRÍTICA – A 200 Metros (2021, Ameen Nayfeh)

    A 200 Metros (200 meters), filme escolhido pela Jordânia para concorrer a uma vaga no Oscar de 2021, está disponível nas plataformas digitais para compra e aluguel. Dirigido pelo palestino Ameen Nayfeh, o longa é um retrato sincero sobre momentos da vida do cineasta.

    A 200 Metros pode ser assistido na Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes/Apple Tv, Google Play e YouTube Filmes.

    SINOPSE

    A 200 Metros retrata a jornada de Mustafa (Ali Suliman), um pai que mora a 200 metros de distância de sua família. Ele e a esposa vivem separados pelo muro que divide Cisjordânia e Israel.

    Quando recebe uma ligação de que seu filho sofreu um acidente e está internado, Mustafa tenta atravessar a fronteira, mas é impedido. Inconformado com a situação e com a recusa dos oficiais israelenses, ele parte em uma odisseia de 200 quilômetros com o objetivo de reencontrar a sua família.

    ANÁLISE

    O cinema é uma porta para entendermos outras realidades e conhecermos mais sobre o mundo. É uma experiência que nos transporta para outras terras, abre nossos olhos e nos aproxima, como seres humanos, de situações que pouco sabemos ou entendemos.

    Em meio a um debate (quase eterno) sobre o futuro do cinema, e o que deve ser “considerado” cinema, longas como A 200 Metros surpreendem por, em sua simplicidade, alcançarem aquilo que deveria ser um objetivo crucial na arte de produzir filmes: nos conduzir por meio de uma história envolvente e emocionante.

    A 200 Metros é o longa de estreia de Ameen Nayfeh, um jovem palestino que condensou em 1 hora e 30 minutos a experiência de uma vida. Não só da sua vida, mas de vários outros palestinos que enfrentam, todos os dias, a realidade de terras divididas e as difíceis condições de vida em uma guerra perpétua.

    No longa, Mustafa, interpretado maravilhosamente por Ali Suliman, vive na Cisjordânia enquanto sua família vive em Israel. Separados por um muro, a família se comunica por telefone todas as noites, além de brincarem de acender e desligar as luzes de suas casas como forma de desejar boa noite.

    Foto: Elin Kirschfink

    Quando seu filho precisa fazer uma cirurgia de emergência, Mustafa tem que encontrar maneiras de atravessar a fronteira e entrar em Israel clandestinamente. A jornada do pai, desesperado para estar ao lado da família, é conduzida com precisão por Nayfeh, que introduz outras narrativas em meio à missão do personagem principal.

    Além do drama principal, diversas outras discussões permeiam a trama de A 200 Metros. Oportunidade de emprego, dignidade, herança cultural e os debates sobre as ocupações palestinas e israelenses compõem um roteiro afiado, composto de diversos diálogos certeiros.

    Por se tratar de uma trama que envolve uma jornada clandestina, passamos boa parte do longa torcendo para que o destino daquelas pessoas seja positivo e que tudo termine bem. Para um longa de estreia, Nayfeh está de parabéns pelo seu trabalho.

    Vale destacar que, além da excelente atuação de Ali Suliman, a atriz Anna Unterberger e o ator Motaz Malhees também entregam ótimos momentos, complementando bem o arco de Mustafa em busca de sua família.

    VEREDITO

    A 200 Metros é um ótimo filme, com uma mensagem poderosa e grandes atuações. O longa de estreia de Ameen Nayfeh é uma grata surpresa.

    Nossa nota

    4,0/5,0

    Confira o trailer

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Segredos de um Escândalo’ instiga, mas falha ao entregar narrativa incômoda

    Segredos de um Escândalo é o mais novo suspense estrelado por Julianne Moore e Natalie Portman. O longa adapta uma história real.

    TBT #264 | ‘Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal’ diverte, mas falha em entregar legado

    Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal é um dos muitos longas legados lançados nos anos 2000. O longa acompanha o amado Indy.

    CRÍTICA – ‘Bob Marley: One Love’ a voz do amor em tempos de guerra

    Bob Marley: One Love lança os espectadores por história emocionante, com músicas sobre amor, perseverança e biografia respeitosa.

    10 filmes indicados ao Oscar que você pode assistir na Netflix

    A Netflix recebeu 18 indicações ao Oscar; veja a lista completa dos filmes da gigante do streaming que concorrem na maior premiação do cinema.