CRÍTICA – A Hora do Desespero (2022, Phillip Noyce)

    A Hora do Desespero já está disponível nos cinemas de todo o Brasil. Lançamento da Paris Filmes, o longa é protagonizado e produzido por Naomi Watts.

    Confira abaixo nossa crítica sem spoilers.

    SINOPSE

    Amy Carr (Naomi Watts) sai para o que devia ter sido uma corrida matinal restauradora, quando uma amiga liga com notícias terríveis: a escola local que o filho de Noah (Colton Gobbo) frequenta foi sitiada por um atirador.

    ANÁLISE

    A Hora do Desespero é uma produção que utiliza de poucas locações e poucos personagens. Totalmente ancorada na atuação de Naomi Watts, a produção acompanha a sua personagem, Amy Carr, tentando chegar até um abrigo local para tentar reencontrar o seu filho.

    Sem carro e longe do local de destino, Amy precisa obter informações sobre a situação de Noah, que é feito refém em uma escola durante um tiroteio. Portanto, ela passa a telefonar para diversas pessoas que possam auxiliá-la, ao mesmo tempo em que ela tenta chegar ao local do massacre.

    A dinâmica de A Hora do Desespero se assemelha muito a produções desenvolvidas em formato de áudio (podcasts), já que Amy passa o tempo todo tentando contatar essas pessoas por telefone. Todo o desenrolar da história se deve a essas trocas, sendo elas as responsáveis por tentar criar o tom de tensão e angústia da produção.

    A atuação de Naomi Watts não é só a peça principal, mas sim toda a base do filme, exigindo da atriz um grande esforço para manter o espectador entretido ao longo dos 85 minutos de duração. Entretanto, nem todo o empenho da atriz consegue surtir algum efeito.

    Talvez o grande problema de A Hora do Desespero não seja seu formato, mas sim o quão previsível é o roteiro. Os acontecimentos são tão comuns e pouco inspirados que é difícil realmente se surpreender em algum momento da trama. Até o grande “twist” que acontece na metade do segundo ato é clichê e batido.

    Com um tema tão oportuno e importante, principalmente nos Estados Unidos, o longa de Phillip Noyce perde a oportunidade de explorar possibilidades e criar algo realmente satisfatório.

    VEREDITO

    Com poucos momentos memoráveis, A Hora do Desespero tem apenas Naomi Watts como ponto positivo. Ao optar por caminhos pouco inspirados, a produção perde oportunidades e entrega um suspense morno.

    Nossa nota

    2,0/5,0

    Assista ao trailer:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #183 | Platoon (1986, Oliver Stone)

    Platoon, de Oliver Stone sem dúvida está na lista dos fãs de filmes de guerra. Veja nossa clássica indicação de TBT!

    CRÍTICA – Amor & Gelato (2022, Brandon Camp)

    Amor & Gelato é a nova aposta de filme de romance da Netflix. Baseado no livro homônimo de Jenna Evans, o longa é dirigido por Brandon Camp.

    Thor: Amor e Trovão | Conheça o elenco do filme

    Agora falta pouco para Thor: Amor e Trovão chegar aos cinemas! Confira neste artigo quem são os personagens e atores envolvidos na produção.

    CRÍTICA – O Apocalipse do Amor (2022, Hilal Saral)

    O Apocalipse do Amor é um filme turco dirigido pela diretora Hilal Saral. Veja o que achamos da produção de estreia da diretora turca.