CRÍTICA | Batman – Alma do Dragão (2021, Sam Liu)

    Batman – Alma do Dragão é a nova animação da DC Comics protagonizada pelo Homem-Morcego.

    SINOPSE

    Uma seita quer trazer um deus ancestral chamado Naga de volta à vida para destruir a humanidade. Bruce Wayne, alterego do Batman, deve unir forças com um time improvável, mas que faz parte do seu passado: Lady Sheeva, Tigre de Bronze e Richard Dragon para derrotar esta terrível ameaça.

    ANÁLISE

    Batman – Alma do Dragão é uma animação que se passa nos anos 70 e tem diversos elementos do blaxploitation e dos longas orientais, pois utiliza cores vivas em sua paleta, traços fortes e uma Gotham pulsante com bairros chineses.

    A mistura de gêneros e a roupagem dos anos 70 nos dão uma sensação de estranhamento, visto que estamos acostumados com um ar soturno nas histórias do Homem-Morcego.

    Contudo, aqui há um cuidado especial, pois Bruce Wayne divide seu protagonismo com Richard Dragon, um exímio lutador marcial que é uma espécie de anti-herói.

    E quando digo Bruce Wayne falo sobre a questão da figura encapuzada praticamente não aparecer aqui, uma vez que a sua jornada é mais importante do que o capuz. Batman – Alma do Dragão foca bastante na vida pessoal do personagem, algo que não vemos em qualquer outra obra, por exemplo.

    A história é batida, trazendo um vilão megalomaníaco e diversos flashbacks sobre os personagens na trama. As idas e vindas da história atrapalham um pouco a fluidez dos acontecimentos, entretanto, são importantes para nos contextualizar sobre coadjuvantes tão desconhecidos do grande público.

    A ALMA DE BATMAN NA ANIMAÇÃO

    A falta da figura do Cavaleiro das Trevas é algo que soa muito peculiar, uma vez que sua presença é quase imperceptível no grande grupo. No filme, ele é mais um, sem suas exímias habilidades que mostram a destreza do protagonista.

    Além disso, a escolha de um vilão genérico é equivocada, visto que a galeria de vilões do Batman é a mais rica dos quadrinhos. Por mais que Batman – Alma do Dragão tente revigorar as histórias tão contadas do herói, não vemos uma justificativa plausível para um antagonista tão esquecível. Se a ideia era fazer algo próximo de A Corte das Corujas, a animação falha miseravelmente.

    VEREDITO

    Batman – Alma do Dragão é um longa que traz diversidade e nova roupagem para as histórias do Morcegão, visto que inova em seus conceitos. Contudo, sua previsibilidade e falta de carisma fazem o filme esquecível dentro do universo tão vasto do herói. Vamos aguardar o que vem pela frente com as pontas soltas deixadas. 

    Nossa nota

    2,5 / 5,0

    Confira o trailer:

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Instinto Assassino (2022, David Hackl)

    Instinto Assassino é um filme original da Netflix e conta com a direção de David Hackl, além de Mel Gibson e Famke Janssen no elenco.

    CRÍTICA – Tico e Teco: Defensores da Lei (2022, Akiva Schiffer)

    Mais de três décadas após o cancelamento da série animada, Tico e Teco: Defensores da Lei agora tem um novo filme disponível no Disney+.

    CRÍTICA – Top Gun: Maverick (2022, Joseph Kosinski)

    Mais de três décadas se passaram do clássico Top Gun: Ases Indomáveis (1986) e agora Tom Cruise está de volta com Top Gun: Maverick!

    Noites Sombrias #67 | Jason Vai Para o Inferno: A Última Sexta-Feira 13 (1993, Adam Marcus)

    Jason Vai Para o Inferno é o sexto filme da franquia de um dos ícones da cultura pop e que trouxe um misto de sentimentos na crítica.