Início FILMES Crítica CRÍTICA – Beckett (2021, Ferdinando Cito Filomarino)

CRÍTICA – Beckett (2021, Ferdinando Cito Filomarino)

Beckett

Beckett é um filme original Netflix, dirigido por Ferdinando Cito Filomarino e estrelado pelos incríveis John David Washington (Infiltrado na Klan) e Alicia Vikander (Tom Raider: A Origem). O filme é um suspense nos moldes dos filmes italianos e nos leva à incríveis lugares, em meio à visceral e incessante atuação de Washington.

SINOPSE

Enquanto estava de férias na Grécia, o turista americano Beckett (John David Washington) se torna o alvo de uma caçada após um acidente devastador. Forçado a correr para salvar sua vida e desesperado para atravessar o país até a embaixada americana, as tensões aumentam conforme as autoridades se aproximam.

ANÁLISE

Após um trágico acidente, Beckett passa a sofrer seu pior pesadelo. Entre tantas coisas, ser caçado sem qualquer motivo aparente em um país completamente diferente do seu. Sem nenhum tipo de amparo, o personagem de Washington precisa ir tão longe quanto jamais precisou ir apenas para ser capaz de sobreviver.

Beckett

Dirigido pelo italiano Ferdinando Cito Filomarino, Beckett nos lembra imensamente os giallo não apenas em sua essência, como também em sua estrutura e sua incrível trilha sonora.

O filme nos mostra uma das atuações mais viscerais de John David Washington e nos leva além, enquanto nos apresenta as mais diversas facetas de um indivíduo com o interesse de sobreviver enquanto seu mundo parece desabar aos poucos.

O cuidado do diretor com a montagem do filme o brilhante uso das locações em sua trama, mostram como ele sabe explorar o máximo possível dos locais em que os filmes foram rodados.

O trailer do filme nos dá uma impressão de um escopo muito menor, mas Beckett nos surpreende enquanto envereda e expande os horizontes da trama.

VEREDITO

Beckett

Ainda que o filme traga uma calorosa sensação de retorno aos espectadores de giallo, Beckett entrega uma trama única que ainda que aborde muito do que está explícito, a atuação de Washington reforça a todo tempo os traumas que Beckett vive ao longo de toda a trama.

Desde seus primeiros minutos, o filme faz questão de deixar claro que os espectadores sabem tanto quanto o protagonista: quase nada.

O que foi omitido da trama em seu desenrolar é o que faz de Beckett tão pungente quanto visceral. Sendo tão brilhante quanto belo, o mais novo filme de suspense da Netflix nos faz tanto prender a respiração, quanto respirar aliviados em determinados momentos.

Tão cuidadoso quanto brilhante em suas maiores sequências de ação, ou em suas minúcias, ou detalhes que são notados nos olhos dos atores, dão o tom da trama desde seus primeiros minutos. E esse que vos escreve, lhes garante: Beckett é brilhante.

Beckett estreará na Netflix no dia 13 de Agosto.

Nossa nota
4,5 / 5,0

Confira o trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorTBT #136 | Encontro de Casais (2009, Peter Billingsley)
Próximo artigoCRÍTICA – Pray Away (2021, Kristine Stolakis)
27 anos, apaixonado por cinema, quadrinhos e games!