CRÍTICA – Dezesseis Facadas (2023, Nahnatchka Khan)

    Dezesseis Facadas (Totally Killer) é o mais novo longa de terror do Prime Video. Enquanto mistura motes conhecidos e amados pela cultura pop, o longa brinca com a crescente onda de produções de true crime, viagem no tempo e o que há de melhor na mistura entre comédia e terror. Estrelado por Kiernan Shipka (Sabrina), Julie Bowen (Modern Family) e grande elenco, somos lançados à história de Jamie e sua família.

    Ambientado no Halloween, em uma pacata cidade do interior, o filme nos apresenta que nem sempre ela foi assim. Há 35 anos atrás, a cidade foi tomada por três assassinatos do que passou a ser conhecido como “Sweet Sixteen Killer”. Desde então, a cidade não é mais é mesma. Mas enquanto um clima de normalidade toma o ar, Pam Hughes (Julie Bowen) amiga das jovens assassinadas no passado, acredita que um perigo ainda pode vir a assolar a cidade.

    SINOPSE

    Quando o infame “Sweet Sixteen Killer” retorna 35 anos após sua primeira onda de assassinatos para fazer outra vítima, Jamie, de 17 anos, acidentalmente viaja de volta no tempo para 1987, determinada a deter o assassino.

    ANÁLISE

    Dezesseis Facadas

    Dezesseis Facadas é uma grata surpresa pra mim. Não apenas por subverter os principais motes de filmes de viagem no tempo e do gênero whodunit (histórias de mistérios que descobrimos os culpados apenas no final). A subversão de clichês e desenvoltura de Kiernan Shipka são um espetáculo a parte e sua Jamie Hughes é divertida, atual e veio para mostrar os problemas aos quais éramos acostumados nos anos 80.

    Quando lançada no passado a fim de evitar que o Sweet Sixteen Killer mate suas primeiras vítimas, vemos o quão frágil as coisas eram na época, mas é claro, que do viés cômico. Enquanto mostra como ações machistas, agressões ou qualquer outra coisa eram naturalizadas, Jamie passa pelo filme quase ilesa.

    Ao longo de seus 106 minutos, o longa nos diverte, nos faz rir e sentir medo. E confesso, um pouco ansiosos em saber quem é o assassino. Não vou dar um passo maior que a perna ao dizer que Dezesseis Facadas faz tudo que foi feito anteriormente de maneira melhor. Mas o longa se esforça para ser bom em tudo que se propõe.

    VEREDITO

    A construção de mundo do longa, bem como a dos personagens é feita de maneira aprofundada. O cuidado da diretora, bem como do roteiro nos leva por caminhos inesperados e por realizações curiosas. A diversão do longa vem das incredulidades e de quando paramos para pensar como as coisas eram no passado em vista dos dias de hoje.

    Dezesseis Facadas diverte com suas misturas de gêneros, suas sequências de terror e sequências de ação desenfreadas.

    Nossa nota

    4,5 / 5,0

    O longa está disponível no Prime Video. Confira o trailer:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #284 | “Festival Sangrento” tenta emplacar horror, mas falha

    Festival Sangrento é uma curiosa crítica que acaba por abraçar o que ela parece criticar com tanto afinco. O filme falha como um horror, mas pode divertir.

    O que é o Festival de Cannes? Saiba mais sobre o evento anual de cinema e confira 4 recomendações de filmes

    Criado em 1946, o Festival de Cannes é um dos eventos de cinema mais prestigiados do mundo e acontece na cidade de Cannes, na França.

    TBT #283 | ‘Par Perfeito’ surpreende por diversão e espionagem

    Par Perfeito é uma ótima comédia. Lançado em 2010, somos lançados na história do casal Jen e Spencer, cujas vidas mudam em 24 horas.

    CRÍTICA: ‘Furiosa – Uma Saga Mad Max’ é lindo e cromado como todos os filmes da franquia

    Furiosa é o mais novo capítulo da saga Mad Max. Agora, mergulhamos no passado da icônica personagem de Estrada da Fúria.