CRÍTICA | Emancipation – Uma História de Liberdade (2022, Antoine Fuqua)

    Emancipation – Uma História de Liberdade é o mais novo filme de Will Smith. O longa surge glorioso enquanto se propõe a contar a história de uma das mais icônicas e poderosas fotos sobre a escravidão. Ambientado em 1863, o filme conta a história de Peter (Will Smith), um escravizado que é tomado pelo exército confederado de uma fazenda para ser usado como mão de obra para a construção de uma ferrovia.

    O longa nos apresenta um dos mais perversos aspectos da história humana, que sobrepujou diversos povos, destruiu suas histórias e os diminuiu em mais maneiras do que imaginamos. Peter é o símbolo de um povo resiliente, que não se quebrou mesmo quando tudo os forçava a fazê-lo. Um povo que sonhou com a liberdade e que até hoje testemunhamos resquícios relacionados a escravidão.

    SINOPSE

    Emancipation conta a triunfante história de um homem escravizado que foge e atravessa os pântanos da Louisiana, nos Estados Unidos, em uma jornada tortuosa para escapar dos proprietários de plantações que quase o mataram. Peter é o homem em busca da sua liberdade, que escapa da escravidão confiando em sua inteligência, fé inabalável e profundo amor por sua família, fazendo o impossível para se livrar dos caçadores de sangue frio nos implacáveis pântanos da Louisiana.

    ANÁLISE

    Emancipation

    O filme nos leva pela Louisiana do século XIX em uma viagem dura, cansativa de um passado vergonhoso na história mundial. Enquanto acompanhamos a história de Peter, Emancipation nos apresenta o perturbador horror que era para pessoas negras viverem naquela época. Em um mundo tomado pela perversidade, o Ato de Emancipação outorgado por Abraham Lincoln colocava todos os indivíduos em par de igualdade, ou era o que muitos pensaram.

    Sem direitos igualitários, os escravizados agora emancipados, se viam obrigados a continuar na condição de serventes dos indivíduos brancos – para garantir a produção de bens que alimentariam a máquina de guerra liderada por Lincoln e pelos legalistas da União no Norte -, ou atuar como bucha de canhão da Guerra Civil.

    O longa traz à tona as mais perversas facetas humanas, e coloca não apenas no principal antagonista do filme vivido por Ben Foster os horrores que o racismo e a escravidão – até então um elemento quase de senso comum -, em destaque. Explicitando quase sempre que a escravidão não se deu por causa de indivíduos poderosos e malvados, mas em grande parte, por conivência de pessoas comuns.

    EMANCIPATION E O MELHOR TRABALHO DE WILL SMITH

    Emancipation é duro, como a realidade foi. Ainda que pensemos que o filme exagere em suas sequências, ele nos faz testemunhar os absurdos presentes na brutalidade que apenas um ato nefasto como a escravidão possui. Bem como as facetas dos indivíduos que eram coniventes com isso.

    As condições subumanas às quais aquelas pessoas eram expostas são mostradas sem dó. Sem pena ou sem pegar na mão dos espectadores. Antoine Fuqua não espera te educar, espera te fazer entender a razão de haver uma dívida histórica que nunca será paga. E se nada daquilo te faz entender o problema e sentir desespero e piedade, você só pode estar morto por dentro

    O filme nos apresenta um dos mais incríveis trabalhos de Will Smith e lança o ator por uma transformação corporal diferente de tudo que ele já passou em sua carreira. Forçando-o a perder massa muscular, Smith fica quase irreconhecível em algumas sequências.

    Um elemento importante no longa é entender o fato dele ser rodado daquela forma. Deixando a saturação das cores quase 0, o filme acaba por tirar toda a beleza que aquela história poderia ter, tirando o foco das belezas da Louisiana, e lançando-o por sobre as sequências duras e impiedosas, as provações que Peter precisou transpassar a fim de sobreviver, apenas usando como força o amor por sua família e sua fé inabalável.

    VEREDITO

    Emancipation

    Emancipation – Uma História de Liberdade joga luz de maneira romantizada à história de Peter. Um dos muitos que precisaram fazer o que parecia impossível para salvar sua vida. A foto que rodou o mundo e foi copiada mais de 100.000 vezes à época, tinha como intuito chocar as pessoas ao mostrar para elas os horrores da escravidão. A foto tirada por McPherson e Oliver ficou conhecida como “Whipped Peter“, ou em tradução livre “Peter açoitado.”

    O filme é poderoso em tudo que se propõe e nos leva por uma viagem contundente, que nos faz querer desistir, fechar os olhos, mas mentir para si mesmo e ignorar que os horrores da escravidão existiram, é ser de certa forma conivente com um passado não tão distante. Negar isso, é mentir que possuímos uma dívida histórica que está muito longe de ser paga.

    O Feededigno foi convidado à participar de uma pré-estreia do filme em uma sessão de cinema que foi emocionante, para dizer o mínimo.

    Emancipation – Uma História de Liberdade foi lançado na Apple TV e será exibido em poucos cinemas pelo Brasil. O longa é um dos favoritos da janela de premiações.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Confira o trailer do filme:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    Superman: Possíveis vilões do novo filme do Homem de Aço

    Superman ganhará um novo filme. Apesar de quase todo o elenco do filme ter sido anunciado, os vilões ainda são mantidos em segredo.

    TBT #272 | ‘O Exterminador do Futuro’ é terror desesperador e ação absoluta

    'O Exterminador do Futuro' foi criado como um temor em relação ao futuro. E se as máquinas dizimassem a humanidade e colocasse nossa única...

    TBT #271 | ‘Dupla Explosiva’ já é clássico de ação com explosões e comédia exagerada

    Dupla Explosiva é clássico de ação repleto de absurdo e estrelas do cinema. Nele, acompanhamos Michael Bryce e Darius Kincaid.

    Duna: Parte Dois consegue a maior estreia desde Barbie, e já se consagra como um dos grandes sucessos de 2024

    Apesar de estarmos no terceiro mês do ano, Duna: Parte Dois conseguiu, em quatro dias desde a sua estreia, tornar-se a maior bilheteria de 2024.