Início FILMES Crítica CRÍTICA – Emicida: Amarelo – Ao Vivo (2021, Netflix)

CRÍTICA – Emicida: Amarelo – Ao Vivo (2021, Netflix)

Amarelo

Esse que vos escreve é extremamente suspeito para falar sobre qualquer coisa relacionada à carreira do Emicida. Não apenas por ser fã há muitos anos, mas por vê-lo hoje como uma das pessoas mais lúcidas e importantes da nossa sociedade. O show Amarelo no Theatro Municipal de São Paulo foi mostrado em partes anteriormente, no documentário Emicida: Amarelo é Tudo Para Ontem, mas na última quinta, 15 de julho chegou na integra, ao catálogo da Netflix.

SINOPSE

O show do álbum Amarelo de Emicida foi realizado no Theatro Municipal de São Paulo no dia 27 de Novembro de 2019 e contou com algumas inserções pontuais no documentário lançado em 2020 na Netflix.

ANÁLISE

Emicida

Como um dos mais brilhantes projetos multimídia dos dias de hoje, Amarelo de Emicida mostra o quão na frente o rapper, Fióti e a Laboratório Fantasma estão em relação às outras produções nacionais.

Funcionando tanto como um canto de amor, como uma obra de resistência, Amarelo tem como intuito trazer aos fãs do rapper uma mensagem de esperança, afeto para tempos tão sombrios que mais tarde chegariam.

Ver Emicida no palco tanto na Netflix, no documentário e até mesmo em um show ao vivo – que eu tive a oportunidade de testemunhar em Março de 2020 -, é uma experiência única. Amarelo: Ao Vivo é uma experiência que deve ser testemunhada por mais que você não conheça o trabalho de Emicida. Nele vemos o ponto mais alto de sua carreira, principalmente nas músicas “Principia“, “Quem tem um Amigo tem tudo“, “Eminência Parda“, “Ismália” e “Cananéia, Iguape e Ilha Comprida“… ou basicamente todas as músicas do álbum Amarelo.

A profundidade, a montagem, a sincronia, todo o espetáculo que vemos em Amarelo: Ao Vivo nos dá a certeza de que Emicida atingiu sua maturidade artística de inúmeras formas. O som da natureza em meio às composições, mostra o quão importante a natureza foi no desenvolvimento do álbum. E em sua grande parte exalta elementos como a busca pelo melhor em si, nos outros e reforça suas raízes no mundo em que cresceu.

Amarelo nos traz sensação de um mundo melhor, nos causa esperança, e mostra que lucidez pode ser alcançada em meio à brutalidade de um mundo cruel, onde a dessensibilização tem se tornado cada vez mais frequente com as frequentes exposições às brutalidades diárias.

VEREDITO

Emicida

Amarelo nos faz acreditar que um vindouro futuro brilhante é capaz nos dias hoje. Nos trazendo mensagens de amor, de apoio, e solidariedade e nos garante que em sua grande parte, o melhor pode ser tirado das coisas.

O álbum e o show nos fazem ter certeza de que mesmo depois de todo o apagamento no passado, o papel que Emicida tem em meio aos jovens nos dias de hoje é de extrema importância em um país que tem em sua agenda o genocídio e o apagamento de pessoas negras.

A importância de um espetáculo do tamanho de Amarelo dentro do Theatro Municipal de São Paulo não se limita apenas a um feito na carreira de Emicida. E mostra a importância que o álbum Amarelo tem nos dias de hoje e precisa ser visto como um marco na cultura e nos projetos crossmedia, tendo deixado de ser apenas um álbum, se expandindo para um podcast, um documentário e também um show ao vivo na gigante do streaming.

Amarelo: Ao Vivo está disponível na Netflix.

Nossa nota

5,0 / 5,0

Confira o trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Jolt (2021, Tanya Wexler)
Próximo artigoCRÍTICA – The Sims 4 Vida Campestre (2021, EA)
27 anos, apaixonado por cinema, quadrinhos e games!