CRÍTICA – Escolha ou Morra (2022, Toby Meakins)

    Escolha ou Morra é um longa original da Netflix e é o primeiro da carreira do cineasta Toby Meakins que estreia na direção. O filme conta com Asa Butterfield (Sex Education) no elenco principal.

    SINOPSE DE ESCOLHA OU MORRA

    Kayla (Iola Evans) é uma jovem com problemas financeiros e pessoais e que está lutando para resolver sua vida. Ela acaba encontrando um jogo misterioso chamado Curs>r que dá um prêmio grande em dinheiro, mas que tem um custo muito alto para entregar em troca.

    ANÁLISE

    Escolha ou Morra traz elementos de diversas obras como Escape Room e Jogos Mortais, misturando muitas referências desse formato.

    A premissa de um jogo que faz o jogador escolher entre sua vida ou ao sofrimento alheio não é inovadora, mas o modo de contar a história aqui sim, pois é utilizada a estética dos games oitentistas por parte de Toby Meakins e o roteirista Simon Allen.

    De positivo, temos um elenco engajado e que entrega boas atuações, com destaque aos protagonistas Iola Evans e Asa Buttefield que tem uma química envolvente e apresentam boas cenas, mesmo que o texto deles seja pobre em diversos momentos.

    A direção consegue ser um dos pontos fortes e fracos de Escolha ou Morra, uma vez que nos momentos dos jogos tão uma intensidade excelente e acontecimentos que nos deixam na ponta da cadeira, mas que em outros nos coloca em uma situação de tédio completo com tramas secundárias muito descartáveis. Em certos momentos, Meakins tem boas sacadas e, em outros, faz firulas que poderiam ter uma realização mais simples e objetiva, dando mais dinamismo ao filme.

    O terceiro ato pode dividir opiniões, visto que busca no sobrenatural as explicações do longa, mas para mim funcionou e tem uma intensa batalha que chacoalha o espectador com uma inventividade muito bacana.

    VEREDITO

    Escolha ou Morra é um entretenimento escapista e que tem momentos interessantes, mesmo que sua trama se perca no meio de decisões questionáveis de um roteiro raso e que tenta colar a trama intensa do jogo em momentos entediantes. A obra é curta e pelo menos diverte, algo que é muito importante para o baixo custo de produção.

    Nossa nota

    3,0/5,0

    Confira o trailer de Escolha ou Morra:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Thor: Amor & Trovão (2022, Taika Waititi)

    Thor: Amor e Trovão é o mais novo filme do deus do trovão. Ao lado de Jane Foster, a Poderosa Thor, ele precisará derrotar um novo vilão.

    CRÍTICA – A Fera do Mar (2022, Chris Williams)

    A Fera do Mar é um longa animado da Netflix e conta com a direção de Chris Williams, além de Karl Urban (The Boys) no elenco de voz.

    CRÍTICA – Beauty (2022, Andrew Dosunmu)

    Beauty é um filme original da Netflix que mostra a história de uma cantora negra que tenta construir uma carreira de sucesso.

    TBT #183 | Platoon (1986, Oliver Stone)

    Platoon, de Oliver Stone sem dúvida está na lista dos fãs de filmes de guerra. Veja nossa clássica indicação de TBT!