Início FILMES Crítica CRÍTICA – O Menino de Asakusa (2021, Gekidan Hitori)

CRÍTICA – O Menino de Asakusa (2021, Gekidan Hitori)

CRÍTICA - O Menino de Asakusa (2021, Gekidan Hitori)

O Menino de Asakusa é um filme japonês original da Netflix. A história é baseada na biografia do comediante Takeshi Kitano, conhecido como Beat Takeshi. A direção e roteiro são de Gekidan Hitori. No elenco estão Yuya Yagira, Yo Oizumi e Mugi Kadowaki.

SINOPSE

Em Asakusa, uma região decadente de Tóquio em meados da década de 1960. Depois de abandonar a faculdade, Takeshi trabalha no clube de comédia, teatro e strip Asakusa France-za, onde rapidamente ganha experiência com o famoso comediante Senzaburo Fukami.

ANÁLISE

Sem dúvida ser comediante é uma das profissões mais difíceis do mundo. O ato de fazer o outro rir é um processo que só os melhores comediantes entendem. Takeshi Kitano e Senzaburo Fukami sabiam essa tal fórmula. Por isso, O Menino de Asakusa busca ao máximo honrar esses dois ícones do humor japonês. 

Baseado em um livro de memórias do próprio Takeshi, conhecido mundialmente como Beat Takeshi e também pelos trabalhos como diretor e ator, O Menino de Asakusa acompanha os primeiros anos da carreira do comediante, quando o lendário e já falecido Senzaburo Fukami o pega como discípulo para ensinar a arte da comédia. 

Logo, o filme mostra a ascensão de Takeshi e a decadência de Fukami, ao passo que o primeiro sobe ao estrelato após sair do teatro e ir para a televisão. Já Fukami tinha um imenso amor pelo teatro e não conseguiu se adaptar aos tempos modernos. Dessa forma, o filme traz um debate sobre o avanço tecnológico frente a arte, nos 60 e 70, pois com o surgimento da televisão, muitas pessoas deixaram de ir em teatros para se divertir direito da sala de casa. 

É sobre essa perspectiva que o longa apresenta essa grande história de amizade e ensinamento. O jeito provocativo de Fukami faz um ótimo contraponto ao Takeshi dos primeiros anos de carreira, um menino desengonçado com aspiração a comediante.

O filme expressa muito bem o conceito de superar o mestre e o quanto isso pode ser sentido pelas pessoas. No teatro Asakusa France-za, o futuro parece incerto e muitos que trabalham lá sentem que seus sonhos já não são mais válidos. Por isso, mesmo que Fukami se sinta abandonado por Takeshi, o sucesso do discípulo também é o sucesso do mestre. 

Dessa forma, a trilha sonora de O Menino de Asakusa é formidável, com ritmos de jazz que introduzem muito bem o tom divertido e dramático do longa. A montagem faz um passeio entre passado e presente, mostrando o início da carreira de Takeshi até seu estrelato na TV, já mais velho. 

Além disso, a direção de Gekidan Hitori aproveita muito bem os planos abertos nos palcos com um belo jogo de luz. Já Yuya Yagira como Takeshi e Yo Oizumi  Fukami são o ponto chave do filme, a dupla têm dinâmica e carisma de sobra. Um filme comovente e que sabe desfrutar do seu grande trunfo: a ato de fazer o outro rir.  

VEREDITO

O Menino de Asakusa é uma ótima cinebiografia, contando a história do comediante Beat Takeshi. Com uma estonteante trilha sonora e grandes atuações, é um longa para conhecer mais do humor japoneses e de Beat Takeshi e Senzaburo Fukami, dois ícones da comédia.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorJornada Astral: Conheça o novo programa da HBO Max comandado por Angélica
Próximo artigoHouse of the Dragon: Conheça Fumaresia, o dragão de Addam Velaryon
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.