CRÍTICA – Malcolm & Marie (2021, Sam Levinson)

    Malcolm & Marie é um longa dirigido por Sam Levinson (Euphoria) e está disponível no catálogo da Netflix.

    SINOPSE

    Malcolm (John David Washington) é um diretor de cinema ganancioso e arrogante que está radiante após sua nova estreia, entretanto, Marie (Zendaya) não está nada feliz nesta noite e os dois vão colocar para fora todos os seus pensamentos bons e ruins.

    ANÁLISE

    Malcolm & Marie

    Malcolm & Marie é o tipo de filme bastante difícil de digerir, pois tem uma proposta muito parecida com teatro, usando textos longos e um diálogo interminável.

    A ideia de Sam Levinson, diretor e roteirista, foi mostrar que temos altos e baixos, e que relacionamentos são difíceis. Todavia, a forma foi bastante artificial e irregular, com um longa agoniante e sem propósito.

    Sua artificialidade está na forma da discussão. Um personagem faz um monólogo de cinco minutos, depois é a vez do outro, por exemplo. A dinâmica é bastante engessada e ruim, uma vez que ninguém discute daquela forma, faltando naturalidade dos protagonistas. 

    A irregularidade está no fato de terem trechos ricos do diálogo que se perdem na imensidão de frases de efeito e ataques histéricos dos personagens, pois a todo o momento isso acontece.

    PONTOS POSITIVOS DE MALCOLM & MARIE

    Se por um lado Sam Levinson é de certa forma pedante em seu texto, por exemplo, pelo outro, há coisas bem interessantes em seu roteiro. A crítica aos críticos e à própria indústria foi uma sacada genial por parte do diretor. Ao abordar de maneira explosiva a forma com a qual os cineastas recebem “elogios” foi algo muito interessante e genial.

    Malcolm & Marie funciona muito em parte por conta das atuações espetaculares de Zendeya e John David Washington. A primeira com uma forte indiferença, mas que mostra picos de dor e sofrimento com o olhar e na voz trêmula. O segundo com sua fúria corporal e gritos histéricos, mas que vinham com uma calmaria após ser colocado em seu devido lugar por Marie. Os dois se completam na toxicidade, pois são bastante imperfeitos.

    As técnicas de câmera e trilha sonora de Malcolm & Marie também são incríveis, visto que o diretor usa planos sequência, abertos e contrastes interessantes. A única crítica é a utilização da película em preto e branco que está lá sem acrescentar em nada a experiência.  

    VEREDITO

    Malcolm & Marie é uma longa DR que tira a paciência do espectador. Com uma trama irregular, mas que tem no aspecto técnico a sua virtude, o filme deixa muito a desejar pelas expectativas criadas, apresentando algo mediano ao público.

    Nossa nota

    3,0 / 5,0

    Confira o trailer:

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – O Apocalipse do Amor (2022, Hilal Saral)

    O Apocalipse do Amor é um filme turco dirigido pela diretora Hilal Saral. Veja o que achamos da produção de estreia da diretora turca.

    Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo: Quem é quem no longa da A24?

    Conheça o elenco de Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo, filme original da produtora A24 que tem recebido muitos elogios da crítica.

    CRÍTICA – O Homem de Toronto (2022, Patrick Hughes)

    O Homem de Toronto é a mais nova comédia de ação da Netflix. O filme é estrelado por Kevin Hart e Woody Harrelson.

    UCM: 10 equipes que podem vir a estrelar a Fase 4

    O UCM não está tão longe de apresentar seu mais novo grande arco. Confira 10 equipes que seriam interessantes de ver nas telonas.