CRÍTICA – Não Olhe Para Cima (2021, Adam McKay)

    Não Olhe Para Cima é um mais novo filme da Netflix que tem a direção de Adam McKay (Os Outros Caras) e conta com um elenco recheado de estrelas de Hollywood.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Oscar 2022: Onde assistir aos principais filmes da premiação?

    SINOPSE DE NÃO OLHE PARA CIMA

    Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence) e Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) são dois cientistas que descobrem uma catástrofe: um cometa irá destruir a humanidade em seis meses. Os dois tentam provar à presidente dos Estados Unidos, Senhora Orlean (Meryl Streep), que refuta a tese e agora eles devem lutar contra uma onda negacionista que assola a população.

    ANÁLISE

    Não Olhe Para Cima

    Não Olhe Para Cima deveria ser um recorte bastante caricato da sociedade atual, uma vez que beira o absurdo em diversos momentos. Todavia, a verossimilhança com o pensamento coletivo contemporâneo faz com que tenhamos um filme bizarramente real, algo que é assustador e cômico ao mesmo tempo.

    A forma com que McKay lida com a questão das fake news, negacionismo e a manipulação midiática é notável, visto que ele consegue passar exatamente como há uma nova tendência de deturpar a realidade por meio de crenças, sejam elas de esquerda ou direita.

    Mesmo que o longa tenha um posicionamento muito claro, há uma crítica aos dois lados, pois a vaidade aparece como a principal problemática aqui. O longa basicamente diz para não acreditarmos em tudo aquilo que vemos, além de criticar duramente aqueles que refutam o óbvio, mesmo que esteja bem na frente deles.

    Sobre as questões técnicas, Não Olhe Para Cima tem uma direção bastante competente, que sabe utilizar seus recursos narrativos para instigar o espectador. Contudo, as personagens femininas são estereotipadas de forma negativa, o que é um erro por parte de Adam McKay. Algumas cenas são desnecessárias e aleatórias dentro do contexto da trama, que se enrola em demasia em seu segundo ato, perdendo tempo com futilidades.

    As atuações são de primeira de um elenco mais que talentoso. Os destaques estão para Leonardo DiCaprio, com seu protagonista vaidoso e inseguro que se deslumbra com um mundo de possibilidades, sendo bastante hipócrita. Jennifer Lawrence é uma mistura de cinismo com indiferença, característica de uma geração quebrada pela ansiedade e depressão. Meryl Streep é um Trump de saias, sendo perfeita em sua interpretação ousada.

    VEREDITO

    Com um texto sarcástico de delicioso, Não Olhe Para Cima é um recorte formidável de uma realidade absurda. Mesmo com alguns problemas de sua direção, o longa nos entretém, mas faz refletir o rumo de nossa sociedade cada vez mais maluca, sedo uma das excelentes opções do catálogo da Netflix.

    Nossa nota

    4,2/5,0

    Confira o trailer de Não Olhe Para Cima:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    TBT #266 | ‘Protegendo o Inimigo’ mostra o que o gênero de espionagem tem de melhor

    Protegendo o Inimigo de 2012 é estrelado por Ryan Reynolds e Denzel Washington. O longa conta uma história de gato e rato entre espiões e a CIA.

    CRÍTICA: ‘O Menino e a Garça’ é um desabafo sobre passado, presente e futuro

    O Menino e a Garça é dirigido por Hayao Miyazaki. O longa conta a história do jovem Mahito que precisa resgatar sua mãe em um mundo fantástico.

    CRÍTICA: ‘O Mal que nos Habita’ um álbum de death metal em formato de filme de terror

    O Mal que nos Habita é o mais novo longa de horror argentino que tomou o mundo. Repleto de body horror e sequências de terror, você se surpreenderá.

    TBT #265 | ‘Kill Bill’ é um clássico atemporal de vingança

    Kill Bill Vol. 1 é estrelado por Uma Thurman no papel da Noiva, uma heroína em busca de vingança por tudo que foi tirado dela.