Início FILMES Crítica CRÍTICA – Ninguém Sai Vivo (2021, Santiago Menghini)

CRÍTICA – Ninguém Sai Vivo (2021, Santiago Menghini)

Ninguém Sai Vivo é um filme de terror sobrenatural original da Netflix e conta com a direção de Santiago Menghini e o roteiro de Jon Croker e Fernanda Coppel.

SINOPSE

Uma imigrante ilegal mexicana se muda para uma pensão decadente dos Estados Unidos, mas o que ela não sabe é que coisas macabras acontecem nas sombras desse lugar horripilante.

ANÁLISE

Ninguém Sai Vivo é um filme que apresenta uma linha narrativa focada em um drama pessoal, vivido pela protagonista Ambar, interpretada pela atriz Cristina Rodlo e o outro no aspecto fantasmagórico e sobrenatural.

No que tange à problemática de Ambar, o longa foca nas questões da imigração e foge muito da proposta de ser uma obra assustadora, pois vemos a personagem sofrer, mostrando mais aspectos de drama. De fato, o foco aqui é mostrar a fragilidade de um sistema injusto e como essas pessoas que buscam uma vida melhor sofrem nas mãos de pessoas ruins. A ingenuidade dela é algo que até incomoda, mesmo que Ambar seja uma final girl.

Já no ponto do terror, de positivo, temos a fisicalidade e o gore bem forte. A violência é bem proeminente e isso faz com que as cenas sejam bem impactantes, gerando aquela agonia que queremos ver em longas do gênero. Todavia, a quantidade grande de jump scares e alucinações nos tira bastante do filme, uma vez que são recursos baratos para esconder falhas no aspecto de gerar tensão.

Um dos acertos está na composição dos vilões que são bastante ameaçadores, seja por sua força, seja por sua aparência horrenda e que vai trazer pesadelos para os mais sensíveis. Há aqui uma alegoria de que os mais necessitados são invisíveis e descartáveis e isso é uma boa questão para se refletir em Ninguém Sai Vivo.

VEREDITO

Ninguém Sai Vivo é um filme de terror que apresenta uma mistura de gêneros, mas que por conta disso mostra uma trama quase desconectada. Os sustos são genuínos, mas a quantidade de técnicas que forçam isso puxam um pouco para baixo a experiência. Contudo, mesmo que seja um pouco maçante, o novo longa da Netflix tem pontos interessantes para agradar os fãs do gênero.

Nossa nota

3,0/5,0

Confira o trailer de Ninguém Sai Vivo:

Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

Artigo anteriorCRÍTICA – A Casa Sombria (2021, David Bruckner)
Próximo artigoCRÍTICA | Ataque dos Titãs – Volume 2 (2021, Panini)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.