CRÍTICA – O Amor de Sylvie (2020, Eugene Ashe)

    O Amor de Sylvie é o mais novo longa disponível na Amazon Prime Video e conta com Tessa Thompson (Thor Ragnarok) no elenco.

    SINOPSE

    Sylvie (Tessa Thompson) é uma moça comprometida e apaixonada por música. Quando conhece Robert (Nnamdi Asomugha) vê que seu amor é personificado pelo músico. Agora ela deve lidar com suas escolhas e viver de acordo com o que acredita.

    ANÁLISE

    O Amor de Sylvie é o tipo de filme que nos deixa um pouco irritados por conta de sua protagonista confusa. Por culpa de um roteiro que dá muitas voltas em sua história, a obra acaba se tornando repetitiva em muitos momentos.

    O longa mostra a ambientação dos anos 60 de uma Nova Iorque movida pelo jazz. As cores mais sujas, uma vez que usa tons escuros e soturnos dá uma característica já conhecida em filmes do gênero musical. Ao apresentar Sylvie como uma mulher cheia de conflitos, a direção e roteiro tentam buscar nossa simpatia pela inocência da garota, mesmo que em alguns momentos ela não seja nada ingênua.

    Infelizmente Tessa Thompson mostra pouco interesse na interpretação, pois a sua construção é bastante genérica. Aliás, genérica é a palavra que define todo o elenco, visto que falta vontade aos atores que entregam atuações medianas para ruins, com um destaque negativo para Nnamdi Asomugha que apresenta carisma zero. Seu personagem possui um certo nível de complexidade, entretanto, o ator não consegue entregar uma boa atuação, nos fazendo desejar que Robert seja esquecido no longa.

    De positivo, temos a ambientação e a fotografia que remetem muito bem aos anos 60, por exemplo, além da trilha sonora e figurinos que estão impecáveis. Alguns aspectos do roteiro que mostram as dificuldades das mulheres, principalmente por conta dos costumes patriarcais, são algo a ser comemorados em O Amor de Sylvie.

    VEREDITO

    O Amor de Sylvie é uma obra previsível, pois é cheia de reviravoltas que não vão a lugar algum e atuações medianas. Com um roteiro que tem boas ideias, mas uma execução ruim, uma vez que aborda temas relevantes e traz a música como algo enervante, o longa poderia ter sido mais. Todavia, o desinteresse do elenco não ajuda, tornando o filme dispensável no catálogo da Amazon Prime Video.

    Nossa nota

    2,0 / 5,0

    Confira o trailer do filme:

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    TBT #284 | “Festival Sangrento” tenta emplacar horror, mas falha

    Festival Sangrento é uma curiosa crítica que acaba por abraçar o que ela parece criticar com tanto afinco. O filme falha como um horror, mas pode divertir.

    O que é o Festival de Cannes? Saiba mais sobre o evento anual de cinema e confira 4 recomendações de filmes

    Criado em 1946, o Festival de Cannes é um dos eventos de cinema mais prestigiados do mundo e acontece na cidade de Cannes, na França.

    TBT #283 | ‘Par Perfeito’ surpreende por diversão e espionagem

    Par Perfeito é uma ótima comédia. Lançado em 2010, somos lançados na história do casal Jen e Spencer, cujas vidas mudam em 24 horas.

    CRÍTICA: ‘Furiosa – Uma Saga Mad Max’ é lindo e cromado como todos os filmes da franquia

    Furiosa é o mais novo capítulo da saga Mad Max. Agora, mergulhamos no passado da icônica personagem de Estrada da Fúria.