Início FILMES Crítica CRÍTICA – O Homem que Surpreendeu a Todos (2018, Natasha Merkulova, Aleksey...

CRÍTICA – O Homem que Surpreendeu a Todos (2018, Natasha Merkulova, Aleksey Chupov)

CRÍTICA - O Homem que Surpreendeu a Todos (2018, Natasha Merkulova, Aleksey Chupov)

O Homem que Surpreendeu a Todos está presente no Festival de Cinema Russo, que acontece pela primeira vez no Brasil e também na Austrália, México e Espanha.

O festival online é gratuito e terá sua programação exibida no Brasil através da plataforma Spcine Play, a partir do dia 10 até o dia 30 de dezembro.

PUBLICAÇÃO RELACIONADA: Veja a programação do 1º Festival de Cinema Russo

SINOPSE

Egor (Evgeniy Tsyganov) é um guarda-florestal destemido da taiga siberiana. Ele é um maravilhoso pai de família, respeitado por seus conterrâneos. Mas um dia, Egor descobre que tem uma doença mortal e que nenhum medicamento tradicional, nem a magia xamânica podem salvá-lo. Egor decide lutar contra a doença de uma forma incomum, tentando se tornar uma outra pessoa para enganar a morte. Sua família e seus conhecidos devem se acostumar-se com sua nova personalidade.

ANÁLISE

Em O Homem que Surpreendeu a Todos (Человек, который удивил всех) temos uma grata surpresa, com um drama baseado em um anedota.

O trabalho de direção de Natasha Merkulova e Aleksey Chupov faz com que esqueçamos o real motivo da mudança de personalidade de Egor e parte nosso coração com a homofobia arraigada de um povoado isolado e tradicional, mas ao mesmo tempo, também acalenta o mesmo coração ao mostrar através de Natalia (Natalya Kudryashova), esposa de Egor, que amor vai muito além de aparências.

Enquanto Kudryashova traz uma ampla gama de emoções para dar corpo ao caráter da esposa, Tsyganov é silenciosamente magnífico no papel principal. Ambos vão muito além dos estereótipos de conto folclórico russo, mesmo quando suas atuações seguem caminhos desgastados por uma doença que parece inexorável.

A edição de Vadim Krasnitsky mantém a narrativa suave e fluida; e trabalho técnico é pura simplicidade, seguindo o espírito da busca de Egor da forma mais naturalista possível, sem tentar embelezar a vila lavada de lama e os barracos castigados pelo tempo.

VEREDITO

Enganar a morte pode ser algo difícil de aceitar, mas a forma como O Homem que Surpreendeu a Todos demonstra tal ideia faz com que a premissa fique em segundo plano, quase esquecida e o amor à vida e a família seja o mais importante, independente dos sacrifícios a serem enfrentados.

Com tantos filmes hollywoodianos e alguns nacionais, olhar para fora do tradicional circuito cinematográfico que estamos acostumados pode ser estranho em um primeiro momento, mas muitas vezes surpresas como esta podem ser encontradas.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer (sem legenda):



Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.