CRÍTICA – Persuasão (2022, Carrie Cracknell)

    Persuasão é uma adaptação de uma obra homônima de Jane Austin, dirigida por Carrie Cracknell e protagonizada por Dakota Johnson.

    SINOPSE DE PERSUASÃO

    Anne (Dakota Johnson) é uma mulher que vem de uma família tradicional e muito rica. Ela tem um relacionamento com Wentworth (Cosmo Jarvis), um homem humilde que por conta disso acaba sendo rejeitado por ela por não ter títulos ou fortuna.

    Entretanto, oito anos depois, ele volta como capitão e rico, em busca de uma noiva. Será que Anne viverá novamente esta paixão?

    ANÁLISE

    Persuasão é mais um romance de época que faz parte de diversas obras de Jane Austin que foram para os cinemas ou TV. Logo de cara a ambientação chama bastante a atenção, principalmente com um bom trabalho de Dakota Johnson que é bastante interessante no papel de uma protagonista divertida e irreverente.
    Contudo, o longa carece de muitas coisas para funcionar e agora terei o papel de elencá-las. A primeira e bem marcante são os personagens insuportáveis e esteretipados da obra que prejudicam, e muito, o elenco. O destaque mais negativo é a da atriz Mia McKenna-Bruce que é tão detestável que não conseguia olhar para ela quando entrava em cena.

    Pior que o elenco de apoio é o par romântico de Johnson, Cosmo Jarvis, ator que dá vida ao capitão Wentworth, que tem zero carisma e atua no piloto automático em todo o filme, soltando algumas frases de efeito e tomando alguns cortes precisos de Anne a todo o momento. Vendo o mocinho em tela, é incompreensível que a protagonista em oito anos não tenha achado um pretendente melhor, pois se trata de uma mulher deveras interessante em vários aspectos.

    Sobre a trama, ela é vazia e se resume a diálogos bobos e em algumas cenas constrangedoras como uma específica envolvendo o capitão e uma pretendente em uma escada. É tão bizarro que as sensações arrancadas são constrangimento e risadas, o que definitivamente não é a proposta de Persuasão. Além disso, a toda a hora vemos o elenco de apoio tecendo elogios forçados aos protagonistas, tentando mostrar que eles são interessantíssimos, o que não ocorre verdadeiramente, fora a quantidade absurda de facilitações para que tudo dê certo no final.

    No fim, nada acaba se destacando de fato, pois temos a sensação de estarmos vendo uma adaptação sem fôlego e desinteressante, uma pena, uma vez que Dakota Johnson é competente e tem um grande potencial a ser explorado com melhores trabalhos.

    VEREDITO

    Persuasão

    Persuasão é um longa sem força, que reforça estereótipos de que as mulheres buscam apenas um homem atraente e bem sucedido, mesmo que elas sejam extremamente interessantes em diversos aspectos. Com uma trama boba e fraca, no fim, o que fica apenas é a seguinte lição: se você ver um homem rico e bonito, case-se com ele logo.

    Nossa nota

    2,0/5,0

    Veja o trailer de Persuasão:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme (2022, Netflix)

    O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme continua da animação homônima que foi ao ar originalmente entre 2018 e 2020. O filme da Netflix...

    CRÍTICA – Carter (2022, Jung Byung-Gil)

    Carter é o mais novo filme sul-coreano da Netflix. O filme conta a história de Carter Lee, um agente desmemoriado que precisa lutar para cumprir sua missão.

    CRÍTICA – Lanterna Verde: Tema Meu Poder (2022, Jeff Wamester)

    Lanterna Verde: Tema Meu Poder ou Green Lantern: Beware My Power é uma animação do Tomorrowverse, nova linha de filmes da DC e está...

    Predador e suas melhores versões no cinema

    Com o lançamento de Predador: A Caçada, no Star+, nada melhor que relembrar os melhores yautjas já vistos no cinema. Veja a lista!