Início FILMES Crítica CRÍTICA – Pokémon, o Filme: Segredos da Selva (2020, Tetsuo Yajima)

CRÍTICA – Pokémon, o Filme: Segredos da Selva (2020, Tetsuo Yajima)

CRÍTICA - Pokémon, o Filme: Segredos da Selva (2020, Tetsuo Yajima)

Pokémon, o Filme: Segredos da Selva finalmente está disponível no Brasil. Após um lançamento limitado no Japão em 2020, o mais recente longa da franquia pode ser conferido oficialmente na Netflix.

A plataforma já é a casa de vários outros filmes e séries de Pokémon, e há indícios de que essa parceria ainda irá durar por bastante tempo.

SINOPSE

Zaza cresce na floresta com um solitário Zarude. Ao conhecer Ash e Pikachu, ele descobre o mundo dos humanos – e um plano que ameaça seu lar!

ANÁLISE

Pokémon, o Filme: Segredos da Selva é, basicamente, uma releitura do clássico Tarzan dentro da franquia Pokémon. Ao encontrar um bebê na floresta, Zarude embarca em uma jornada para levar a criança de volta aos seus pais. Sua escolha faz com que ele se afaste de seu bando, que não entende por que um Pokémon deve doar sua existência para ajudar um ser humano.

Paralelamente, Ash está em mais uma jornada com seu fiel escudeiro Pikachu, dessa vez explorando a floresta onde Zaza vive. É difícil saber qual o nível de experiência de Ash nesse longa, pois a linha do tempo não é muito clara.

Apesar de trazer sempre o mesmo início de história, e mesmo a gente sabendo que o Ash será humilhado em algum momento, as histórias de Pokémon possuem um charme próprio e especial que nos fazem querer assistir a todos os lançamentos.

Nesse filme, a sensação não é diferente. Mesmo se tratando de uma premissa um pouco batida, Zaza é um personagem cativante, e existe essa oportunidade de conhecermos melhor como se comportam os míticos Zarude.

CRÍTICA - Pokémon, o Filme: Segredos da Selva (2020, Tetsuo Yajima)

Além de Ash e Pikachu, a Equipe Rocket também está presente na produção. Apesar de serem personagens clássicos, aqui eles são tratados como meros coadjuvantes de luxo, tendo toda a atenção do roteiro voltada para o estabelecimento de Zaza no universo da franquia, e seu conflito sobre ser um humano e um Pokémon.

A animação de Pokémon, o Filme: Segredos da Selva é muito bonita e com gráficos que lembram os filmes clássicos. Entretanto, há uma certa estranheza em alguns pontos da trama, principalmente nas inserções de elementos em 3D. O 3D utilizado possui um acabamento que chama muito a atenção, deixando o objeto completamente deslocado do cenário e personagens.

Naturalmente, o excesso de atenção dado para o recurso acaba atrapalhando a concentração do espectador. Por vezes me peguei prestando mais atenção em como aquele elemento estava ruim na cena do que, de fato, nos acontecimentos da trama. Esses momentos acabam nos desconectando da produção, o que eu acredito ser um ponto muito negativo.

CRÍTICA - Pokémon, o Filme: Segredos da Selva (2020, Tetsuo Yajima)

O vilão da história, e todo o desenrolar de seu plano, são também previsíveis. Existem muitos momentos que necessitam de explicação, mas que as respostas não são encontradas durante a produção.

Entretanto, mesmo com os pontos negativos, Pokémon, o Filme: Segredos da Selva é uma história sensível e positiva, sendo uma boa adição ao catálogo da Netflix e à franquia Pokémon em geral.

VEREDITO

Pokémon, o Filme: Segredos da Selva é um bom entretenimento para toda a família. Trazendo elementos clássicos e apresentando mais sobre Pokémon pouco explorados, o longa é uma divertida e espirituosa animação.

Nossa nota

3,5/5,0

Assista ao trailer

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorCRÍTICA – What If…? (1ª temporada, 2021, Disney+)
Próximo artigoCall of Duty: Warzone | Localização dos bunkers da Segunda Guerra Mundial da Temporada 6
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.