Início FILMES Crítica CRÍTICA – Quanto Vale? (2021, Sara Colangelo)

CRÍTICA – Quanto Vale? (2021, Sara Colangelo)

Quanto Vale? é um filme autoral da Netflix e tem Sara Congelo na direção e Michael Keaton e Stanley Tucci em seu elenco principal.

SINOPSE

Após o terrível ataque terrorista do dia 11/09, um advogado tem a espinhosa missão de realizar um acordo com os familiares das vítimas. 

Agora, ele cria uma fórmula que ranqueia as vítimas por suas rendas, mas a pergunta que deve ser respondida é a seguinte: quanto vale uma vida?

ANÁLISE

Quanto Vale? é o tipo de filme que possui uma fórmula bastante utilizada em longas estadunidenses: um homem luta por um dos lados da moeda, o dos grandes empresários e o outro fica do lado dos pobres e oprimidos, com uma trama jurídica que se estende com diversas mudanças de pontos de vista por conta de discussões sobre ética. 

O longa dirigido por Sara Congelo não foge dessa premissa, indo ao encontro da cartilha citada acima. O advogado Ken Feinberg (Michael Keaton) é frio e segue a risca as normas da constituição. Já sua contraparte, Charles Wolf (Stanley Tucci) é um homem que perdeu sua esposa no atentado e quer justiça para todos os que sofreram perdas irreparáveis e que querem uma compensação financeira que vai pelo menos diminuir a dor. As atuações das duas estrelas da obra são muito bem realizadas, uma vez que eles entenderam muito bem a proposta de seus papéis, encarnando bem seus personagens, mesmo que o roteiro force momentos extremamente artificiais.

No viés artístico, Quanto Vale? traz momentos de pura emoção, pois os relatos são bastante verossímeis a tudo que ocorreu. Do ponto de vista da realidade, a forma na qual atua o escritório de advocacia de Ken foge um pouco do habitual, uma vez que busca  aquele momento catártico, mas de uma forma pouco natural, principalmente por conta do advogado que se sensibiliza de maneira muito rápida.

Uma discussão ética de quanto vale uma vida

No cerne da questão, o filme é muito feliz, pois nos faz pensar a forma como somos vistos por algumas pessoas. O que determina que uma vida vale mais do que a outra? Qual é a fórmula para nos transformar em números diante de uma situação quase impossível de se prever? Como mensurar a dor de quem perde um ente querido? Todas essas perguntas são respondidas de forma muito satisfatória em Quanto Vale?, entretanto, a forma é que é discutível, uma vez que a artificialidade do roteiro é algo que nos incomoda bastante, diminuindo a experiência dentro da proposta formulaica da direção.

VEREDITO

Com um bom elenco, mas situações nada orgânicas, Quanto Vale? nos traz um misto de emoções, pois consegue ser tocante, mas não o suficiente para nos fazer refletir por muito tempo.

Embora tenha momentos marcantes, ainda mais que se trata de um dos capítulos mais tristes da humanidade, o longa carece de espontaneidade, uma pena, já que o potencial está todo ali. Contudo, vale a pena assistir para revivermos uma pouco da nossa humanidade tão abalada na atual conjuntura em que vivemos.

Nossa nota

3,5/5,0

Confira o trailer de Quanto Vale?

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorResident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City | Saiba quem é quem no reboot
Próximo artigoCRÍTICA – Sonic Colors: Ultimate (2021, SEGA)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.