Início FILMES Crítica CRÍTICA – Um Match Surpresa (2021, Hernan Jimenez)

CRÍTICA – Um Match Surpresa (2021, Hernan Jimenez)

CRÍTICA - Um Match Surpresa (2021, Hernan Jimenez)

Um Match Surpresa (Love Hard) é mais uma produção natalina original da Netflix. O streaming tem investido pesado nesse tipo de produção no fim de cada ano, trazendo ótimas opções de filmes e séries para o seu catálogo.

Com roteiro de Daniel Mackey e Rebecca Ewing, e direção de Hernan Jimenez, a produção chegou ao catálogo no dia 5 de novembro.

SINOPSE

Depois de encontrar o match perfeito, uma escritora decide atravessar o país e surpreender o pretendente no Natal, mas quem leva uma surpresa é ela.

ANÁLISE

Um Match Surpresa possui uma trama bem comum. Natalie (Nina Dobrev) é uma garota bonita e solteira que quer muito arranjar um namorado. Desesperada por encontrar seu amor verdadeiro, ela se submete a diversos encontros desastrosos em um aplicativo de paquera.

A personagem trabalha para um site e escreve artigos sobre seus encontros desastrosos, sendo uma celebridade nessa área. Tudo muda quando Natalie finalmente dá match com um rapaz que ela considera perfeito. Engraçado, com diversas referências e, claro, lindíssimo. Bom demais para ser verdade.

Ao surpreender seu web namorado às vésperas do Natal, Natalie descobre que sofreu o famoso catfish. Por meses ela havia mantido contato com Josh Lin (Jimmy O. Yang), um homem visualmente diferente daquele que ela encontrou no aplicativo.

CRÍTICA - Um Match Surpresa (2021, Hernan Jimenez)

Percebendo que caiu num golpe, Natalie faz um acordo com Josh. Ambos vão fingir que são namorados até o Natal, para que a família dele fique orgulhosa. Em contrapartida, Josh irá ajudar Natalie a conquistar Tag (Darren Barnet), o carinha bonito da foto.

Um Match Surpresa perde a chance de aplicar elementos da realidade para forçar um romcom que não entretêm. O roteiro de Daniel Mackey e Rebecca Ewing possui momentos até espirituosos, mas longe de nos manter motivados a torcer pelas resoluções apresentadas em tela.

Nina Dobrev e Jimmy O. Yang são carismáticos, mas não conseguem levar o espectador a se apaixonar, junto com eles, pelo desdobramento da história. Quanto mais estranhas e vergonhosas as situações do longa se tornam, mais sentimos as problemáticas das escolhas criativas.

Em um gênero de filmes tão saturados como o romcom, é até entendível como referências ao filme Simplesmente Amor são sempre utilizadas. Afinal, todos tentam marcar um espaço no imaginário dos espectadores da mesma forma que esse “clássico” do gênero conseguiu, mas poucos estão dispostos a criar cenas marcantes.

CRÍTICA - Um Match Surpresa (2021, Hernan Jimenez)

Um Match Surpresa infelizmente parece reciclar diversos outros filmes do gênero, mas deixa de lado o fator crucial para que essas comédias românticas deem certo, que é causar emoção. Sem promover risadas, nem momentos apaixonantes, a produção não atinge nenhum de seus objetivos.

VEREDITO

Um Match Surpresa é um desses filmes que infelizmente não trazem nada de novo, mas que podem servir de passatempo para o seu final de semana.

Nossa nota

1,5 / 5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorCRÍTICA – Exército de Ladrões: Invasão da Europa (2021, Matthias Schweighöfer)
Próximo artigoCRÍTICA | Dexter: New Blood – S1E1: Cold Snap
Relações-Públicas de formação. Com pós-graduação em Star Wars e universo expandido, mas Trekker de coração. Defensora de todos os Porgs, Ewoks e criaturas fofinhas da galáxia.