CRÍTICA – Uncharted: Fora do Mapa (2022, Ruben Fleischer)

    Uncharted: Fora do Mapa é a versão live-action da franquia de games da Naughty Dog estrelado por Tom Holland e Mark Wahlberg. O filme conta a história de Nathan Drake (Tom Holland) que sobrevive por pequenos golpes que aplica enquanto trabalha como bartender. Sua vida muda quando ele conhece o também golpista Victor Sully (Mark Wahlberg). Após um enorme atraso em seu lançamento, Uncharted: Fora do Mapa foi lançado em 2022 nos cinemas de todo o mundo.

    Mesmo que não tenha sido bem recebido, o filme conta com sequências de tirar o fôlego enquanto tenta fazer jus à contraparte de Nathan Drake que viríamos a conhecer na história dos games, ou seja, Fora do Mapa funciona como uma prequela dos games.

    SINOPSE

    Nathan Drake e seu parceiro canastrão Victor “Sully” Sullivan embarcam em uma perigosa busca para encontrar o maior tesouro jamais encontrado. Enquanto isso, eles também rastreiam pistas que podem levar ao irmão perdido de Nathan.

    ANÁLISE

    Uncharted: Fora do Mapa

    Enquanto se distancia bastante do material fonte, o filme já nos apresenta já em seu começo um retcon que foi feito na história de Nathan Drake apenas no quarto game da franquia, em que somos apresentado à Sam Drake. O filme nos leva até a história de Nathan anos antes de o acompanharmos em suas histórias nos games. Com momentos de tirar o fôlego, descobrimos a história de Nathan e Sully enquanto são encarregados de uma missão que não parece nada fácil, e descobrimos também que a história dos dois personagens centrais da trama, se diferem bastante de suas contrapartes dos games.

    Ainda que tenha assistido à contragosto, preciso admitir que ver Tom Holland como Nathan é satisfatório. E por mais que distancie de sua contraparte do material fonte, o filme nos deixa curiosos à cada uma de suas curvas.

    Quando nos deparamos com o vilão de Antonio Banderas, que por algum motivo acha que o tesouro de Fernão de Magalhães o pertence, vemos que Santiago Moncada é apenas um vilão com boas motivações mas péssimos arcos em filmes que adaptam games.

    Tendo tirado em grande parte inspiração do plot de Uncharted 4: A Thief’s End, Uncharted: Fora do Mapa muda imensos detalhes, bem como as lendas que giram em torno da vida de Drake e suas motivações. Ao dar vida à uma versão mais ingênua e jovem de Drake, Tom Holland dá espaço para que a marca registrada de Nathan Drake se destaque no longa.

    E agora, com Sam presente na trama desde seus primeiros minutos, seu desaparecimento é o mcguffin necessário para mover a trama para a frente, bem como motivar as ações de Nathan Drake.

    VEREDITO

    Uncharted: Fora do Mapa

    Por mais que Fora do Mapa nos apresente novos elementos da vida de Drake, o primeiro filme da PlayStation Studios nos apresenta um futuro promissor em relação às suas produções. Ver a história de Drake e entender a importância do material fonte do filme, é entender que ele se distancia do filme original por um motivo. Ao entregar aspectos do grandioso A Thief’s End em seu primeiro filme, o próximo filme precisa alçar o sarrafo à uma nova altura.

    O Nathan Drake de Tom Holland merece ser assistido e pode servir como um elemento que vai despertar a curiosidade de futuros jogadores da franquia. O filme é um belo divertimento que nos permite entender e mergulhar de cabeça à uma aventura Fora do Mapa.

    Uncharted: Fora do Mapa está disponível no HBO Max.

    Nossa nota

    4,0 / 5,0

    Confira o trailer do filme:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme (2022, Netflix)

    O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme continua da animação homônima que foi ao ar originalmente entre 2018 e 2020. O filme da Netflix...

    CRÍTICA – Carter (2022, Jung Byung-Gil)

    Carter é o mais novo filme sul-coreano da Netflix. O filme conta a história de Carter Lee, um agente desmemoriado que precisa lutar para cumprir sua missão.

    CRÍTICA – Lanterna Verde: Tema Meu Poder (2022, Jeff Wamester)

    Lanterna Verde: Tema Meu Poder ou Green Lantern: Beware My Power é uma animação do Tomorrowverse, nova linha de filmes da DC e está...

    Predador e suas melhores versões no cinema

    Com o lançamento de Predador: A Caçada, no Star+, nada melhor que relembrar os melhores yautjas já vistos no cinema. Veja a lista!