Noites Sombrias #111 | A Morte do Demônio e a importância de sua origem

    A Morte do Demônio ou internacionalmente conhecido como Evil Dead e lançado aqui no Brasil anteriormente como Uma Noite Alucinante, é uma franquia do terror trash que ganhou o status de cult; entretanto, a cada novo capítulo de sua trajetória encontra um novo caminho para impressionar seus fãs e angariar outros novos.

    Mas na edição de hoje do Noites Sombrias vamos falar a respeito do começo desta franquia que tem uma grande fanbase e, sempre que pensamos que morreu (o demônio e a franquia), volta com mais uma nova história.

    Ao todo foram lançados cinco filmes, sendo a produção mais recente A Morte do Demônio: A Ascensão, lançada em abril de 2023. Apesar de estar no seu quinto filme, existe uma lacuna de tempo muito grande entre cada um deles, o que em diversos momentos colocou em dúvidas o futuro da franquia.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | CRÍTICA – A Morte do Demônio: A Ascensão (2023, Lee Cronin)

    Ideia originada de uma curta-metragem

    Bruce Campbell (esquerda) e Sam Rami (direita).

    O primeiro filme foi lançado em 1981, mas sua origem ocorre três anos antes com um curta-metragem chamado Within the Woods cuja ideia era angariar investidores. Desta forma e com a ajuda de Stephen King, o estúdio New Line Cinema aceita distribuir o filme e, apesar de uma bilheteria doméstica baixa, o filme consegue uma bilheteria positiva.

    Por trás deste filme estão Sam Raimi e Bruce Campbell, que são amigos de longa data e começaram a trabalhar juntos em filmes curta-metragens anteriores, assim chegando a Within the Woods cuja inspiração veio de H.P. Lovecraft, trazendo de suas história o livro Necronomicon.

    PUBLICAÇÃO RELACIONADA | Noites Sombrias #83 | As melhores adaptações de H.P. Lovecraft

    As filmagens, como em todo primeiro projeto, tiveram seus problemas; tanto pela falta de verba, quanto pelas ideias que a equipe teve para realizar a captação de cena. Além de acontecimentos variados, como se perder na floresta para encontrar a cabana ou problemas com as lentes de contato para os olhos demoníacos.

    Curiosidades

    Há algumas curiosidades sobre este processo de criação, algumas mais engraçadas e outras mais interessantes. Sendo a primeira relacionada a cena de perseguição da força invisível, que nada mais era que o próprio Sam Raimi correndo na floresta com uma câmera presa a um equipamento improvisado.

    Além de Raimi outros operadores utilizaram o improviso para fazer tomadas ao redor do pântano. Mas devido a névoa da região se tornou um trabalho muito difícil de se realizar.

    Para realizar as tomadas em ângulos holandeses, foram improvisadas plataformas em toda a área da floresta, pois não se havia recursos para comprar uma câmera adequada para o movimento. Assim se conseguiria a ambientação que Sam Raimi desejava, com uma sensação de movimento mais fluída.

    Outro fato que ocorreu está relacionado a atriz Betsy Baker, que perdeu os cílios ao remover a máscara da versão demoníaca de sua personagem. Neste aspecto, a região de locação era muito isolada, se tornando difícil procurar uma assistência médica se necessário.

    Além do máximo conforto do elenco diante das circunstâncias, Raimi utilizou dublês de corpo em cenas que seriam consideradas mais violentas ou constrangedores. Em algumas cenas, até o próprio diretor, assim como seu irmão Ted Raimi serviram de dublês de corpo em momentos que o elenco não se sentia confiante ou confortável a realizar.

    Classificação indicativa, recepção e um legado histórico ao gênero

    Noites Sombrias #111 | A Morte do Demônio e a importância de sua origem

    Após longas filmagens e um material que foi muito além dos 65 minutos que estavam previstos do roteiro, seu corte final ficou em 85 minutos. Sendo que originalmente o filme duraria em torno de 117min. após a primeira edição.

    O filme recebeu a classificação X, de forma a entrar na lista de Video Nasties, onde apenas filmes extremamente violentos ou de entretenimento adulto eram encaixados. Na época de seu lançamento Uma Noite Alucinante era considerado muito violento, sendo comparado a outros longas como Doce Vingança (1978) e Holocausto Canibal (1980).

    A recepção da época foi muito favorável, considerado por críticos um clássico já naquele período. Além de ser elogiado como um filme inventivo devido ao seu baixo orçamento, de forma a sua resposta positiva também refletir em bilheteria, faturando oito vezes mais que o orçamento.

    Com o passar das décadas, sequências e obviamente mais investimentos, o filme se estabeleceu como uma franquia do gênero trash de terror. Conquistando uma legião de fãs que sempre ansiosamente esperam por mais um novo capítulo deste universo.


    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Segredos de um Escândalo’ instiga, mas falha ao entregar narrativa incômoda

    Segredos de um Escândalo é o mais novo suspense estrelado por Julianne Moore e Natalie Portman. O longa adapta uma história real.

    TBT #264 | ‘Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal’ diverte, mas falha em entregar legado

    Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal é um dos muitos longas legados lançados nos anos 2000. O longa acompanha o amado Indy.

    CRÍTICA – ‘Bob Marley: One Love’ a voz do amor em tempos de guerra

    Bob Marley: One Love lança os espectadores por história emocionante, com músicas sobre amor, perseverança e biografia respeitosa.

    Ícones do Big Brother Brasil: Celebrando os vencedores excepcionais

    Enquanto esperamos para saber quem será o novo vencedor do reality show, vamos relembrar os vencedores mais marcantes do Big Brother Brasil!