Início FILMES Crítica TBT #111 | Hamilton: An American Musical (2015, Lin-Manuel Miranda e Thomas...

TBT #111 | Hamilton: An American Musical (2015, Lin-Manuel Miranda e Thomas Kail)

Hamilton: O fenômeno musical que você precisa conhecer

Após quase sete anos de sua estreia nos palcos da Broadway, Hamilton: An American Musical foi disponibilizado em julho de 2020 no streaming Disney+.

O musical que é um fenômeno revolucionário é uma obra de Lin-Manuel Miranda com direção de Thomas Kail.

No elenco ainda estão Leslie Odom Jr., Phillipa Soo, Renée Elise Goldsberry e Daveed Diggs.

SINOPSE 

Após uma vida infortuna em sua terra natal nas Ilhas Caribenhas, o órfão Alexandre Hamilton (Lin-Manuel Miranda) embarca para Nova Iorque. No verão de 1776, ele conhece Aaron Burr (Leslie Odom Jr.); seu primeiro amigo e inimigo.

Então com 19 anos, Hamilton se junta à revolução americana ao lado de Marquis de Lafayette (Daveed Diggs), John Laurens (Anthony Ramos) e Hércules Mulligan (Okieriete Onaodowan).

Logo, o bastardo revolucionário ganha fama e vira braço direito de George Washington (Christopher Jackson) na guerra. Mas, com o tempo, sua personalidade irreverente desperta amor e ódio no seio da nova nação.

ANÁLISE

Não existem dúvidas de que Hamilton: An American Musical é um fenômeno visual, musical, social e até mesmo histórico. Nunca antes na história da Broadway, um único show foi corajoso o suficiente ao apresentar novos conceitos ao mesmo tempo que deixava para trás estigmas e preconceitos.

O musical é fruto do trabalho árduo de Lin-Manuel Miranda, o idealizador por trás dessa verdadeira revolução cultural.

Dessa forma, é interessante compreender como Hamilton ainda continua sendo tão relevante e referenciado após quase sete anos de sua estreia nos palcos. O fato é que o musical foi um fenômeno mesmo antes de chegar ao grande público, já na Broadway a narrativa inovadora e envolvente pegava de surpresa até mesmo os mais críticos.

Logo, Hamilton: An American Musical com certa proeza ultrapassou os teatros de Nova Iorque e ganhou o mundo. Qualquer um que se interessa por cinema já tinha ao menos ouvido falar do musical e não é segredo que rondava pela internet uma versão não legal do show. Contudo, tudo mudou quando a Disney disponibilizou o musical em sua plataforma de streaming.

De certa forma, tanto a Broadway, como o teatro em si sempre foi considerado um meio elitista. Se já era difícil ter pessoas não brancas nos palcos, imagine assistir a um espetáculo. Porém, com a Disney+, todos os fãs de Hamilton e os que viriam a ser ponderam ver a performance em uma qualidade exuberante dentro de suas casas.

Não à toa, Hamilton: An American Musical também inovou no sentido multimídia. O musical que já venceu onze Tony Awards, um Grammy Awards e também um Pulitzer acaba de ser indicado ao Globo de Ouro, SAG Awards e Critics Choice Awards em 2021.

Tantos prêmios exemplificam a importância do show, porém, é preciso entender como e porque esse musical de época influencia tanto a nossa atual sociedade.

Quem conta a história de Hamilton

Alexander Hamilton não era uma figura tão conhecida até o musical que contou sua história. Como um dos pais fundadores da América caiu no esquecimento devido a escândalos em sua vida. Contudo, ao resgatar a história desse homem, Lin-Manuel Miranda visualizou uma história contemporânea que ia até mesmo além dos Estados Unidos.

Consequentemente, Hamilton trouxe um elenco diverso com pessoas de diferentes etnias e culturas. Além disso, incrementar a narrativa com estilos desde o rap, jazz e ritmos latinos foi como abrir uma nova porta no ramo de musicais. Para mais, o show traz performances incríveis com base na dança contemporânea e um palco giratório espetacular.

Logo, a produção de Hamilton: An American Musical contribui para sua chama principal: as músicas que contam uma história. Alexander Hamilton é um bastardo revolucionário que chega a Nova Iorque com um sonho de se provar; ele é inteligente, charmoso e astuto. Na grande cidade, o jovem se junta à revolução com seus amigos Aaron Burr, Marquis de Lafayette, John Laurens e Hércules Mulligan.

Porém não demorou muito para os esforços de Hamilton chamassem a atenção de George Washington. O revolucionário se torna braço direito do general escrevendo todas as suas cartas. Durante a guerra, ele conhece as irmãs Elisa (Phillipa Soo) e Angelica Schuyler (Renée Elise Goldsberry). Ainda que Alexander e Angelica tenham desenvolvido sentimentos, é com a irmã mais nova, Elisa, que ele se casa.

Após a guerra, Hamilton vai trabalhar como tesoureiro no governo de Washington. Sua fama o precede e ele escreve a constituição americana na tentativa de tornar a nação mais igualitária. Porém, é no segundo ato do show que o público vê a queda de Hamilton. Em sua busca por legado, ele perde sua família e carreira.

Nesse sentido, Hamilton é como tal uma história do hip hop, sendo sua narrativa construída sobre a ascensão e queda de um indivíduo renegado pela sociedade. Além disso, as músicas espetaculares criadas por Lin-Manuel Miranda transmitem toda a comoção desses personagens da vida real. Esse é um musical sobre a América do passado, mas quem de fato contou a história de Alexander Hamilton foi a América do futuro.

VEREDITO

É praticamente impossível falar tudo sobre Hamilton: An American Musical. Porém, é necessário relembrar o quanto essa produção foi inovadora e desafiadora ao ser acima de tudo, representatividade. Por isso, é uma obra atemporal que faz jus a América que dia após dia luta e sobrevive.  

Nossa nota

5,0 / 5,0

Assista ao trailer legendado:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.