Início FILMES Crítica TBT #151 | O Filho de Chucky (2004, Don Mancini)

TBT #151 | O Filho de Chucky (2004, Don Mancini)

O Filho de Chucky

O Filho de Chucky é o filme escolhido para o TBT #151 e conta a direção de Don Mancini, criador da franquia que tem como protagonista o boneco Chucky.

SINOPSE DE O FILHO DE CHUCKY

Em Hollywood, um grupo de cineastas decide gravar um filme do Brinquedo Assassino com os bonecos Chucky e Tiffany que estão inanimados. Entretanto, um filho perdido deles surge e os revive, criando um clima de terror e mortes novamente.

ANÁLISE

O Filho de Chucky

A franquia do Brinquedo Assassino sempre foi galhofa, mas trazia em seu subtexto diversos assuntos complexos, principalmente ligados à pauta LGBTQ+. Em O Filho de Chucky, o roteiro entra de cabeça nessas questões, pois aqui temos um personagem não binário que tem questões internas sufocantes, tentando se encontrar no mundo.

No aspecto de terror, o longa é bastante tosco, bebendo da fonte do cinema trash. Os planos em primeira pessoa e o gore exacerbado trazem uma estética um pouco mais caprichada, mesmo que seja pobre visualmente com muitos efeitos práticos devido ao baixo investimento. Quanto às atuações, o longa tem a mesma intensidade de filmes pornô dos anos 90.

Todavia, o roteiro traz elementos interessantes de discussão como, por exemplo, a toxicidade da indústria, que explora os corpos femininos e que subvaloriza seus profissionais. Além disso, as questões de Glen/Glenda são a cereja do bolo de um texto bem elaborado de como um personagem pode ser complexo mesmo em um filme galhofa.

Chucky e Tiffany também possuem arcos relevantes, uma vez que abordam a temática de que nossa natureza nos define, mesmo que tentemos mudá-la.

VEREDITO

Com um design pastelão, mas um roteiro complexo nas entrelinhas, O Filho de Chucky é um filme bastante peculiar no gênero slasher. Para os fãs da franquia, tudo está ali, com vários easter eggs. Para quem desconhece o brinquedo mais zoeiro do mundo, fica a obra por si só que é entretenimento tosco, mas que nos faz pensar um pouco.

Nossa nota

4,0/5,0

Confira o trailer de O Filho de Chucky:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorCRÍTICA – Marsupilami: Hoobadventure (2021, Microids)
Próximo artigoCRÍTICA – O Surto (2021, Aneil Karia)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.