TBT #184 | Espíritos: A Morte Esta ao Seu Lado (2004, Banjong Pisanthanakun e Parkpoom Wongpoom)

    O TBT desta semana explora o cinema de horror asiático com o filme tailandês Espíritos: A Morte Esta ao Seu Lado (Shutter, título original), escrito e dirigido por Banjong Pisanthanakun e Parkpoom Wongpoom. O longa também ganhou uma adaptação estadunidense com o título Imagens do Além (2008) e até mesmo uma versão indiana. 

    SINOPSE

    Thun (Ananda Everingham), um jovem fotógrafo, e sua namorada Jane (Natthaweeranuch Thongmee) atropelam acidentalmente uma pedestre. Eles fogem da cena do crime e retornam às suas vidas normais, em Bangkok. A partir de então Jane passa a ser atormentada por estranhos pesadelos, enquanto Thun nota que em suas fotos aparecem estranhas figuras, parecidas com fantasmas. O casal decide investigar o fenômeno e encontra outras fotografias com imagens sobrenaturais. 

    ANÁLISE

    O cinema asiático raramente falha quando o assunto é filmes de horror, o que consequentemente, leva outros países a copiarem essas obras para seus idiomas. Alguns filmes de horror estadunidenses, como O Chamado (2002) e O Grito (2004) são adaptações de filmes asiáticos que geraram sucesso o suficiente para despertar curiosidade no público pelas versões originais, no caso Ringu (1998) e Ju-On: The Curse (2000), respectivamente.   

    E o caso se repete com Espíritos: A Morte Esta ao Seu Lado que recebeu uma adaptação hollywoodiana muito longe de sua magnitude. A questão é que o modo de fazer cinema asiático é especialmente único com técnicas cinematográficas que buscam ressaltar o terror, ainda que as narrativas não sejam todas as mais primorosas. 

    Contudo, o filme de Banjong Pisanthanakun e Parkpoom Wongpoom apresenta uma história consistente e uma direção pontual nos mínimos detalhes. Thun é um fotógrafo que através de suas imagens descobre que a ex-namorada Natre (Achita Sikamana) está o assombrando. Com sua atual namorada Jane, eles passam a vivenciar situações sinistras e ameaçadoras. 

    Em um primeiro momento é confuso a aparição de Natre para Thun, visto que o personagem não parece o tipo vilão, porém, seu passado é revelado ao longo do filme o que dá motivos de sobra para a assombração. Já Jane, faz o papel da namorada compreensível, mas encarregada de desvendar o mistério custe o que custar. 

    Ainda que o filme utilize de um recurso narrativo já batido, afinal “espírito vingativo” existem aos montes nos filmes asiáticos, é interessante como a história conduz para assuntos delicados e complexos. Natre é uma vítima de uma sociedade machista e opressora; e Thun tem total culpa. Por isso, de certa forma, o final do longa é tão emblemático e condizente, o que lembra que nem sempre os protagonistas merecem redenção. 

    Mas, o que de verdade eleva esse longa são suas técnicas cinematográficas e boas sacadas. O filme utiliza a câmera fotográfica como um recurso narrativo, até mesmo como um espectador; é através dela que vemos as primeiras aparições de Natre e também a mais significativa.

    Já o processo de revelar a foto, através de um quarto com luz vermelha é o suficiente para instaurar o clima tenso que se intensifica com o uso das polaroides. A edição de som também é bastante relevante, visto que, ao utilizar essas câmeras mais antigas, o filme aproveita o som da captura para criar ótimos jump scares.

    Espíritos: A Morte Esta ao Seu Lado é um filme intuitivo que utiliza de um objeto simples do dia a dia, uma câmera fotográfica, para criar um verdadeiro ode ao horror. Até mesmo o imaginário popular é cheio de histórias sobre aparições fantasmagóricas em fotografias, como se uma imagem pudesse capturar a alma de uma pessoa que vaga entre os vivos. O longa sabe utilizar esses artifícios muito bem, criando uma história extremamente energizante e aterrorizante. 

    VEREDITO

    O longa tailandês Espíritos: A Morte Esta ao Seu Lado é um ótimo filme para entrar no universo do cinema de horror asiático. O filme contém tanto os clichês do gênero, como também as técnicas que tornam o cinema asiático único. 

    Nossa nota

    4,0 / 5,0

    Assista ao trailer legendado:

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme (2022, Netflix)

    O Despertar das Tartarugas Ninja: O Filme continua da animação homônima que foi ao ar originalmente entre 2018 e 2020. O filme da Netflix...

    CRÍTICA – Carter (2022, Jung Byung-Gil)

    Carter é o mais novo filme sul-coreano da Netflix. O filme conta a história de Carter Lee, um agente desmemoriado que precisa lutar para cumprir sua missão.

    CRÍTICA – Lanterna Verde: Tema Meu Poder (2022, Jeff Wamester)

    Lanterna Verde: Tema Meu Poder ou Green Lantern: Beware My Power é uma animação do Tomorrowverse, nova linha de filmes da DC e está...

    Predador e suas melhores versões no cinema

    Com o lançamento de Predador: A Caçada, no Star+, nada melhor que relembrar os melhores yautjas já vistos no cinema. Veja a lista!