TBT #94 | Django Livre (2012, Quentin Tarantino)

    Amantes de Tarantino! Assemble! Fugindo dos meus TBTs com Tom Cruise, hoje trago pra vocês uma das maiores obras (na minha opinião) deste diretor. Com um elenco de peso, Django Livre (ou Django Unchained do original) conta a história de um escravo que acaba sendo liberto por um caçador de recompensas e vai em busca de sua esposa comprada por outros escravagistas.

    Este filme é totalmente Tarantino. Duração excessiva (2h 44min), gore excessivo, dilemas excessivos. Tudo em excesso, mas em perfeito equilíbrio, tornando esta uma obra tarantinesca clássica e fazendo você ficar sem fôlego do início ao fim.

    A TRAMA

    Django Livre

    A parceria entre Django (Jamie Foxx) e o caçador de recompensas Dr. King Schultz (Christoph Waltz) começa de forma inusitada, onde este promete a liberdade do ex-escravo como condição de ele ajudá-lo a capturar os procurados Irmãos Brittle. Esta cena dita o ritmo e o tom do filme, tendo seu passo ditado pela ira e obstinação de Django.

    O que a princípio seria apenas uma busca por recompensas de Schultz se torna uma ode à vingança e à liberdade de Django. O peso da cena só é amenizado pela carga de humor que Quentin Tarantino faz questão de misturar em seus banhos de sangue.

    A partir daí, a amizade entre os dois personagens se estreita e o caçador de recompensas concorda em ajudar o protagonista a encontrar e libertar sua esposa, Broomhilda Von Shaft (Kerry Washington). Sim, aqui a referência à Shaft, o blaxploitation de 1971, é nítida e intencional.

    CURIOSIDADES

    Na verdade, este foi um dos principais problemas que o diretor teve com a obra, por ser alvo de duras críticas do também diretor Spike Lee, em razão de o filme representar o período de escravidão como um western spaghetti, e não como, em suas palavras, um holocausto.

    Apesar desta enfática crítica, Tarantino não se absteve de inserir cirurgicamente um deboche aos racistas na cena da cavalgada dos supremacistas brancos da Ku Klux Klan com seus capuzes nada práticos.

    Esta também foi uma crítica ao cineasta John Ford, que insistiu em participar de uma cena semelhante e alegou a mesma (patética) dificuldade.

    O ELENCO

    Django Livre

    O papel principal poderia ter sido de Will Smith (conforme as intenções do diretor), mas quis o destino que Jamie Foxx assumisse (com maestria) o papel e, nessa brilhante parceria com Waltz, construíssem uma eletrizante e interessante obra.

    Falando em atuações, a de Leonardo Di Caprio já era digna de Oscar neste filme. A entrega do ator foi tamanha que é possível gerar uma repulsa e admiração mútuas em cada minuto que Calvin Candle, o proprietário de escravos, está em cena. Não podemos deixar de considerar que talvez o peso da atuação tenha sido tamanho graças à presença de Samuel L . Jackson como Stephen, o escravo racista e rancoroso.

    VEREDITO

    Vá ao banheiro, arrume o sofá confortavelmente, separe uma coberta caso esteja frio ou ligue o ar condicionado em caso de calor, prepare um lanche (nada muito pesado porque o filme já é bastante), uma bebida e aproveite a longa duração de uma das mais incríveis películas do tio Quentin.

    Minhas recomendações em relação a este filme são absolutamente positivas. Caso você tenha estômago fraco ou não curta muito sangue. Bem, meu bem. Por que chegou até aqui sabendo que é um filme do maior amante do gore da sétima arte? Convenhamos, Django Livre não é um filme para assistir com o crush no primeiro encontro (ou talvez, sim?). Mas vale cada minuto investido.

    As atuações são formidáveis, a trama é cheia dos plot twists característicos do cineasta e as piadas muito bem inseridas ajudam a levar o denso filme até um final bastante satisfatório.

    Se ainda não assistiu, faça esse bem por você mesmo e assista. Assista outros filme do Tarantino também. Assista todos!

    Se bem que, melhor nem todos. Mas enfim. Assista os que quiser. Mas se quiser me dar um voto de confiança, assista Django Livre e volte aqui pra me dizer o que achou. 

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Confira o trailer do filme:

    E você, já assistiu Django Livre? Deixe sua avaliação e seus comentários. E lembre-se de ver as indicações anteriores do TBT do Feededigno.

    Nota do público
    Obrigado pelo seu voto

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Elvis (2022, Baz Luhrmann)

    Protagonizado por Austin Butler e Tom Hanks, Elvis é o novo longa de Baz Lurhmann. Confira nosso review da produção.

    Elvis: Quem é o elenco do filme do Rei do Rock?

    O visionário cineasta Baz Luhrmann, indicado ao Oscar, dirige o drama Elvis, estrelado por Austin Butler e Tom Hanks, ator vencedor do Oscar.

    CRÍTICA – Francis Ford Coppola: O Apocalipse de Um Cineasta (1991, MUBI)

    Francis Ford Coppola: O Apocalipse de Um Cineasta é um documentário lançado em 1991 e está disponível no catálogo do MUBI.

    Astros de Harry Potter que já morreram e talvez você não sabia

    Essa lista é uma homenagem a personagens de Harry Potter que marcaram nossas lembranças e seus intérpretes já não estão mais entre nós.