CRÍTICA – A Musical Story (2022, Glee-Cheese Studio)

    Seguindo nossa rotina de admiração aos jogos indie, o Glee-Cheese Studio, um pequeno estúdio de games francês que tem como proposta desenvolver jogos inovadores e com uma vibe artística, brindou o mundo com A Musical Story.

    O estúdio é composto por Charles Bardin, Alexandre Rey, Maxime Constantinian e Valentin Ducloux. Todos têm em comum habilidades e inspirações artísticas, que os uniram e nortearam o propósito do estúdio e do jogo.

    Além desta equipe com sinergias e habilidades peculiares, A Musical Story conta com a parceria da Digerati Games, uma distribuidora norte-americana dedicada à promoção de jogos indie promissores.

    SINOPSE

    A Musical Story é um jogo rítmico que tem como pano de fundo a década de 1970. Explore as memórias de Gabriel, um jovem tentando entender a situação que está passando por meio da ligação com sua memória musical.

    ANÁLISE DE A MUSICAL STORY

    Talvez me falte experiência em jogos de ritmo, mas posso dizer com segurança que nunca joguei nada como A Musical Story. Claro, por ser um jogo rítmico e musical, muitos podem relacioná-lo com jogos como Guitar Hero ou o mais recente Beat Saber.

    Mas ainda assim, A Musical Story é diferente. Sem o uso de diálogos, este é um game que conta uma história através de sons e imagens. E o foco é exatamente contar a história.

    Mecanicamente, a exigência é de apenas dois botões. A única interação com o jogo, em teoria, é pressionar o botão para a esquerda ou para a direita, conforme orientação em tela. É tão básico que você pode usar qualquer botão de seu controle que esteja em cada hemisfério para cumprir as funções.

    Um jogo rítmico diferente

    Porém, o jogo é mais do que isso. E a principal diferença para outros jogos de ritmo é justamente não ter (pelo menos não inicialmente) o auxílio visual. A Musical Story é um jogo sobre sentir. Sentir a música e a história. A tela indica o botão que representa a nota. Mas a sensibilidade para identificar, durante o andamento da música, quando aquela nota entra, é bem mais complexa.

    Conheça A Musical Story, um indie rítmico do francês Glee-Cheese Studio que conta uma história linda através de belas imagens e boa música

    Não sou músico nem tenho muita intimidade com teoria musical, e muito menos ritmo. No entanto, é possível que este jogo tenha me ensinado um pouco sobre instrumentos musicais e música no geral. E mais do que isto, ele conta a história com peso, beleza e precisão. Basta se permitir sentir a música e apreciar o lindo estilo de arte.

    A música

    É impossível comentarmos sobre um jogo musical e não falar especificamente sobre a música. Ainda mais para este, onde a música serve também ao papel de contar a história.

    A trilha sonora do jogo é de inteira composição dos próprios Charles Bardin e Valentin Ducloux, contando ainda com a participação nos vocais de Priscilla Cucciniello. As músicas são compostas especificamente para cada capítulo da história e ajudam a contar muito bem cada detalhe da trama, sem o uso de diálogos.

    O jogo conta então com 26 trilhas originais, sendo uma só desbloqueada após completar todos os capítulos sem erros. Pela história fazer alusão à década de 1970, as inspirações para as canções são artistas de pouca expressão, como Pink Floyd, Jimi Hendrix e Led Zeppelin [/ironia].

    VEREDITO

    Apesar de conseguirmos completar a história principal, sem maestrias, em menos de 3 horas durante duas lives (parte 1 e parte 2), não consigo considerar o jogo curto. Gostaria de poder curtir mais horas nele? Sim. E estou rejogando os capítulos só pra poder aproveitar mais de cada canção. Mas não ser um jogo extenso, neste caso, não é um contra de A Musical Story.

    Apesar deste já ser um indie que estava em meu radar há um tempo, confesso que o pessoal da Glee-Chesse Studio conseguiu superar minhas expectativas.

    Tenho valorizado bastante jogos bonitos, que contam uma história de maneira diferente e ainda te permitem sentir cada momento. É como se A Musical Story conseguisse acessar um sentido que não é estimulado em outros games, trazendo quase um estado de transe. Tenho chamado os jogos que conseguem este mérito de “jogos gostosos”.

    É possível adquirir A Musical Story para PC (via Steam e Epic) por R$ 28,99, para Nintendo Switch por R$ 80,62 e para PlayStation 4 e 5 por R$ 79,90. Infelizmente a vida dos jogadores de console ainda não foi facilitada, mas o valor para PC está bastante honesto e vale muito o investimento.

    Nossa nota

    4,5 / 5,0

    Confira o trailer de A Musical Story:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas. Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Sonic Origins (2022, Sega)

    Sonic Origins é a mais nova coletânea da Sega. A coletânea conta com os jogos clássicos da franquia com novos modos de jogo.

    Sonic Origins: Conheça os Cheats do game

    Sonic Origins foi lançado, além de games conhecidos dos fãs, trazemos cheats para que você os jogue da forma que quiser.

    Noites Sombrias #72 | 10 games mobile assustadores

    A todo momento games mobile são lançados; e entre as muitas opções separamos uma lista com 10 títulos para fazer gelar seu sangue!

    CRÍTICA – Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge (2022, DotEmu, Gamera Games)

    Após anos longe dos games, as Tartarugas Ninjas estão de volta em Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge!