CRÍTICA – Aka (2022, Neowiz Games)

    Aka é um jogo desenvolvido pela Cosmo Gatto e distribuído pela Neowiz Games. Lançado em 14 de dezembro, o game está disponível para Nintendo Switch e PC.

    Confira abaixo nossa crítica para o Nintendo Switch.

    SINOPSE

    Encontre a paz interior num pequeno jogo de mundo aberto. Nestas ilhas cuidadosamente feitas à mão, você pode tirar uma soneca num monstro gigante, alimentar bebês dragões, cuidar da fauna e da flora… mas demônios do seu passado podem voltar para lembrar você de algo que prefere esquecer.

    ANÁLISE DE AKA

    Aka possui uma temática muito interessante: a busca por fazer as pazes com si mesmo e com o mundo após um momento de guerra. A personagem principal, um panda vermelho, viveu momentos terríveis durante a guerra e, agora, quer ajudar os espíritos a encontrarem seu caminho e se doar para construir um mundo melhor.

    Como uma ideia de simulação de vida e missões, Aka possui um mini mundo aberto a ser desbravado pelo jogador. Além da ilha onde Aka mora, há também outras três ilhas a serem exploradas e uma cidade com um mini centro comercial.

    Além das missões específicas, como ajudar alguma alma que está sofrendo, ou curar ferimentos dos animais que vivem na ilha, Aka também possui alguns mini games. Uma recorrência é o jogo de cartas, onde você joga contra algum fantasma. As cartas também são liberadas conforme você finaliza missões do game, dando mais oportunidades ao jogador de vencer as batalhas na mesa.

    Há também dinâmicas específicas, e muito inteligentes, em relação à plantação de alimentos e flores. Alguns itens precisam ser combinados para evitar que insetos ataquem a plantação, o que é algo bem diferente do que vemos normalmente em outros jogos do gênero. Você precisa plantar já levando em consideração essas situações, para impedir que seus alimentos sejam destroçados pelos insetos.

    A estética de Aka é muito linda e me chamou a atenção desde que o game foi mostrado pela primeira vez no Indie World da Nintendo. Eu amo jogos indie, principalmente aqueles que tem uma ideia de aventura, exploração e simulação.

    Aka, portanto, era um título que eu estava ansiosa para jogar e, apesar de toda a ideia e pontos positivos, a gameplay em si não foi o que eu estava esperando. Digo isso porque Aka simplesmente não funciona direito no Nintendo Switch.

    O game possui uma série de bugs que impedem o jogador de prosseguir com a história sem passar nervoso. Você abre o seu inventário para plantar alguma semente, por exemplo, e o personagem fica literalmente travado na mesma posição. A menos que você entre em algum cômodo ou vá em outra área, você fica nessa posição para sempre.

    Às vezes você guarda algo em seu armário, para liberar espaço na bolsa de inventário, e o item simplesmente não sai mais de lá quando você tenta tirar. Se você solta um item no chão sem querer, próximo ao armário que você mantém eles guardados, pode ser que o item simplesmente desapareça e você não consiga mais pegar.

    Há missões que carecem de explicação e, em vários momentos, você fica rodando pelas ilhas tentando entender qual deve ser seu próximo passo. Existe uma personagem com uma bola de cristal que pode te direcionar o caminho, mas a ajuda acaba apenas repetindo algo que você já sabe, o que deixa o caminho um pouco confuso.

    Outro ponto é a questão do craft. Existem itens que você simplesmente não consegue craftar e que são necessários para algumas missões. Por exemplo, tochas. Você tenta criar e ela simplesmente não aparece, então você não consegue progredir.

    A jogabilidade no Nintendo Switch, infelizmente, é bem ruim. É difícil controlar Aka em alguns momentos, principalmente em subidas de rampa. É algo que com o tempo você acostuma, mas obviamente poderia ser melhor trabalhado.

    Já foi informado pela desenvolvedora que existem patches a caminho para correção desses problemas citados, o que é um alívio e mostra que eles estão ouvindo a comunidade. É torcer que, após essas atualizações, Aka consiga alcançar seu potencial, pois é um jogo visualmente bonito e com uma história cativante.

    VEREDITO

    Aka é um jogo com gráficos lindos, dinâmicas de jogo criativas e uma história cativante. No Nintendo Switch, infelizmente, a jogabilidade não é boa e a série de bugs desmotiva bastante o jogador a seguir em frente na história. Após as correções, no entanto, pode ser que o jogo consiga alcançar o resultado esperado.

    Nossa nota

    2,7/ 5,0

    Assistir ao youtube:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    EU CURTO JOGO VÉIO #19 | Samurai Warriors 2: Empires utiliza a história para proporcionar batalhas incríveis

    Samurai Warriors 2: Empires é o segundo título do spin-off de sucesso. Lançado em 2007, confira nossa análise do game.

    Confira os principais lançamentos de games de julho de 2024

    Julho é um mês com menos lançamentos, mas nem por isso, são lançamentos menos importantes. Confira todos os lançamentos do mês.

    EU CURTO JOGO VÉIO #18 | ‘Star Wars: The Force Unleashed’ é game de ação embebido no mais puro suco da franquia

    Star Wars: The Force Unleashed foi um dos pontos mais altos da geração do Xbox 360 e do PS3. Nele, controlamos Starkiller, conheça o game!

    CRÍTICA: ‘The Rogue Prince of Persia’ é divertido mergulho na franquia

    The Rogue Prince of Persia é um novo passo na franquia Prince of Persia. O game nos lança pela história do Príncipe enfrentando os hunos.