CRÍTICA – Avatar: Frontiers of Pandora (2023, Ubisoft)

    Avatar tem um mundo rico demais, ver esse mundo chegar aos videogames é impressionante demais, com uma proposta nova geração então, temos gráficos lindos e uma ambientação fantástica. Aos fãs da franquia, vocês estarão bem servidos e mesmo quem não é fã, pode conhecer mais por aqui e quem sabe, visitar os filmes depois, já que os filmes duram algumas horas, aqui temos vários dias de jogatina e um mundo todinho para você ser um Na’Vi.

    Avatar: Frontiers of Pandora foi desenvolvido pela Ubisoft Massive, lançado em 2023 no dia 7 de dezembro, disponível para PC, Xbox X/S e PS5.

    O jogo também agradará fãs de far cry e similares, já que tem uma formula bem parecida, me lembrando um pouco da proposta do primal com uma ideia diferente, mas com uma excussão melhorada, já que agora temos novas tecnologias.

    SINOPSE

    Sequestrado pela corporação militarista humana conhecida como RDA, você, um Na’vi, foi treinado e moldado para servir ao seu propósito. Quinze anos depois, enfim está livre, mas se sente um estranho em seu local de nascimento. Reconecte-se com sua herança perdida, descubra o que realmente significa ser Na’vi e junte-se a outros clãs para proteger Pandora da RDA.

    ANÁLISE

    Avatar: Frontiers of Pandora

    Um bom e velho FPS de história para te tirar um pouco dos dias mais complicados? Avatar: Frontiers of Pandora pode assumir este papel. O divertido aqui, é sua história principal e a exploração mais focada em “colecionáveis uteis”. Chamo dessa forma aqueles itens que quando coletamos nos dão algum atributo, não apenas um troféu ou algum contador a mais no bestiário.

    Um dos pontos mais divertidos do game é explorar Pandora. Ainda mais voando por ela e encontrando alguns itens, como uma flor especifica. No game, temos habilidades para melhorar nosso personagem o que é bem divertido. Por controlarmos um Na’Vi, temos uma diferença legal na jogabilidade estilo Far Cry. Que mesmo sendo parecida, já que teremos habilidades a melhorar – isso torta tudo mais divertido.

    E claro, devo pontuar que sim, temos aquele personagem clássico protagonista que já vai se destacar naturalmente, então sim, você será o famoso herói das histórias de ação, ao menos é assim que eu me sinto jogando.

    Avatar: Frontiers of Pandora

    Falando um pouco da história do nosso protagonista, não temos uma conexão direta com os filmes, a ideia é criar algo para os jogadores que iniciarão nesse mundo também, então não se preocupa se ainda não viu os filmes. Nossa personagem foi retirada de seu clã ainda quando criança e criada para ser um soldado dos humanos, porém, a ideia é fugir e irmos em busca da liberdade de fato, não só fugir pra sempre. Mas sim lutar por Pandora, e descobrir quem somos, e como é o nosso verdadeiro lar fora das instalações do exército humano.

    No começo, explorar é bem mais magico. É normal você se acostumar com o tempo que passa naquele mundo. Porém, é legal ver além da beleza dos gráficos. Ver que o planejamento e a coleta de itens como criaturas e plantas, servirão de craft, ou de armadilha, para te ajudar chegar a algum lugar.

    O que o game peca, é em não ter um fator replay consistente. Pois os elementos que são novidades serão de fato uma novidade apenas na primeira run. E na segunda, talvez você já queira partir para outra aventura, sabe?

    Avatar: Frontiers of Pandora

    Então sinto que é um bom jogo para se jogar, passar um tempo legal e aproveitar uma folga de trabalho, mas também deve-se levar esse ponto de rejogar em consideração. Uma boa promoção do game pode fazer toda a diferença, por isso, indico que deixe já na sua wishlist para não perder algum alerta de um preço atrativo.

    Falando sobre seu desempenho, já que estamos falando de um jogo AAA dos mais recentes, é um jogo bem pesado caso você queira exigir requisitos altos como jogar em 4k e gráficos no ultra, mas para o pessoal que vai jogar em qualidades de entrada ou moderadas, poderão alcançar isso com pcs que não sejam o mais topo de linha possível, abaixo estará os pré requisitos do jogo:

    O meu computador que não é topo de linha, mas não é nada modesto (Ryzen 7 5800x, GEForce RTX4070, 4x8gb 3200) eu rodei com o jogo no Alto, QuadHD e com monitor ultrawide que adiciona um campo de visão maior, consegui jogar entre os 60-70 FPS e para mim é suficiente. Em configurações mais baixas, esse computador alcançaria melhores fps, mas eu prefiro jogar com qualidade mais bonita e isso vai de cada usuário. Também indico a utilização do DLSS da Nvidia para alcançar mais FPS e com bastante qualidade, como o recurso de IA vem apresentando diversas melhorias a cada atualização do mesmo. O jogo também está disponível consoles da atual geração do Xbox e do PlayStation, caso você seja time console!

    Devo pontuar que também não tive problemas com bugs e crashs significativo até o momento, nada que pudesse atrapalhar minha gameplay, isso me deixou bem surpresa vindo de um AAA atual, por isso dediquei uma parte do texto ao seu desempenho.

    Por fim, o jogo roda bem, é um belo achado para quem gosta desse estilo fps com história, não inova tanto assim o estilo da Ubisoft, já que a aposta aqui deve ser não mexer muito no que está dando certo, mas vale com certeza aquele final de semana só pra jogar video-game!

    VEREDITO

    Viajar por Pandora, seja voando nas costas de um Banshee das Montanhas, ou montado em um Direhorse pelos campos, é brilhante. Ver o mundo do game simplesmente acontecer diante dos nossos olhos nos faz sentir imersos naquela história como quando mergulhamos no mundo criado por James Cameron pela primeira vez em 2009. Enquanto alguns elementos nos tiram dessa imersão como os elementos já vistos em Far Cry, a história do game cativa e faz um contraponto, mostrando que há uma razão importante desse game existir.

    Frontiers of Pandora nos lança por um mundo curioso, desafiador e maravilhoso.

    Nossa nota

    3,5 / 5,0

    Confira o trailer do game:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    EU CURTO JOGO VÉIO #1 | ‘The Legend of Zelda: The Minish Cap’ mostra que Zelda é Zelda em qualquer lugar

    The Legend of Zelda: The Minish Cap é parte da trilogia Four Swords. Em Hyrule, precisamos impedir Vaati de completar seus objetivos.

    CRÍTICA: ‘Bandle Tale: A League of Legends Story’ é um cozy game repleto de surpresas e diversão

    Bandle Tale: A League of Legends Story é o mais novo game original da Riot. Ajude a restaurar Bandópolis como um Yordle.

    Nintendo Direct Partner Showcase: Confira todos os lançamentos do evento de fevereiro

    A Nintendo Direct Partner Showcase chegou e fez anúncios importantes para os próximos seis meses. Confira o que foi anunciado!

    CRÍTICA: ‘Skull and Bones’ é uma boa experiência marítima 

    Skull and Bones é o mais novo lançamento da Ubisoft para o PlayStation 5, Xbox Series X | S e PC. Veja o que achamos!