CRÍTICA – Hyrule Warriors: Age of Calamity (2020, Koei Tecmo)

    Hyrule Warriors: Age of Calamity é um hack and slash desenvolvido pela Omega Force e publicado pela Nintendo, sendo exclusivo para Nintendo Switch.

    ENREDO

    Junte-se à luta que deixou Hyrule de joelhos. Saiba mais sobre Zelda, os quatro campeões, o Rei de Hyrule e muito mais por meio de cenas dramáticas enquanto tenta salvar o reino da calamidade. O jogo Hyrule Warriors: Age of Calamity é a única maneira de ver em primeira mão o que aconteceu 100 anos atrás.

    UMA MESCLA ENTRE DYNASTY WARRIORS E BREATH OF WILD

    Para os fãs que estão órfãos de uma aguardada continuação de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, a desenvolvedora Koei Tecmo responsável pela série de jogos Dynasty Warriors veio suprir essa ausência com o fantástico Hyrule Warriors: Age of Calamity que faz uma sensacional combinação de elementos de Dynasty Warriors com o universo de Zelda.

    Age of Calamity é um prequel de BOTW, sendo que outro jogo de Hyrule Warriors já havia sido lançado em 2014 para Wii U Nintendo 3DS.

    UMA JOGABILIDADE SUPER FLUÍDA

    CRÍTICA - Hyrule Warriors: Age Of Calamity (2020, Koei Tecmo)

    Em Age of Calamity temos um game com uma jogabilidade imensamente ágil, fluída, frenética e divertida. Resultado: esse game certamente vai agradar aos fãs de Bayonetta, Nier: Automata e Devil May Cry. Sério, a jogabilidade desse jogo é incrível.

    O game além de ter a magnifica master sword, apresenta um vasto arsenal de armas e equipamentos. Junto ao seu sistema de progressão, ao levar seus equipamentos a um ferreiro, você poderá realizar melhorias e fusão de armas.

    Além das missões principais, Hyrule Warriors: Age of Calamity tem um mapa imenso e recheado de missões secundárias a serem realizadas, aprimorando as habilidades de toda equipe.

    Detalhe: o game não apresenta um mundo aberto assim como foi em Breath of the Wild. É possível apenas ver o mapa e selecionar qual a missão você irá realizar.

    Portanto, assim que escolher a área do mapa o seu personagem será teletransportado para a fase determinada.

    MUITO ALÉM DE LINK

    Certamente você está achando que irá jogar apenas com o formidável Link. Mas não, é possível jogar com Zelda, Daruk, Impa, Urbosa, Revali e Mipha. Cada personagem apresenta habilidades e armas diferentes.

    Garanto que todos os guerreiros têm uma excelente jogabilidade. No entanto, a minha personagem favorita foi a Impa. Ela possui habilidades ninjutsus que lembram bastante o anime Naruto.

    CRÍTICA - Hyrule Warriors: Age Of Calamity (2020, Koei Tecmo)

    Durante as épicas batalhas é possível alternar para qualquer um dos personagens. Existem fases que é possível jogar com cada uma das quatro Divine Beasts.

    Sim, você pode jogar com as Divine Beasts. Achei bem bacana essas fases, pois causei a imensa destruição de diversos inimigos.

    Ao longo de cada campo de batalha você enfrenta hordas e mais hordas de Bokoblin, mas não se preocupe: eles são bem fracos e simples de serem derrotados.

    No entanto, o complicado mesmo são os chefes principais. Esses sim vão exigir bastante habilidade.

    As batalhas que tive com esses chefes foram extremamente épicas e sensacionais, pois me causou uma imensa satisfação ao derrotá-los. Satisfação tal qual aos jogos da série Soulsborne.

    Assim como em outros games, ao final de cada batalha, você recebe um bônus como armas, equipamentos e receitas que servem para melhoria do desempenho e dar resistência a cada guerreiro de sua equipe.

    TRILHA SONORA

    Por fim, mas não menos importante, temos a trilha sonora de Hyrule Warriors: Age of Calamity. O game apresenta novas mixagem da trilha de BOTW que são excelentes. Junto a clássica Zelda Main Theme Song que foi um prato cheio para o fanservice.

    VEREDITO

    Por fim, minha experiência com Hyrule Warriors: Age of Calamity foi extremante gratificante e satisfatória. Age of Calamity tem quase a mesma vibe de Genshin Impact.

    Não exatamente com o mundo aberto, mas com a forma como o combate flui. É realmente diferente em comparação até mesmo com os primeiros guerreiros hyrule.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    5 novos jogos de Nintendo Switch para toda a família explorar

    O Nintendo Switch dá as boas-vindas à primavera com seleção incrível de jogos casuais no portátil da Big N. Confira a lista!

    EU CURTO JOGO VÉIO #7 | ‘Congo’s Caper’ é platformer do SNES cheio de personalidade

    Congo's Caper é um game divertido e cheio de desafios. O game foi lançado em 1993 para o Super Nintendo e ganhou uma versão ocidental.

    CRÍTICA: ‘Raccoo Venture’ é platformer brasileiro divertido, que empolga

    Raccoo Venture é game indie Brasileiro que encanta por sua jogabilidade direto ao ponto e sua dificuldade enorme, acima de tudo.

    Star Wars: Outlaws | Revelado trailer narrativo, confira detalhes

    Star Wars: Outlaws ganhou seu primeiro trailer narrativo. O trailer revelou em qual momento da história o game será ambientado e mais!