Início GAMES Crítica CRÍTICA – Madden NFL 22 (2021, EA Sports)

CRÍTICA – Madden NFL 22 (2021, EA Sports)

Madden

Já na expectativa pela temporada regular de futebol americano, trazemos hoje uma análise do recente Madden NFL 22, produzido e disponibilizado pela EA Sports para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X e Google Stadia.

Primeiramente, antes de entrar em maiores detalhes, faço um breve disclaimer. Meu contato com jogos de esportes foi na maior parte do tempo com FIFA e suas variações. Houve oportunidades para jogar também alguns jogos de basquete, os quais, apesar das mecânicas um pouco diferentes, consegui me adaptar de maneira relativamente fácil.

Futebol americano nunca tinha sido uma opção de jogo, até porque fui começar a me interessar pelo esporte recentemente (há mais ou menos 5 anos).

Dito isto, as percepções a seguir descritas serão de alguém que teve sua primeira experiência com jogos de futebol americano com o Madden NFL 22.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Madden

Logo de início, por padrão, o jogo nos permite reeditar a Final do Super Bowl LV, nos dando a opção de estar ao lado do menino Pat Mahomes ou enfrentá-lo com Tom Brady, no grande duelo Kansas City Chiefs vs Tampa Bay Bucaneers. Parecendo destino, optei por jogar com os Chiefs, já que não nutro grande simpatia pelo QB rival.

Assim como ocorreu no Super Bowl de 2020, o time ofensivo da cidade de Kansas quase nem viu a bola, tamanho foi o atropelo. Turnovers, interceptações, fumbles. Uma catástrofe. E sabe o que é pior? Os Chiefs têm um excelente time. O problema foi que, apesar da qualidade do time e dos comandos intuitivos do jogo, ainda assim, para alguém que nunca teve uma experiência prévia em termos de Madden, as coisas podem ser complicadas.

MADDEN FOR DUMMIES

Madden

Mas fiquem calmos. O jogo não é tão punitivo assim com jogadores inexperientes. Afinal, é um jogo de futebol americano, não um soulslike. Já no menu Exhibition temos a opção de praticar habilidades básicas. Ainda que o futebol bretão não seja “só chutar uma bola”, como dizem os incautos, no futebol americano temos bem mais técnicas e táticas inerentes.

Sendo assim, o treinamento das habilidades básicas está constituído de várias subdivisões, com vários drills em cada uma delas. Ao todo, se formos passar por todas estas práticas, é possível que tenhamos que investir um pouco mais de 2 horas só de treinamento. Baseado em que este meu número? No meu próprio sofrimento. Até acostumar com os comandos e técnicas, um inexperiente leva tempo, sim.

A REDENÇÃO APÓS O TORMENTO

Após algumas sessões de treinamento, me aventurei na minha primeira partida normal, contra a CPU. Tive a sorte de começar recebendo o kickoff. Há quem diga que é melhor iniciar uma partida com o time de defensores no campo para logo sufocar o adversário. Mas para mim, que estava ansioso por não sofrer uma sonora derrota, começar no ataque era fundamental para saber se podia seguir, ou se era melhor cancelar tudo e voltar para o training camp.

Para minha sorte, Aaron Rodgers tinha começado o dia com o braço calibrado e logo no primeiro arremesso encontrou Davante Adams que corria solto. O WR, com toda a técnica que lhe é peculiar, recebeu e conseguiu correr por mais umas 12 jardas até ser derrubado e garantir a primeira decida para o time de Green Bay. Não era apenas um first down. Não pra mim. Aquilo era o sinal que talvez as horas de treinamento foram recompensadas.

Não vou entrar em detalhes narrativos da partidas para não me tornar muito extenso (ganhei por 27 a 3), mas isto serve para provar que apesar do susto inicial, após uma preseason conturbada, minha jornada no Madden NFL 22 começava a ter melhores prognósticos.

UM VERDADEIRO SIMULADOR

Logo nos primeiros momentos dentro do jogo me senti como se realmente estivesse assistindo a uma partida de futebol americano. A narração, a ambientação, os sons da torcida, avisos de jogos ocorrendo paralelamente e demais resultados do calendário. A experiência em Madden NFL 22 é simplesmente única.

É empolgante entrar no estádio da sua franquia favorita, e acredito que até para quem não seja tão íntimo do esporte da bola oval seja de tirar o fôlego. Os detalhes, as expressões dos jogadores, os takes aéreos dos estádios, as instruções da equipe técnica e as reações dos jogadores são muito bem apresentadas.

Outro fator que destaco é a participação da arbitragem. Afinal, como não dar destaque para as zebras, que tem tido cada vez mais participação nas últimas temporadas (certo, desliguei o modo torcedor). Mas ainda assim, é incrível o trabalho da inteligência artificial em criar momentos através de cada detalhe a seu dispor.

A SAGA DAS ZEBRAS

Tive a oportunidade de ter um lance de uma terceira para 3 jardas onde consegui garantir uma descida aos trancos e barrancos (literalmente, já que meu RB trombou com 2 e escapou de um tackle certeiro para isto). No entanto, o que se desenhava como uma descida acabou se transformando num aparente fumble, segundo a arbitragem, que logo foi recuperado pelo adversário.

Do céu ao inferno em segundos. Mas foi aí que a arbitragem começou seu show. Câmera no árbitro principal. Ele ativa seu microfone e comunica ao estádio. Fumble e posse de bola para o time defensivo porque o meu RB não havia encostado o joelho no chão antes de perder o controle da bola. OK. Paciência. Hora de a defesa brilhar.

Mas não. Novamente câmera na arbitragem. Revisão do lance recém revisado, onde um dos árbitros alegava que havia sido legal a jogada. Câmera do VAR na tela e, pasmem: Aaron Jones havia tido contato com o chão antes de dropar a bola. Lance legal. First down Green Bay Packers! MEU DEUS! Isso foi só uma partida, mas eu me sentia no Lambeau Field em dia de final de conferência. Que experiência, meus amigos!

MODOS E JOGABILIDADE

Existem vários modos de jogo no Madden NFL 22. Infelizmente, alguns destes modos envolvem partidas online contra outros jogadores (PvP). Não tenho certeza da localização dos servidores, mas tive certos problemas com alto ping (e por consequência lentidão no processamento dos meus comandos), comprometendo bastante o aproveitamento das partidas.

Ainda que estas limitações com as partidas online (PVP) não tenham me permitido aproveitar ao máximo o jogo, os modos locais ganharam meu coração. Vou elencar todos e trazer alguns aspectos sobre os que mais gostei.

EXHIBITION

Um modo comum também em outros jogos de esporte, é onde podemos jogar sem maiores compromissos ou competições elaboradas. Dentro deste modo, encontramos:

  • Play Now: temos a opção de jogar partidas pré-montadas com objetivos ou apenas uma partida customizada à nossa escolha;
  • Online Head to Head: opção para jogo online contra alguém aleatório ou de nossa lista de amigos;
  • Pro Bowl: para os não familiarizados, o Pro Bowl é um evento onde os melhores jogadores de cada conferência são selecionados para os times da NFC e da AFC, havendo o confronto entre estes. É quase um jogo das estrelas, onde podemos escolher nosso lado e aproveitar o melhor de cada conferência em uma partida contra a máquina ou contra outro jogador;
  • Skill trainer: aqui foi onde passei a maior parte do tempo. Drills e tutoriais para aprimorar a técnica e buscar aprender mais sobre o jogo;
  • Practice: modo onde podemos escolher tipos de jogada, time em campo, playbook, etc. É praticamente um laboratório para testarmos jogadas, táticas e equipes. Um bom espaço para jogadores novos de Madden NFL 22.

FACE OF THE FRANCHISE

Madden

Talvez o meu modo preferido. Assim como no FIFA temos o modo Carreira, aqui neste modo assumimos o controle de um personagem que recém concluiu sua carreira no College Football e está prestes a ser draftado.

As interações, as reações e as situações proporcionadas são tão genuínas que me senti realmente parte dos eventos e fiquei muito empolgado com cada novidade e conquista obtida. Um modo muito promissor, e principalmente pra mim, um dos melhores, por permitir uma boa experiência local, não dependendo dos servidores.

FRANCHISE

Escolha sua franquia e assuma a posição de dono, treinador ou jogador, neste modo mais gerencial e cheio de desafios estratégicos. Escolha quem você deseja aprimorar ou demitir, identifique limitações e oportunidades nos mais variados setores de sua franquia.

ULTIMATE TEAM

Talvez o modo mais popular e competitivo do jogo, como um misto de gerenciador e cardgame, no Madden Ultimate Team (MUT, assim como em seu semelhante, FUT, no FIFA) podemos montar nosso time com cartas de jogadores de todas as franquias.

Provavelmente o modo de jogo com mais investimento por parte da EA, com eventos semanais, desafios, possibilidade de montar o seu time dos sonhos (até mesmo com jogadores lendários, conforme o evento que estiver ocorrendo). Devido à alta competitividade e diversão proporcionada, é um dos modos que mais exige investimentos (de tempo ou dinheiro) por parte do jogador.

CHAMPIONSHIP SERIES

Considerado um modo de jogo no menu inicial, este é o estilo exclusivamente competitivo do MUT. Ao acessá-lo, vamos automaticamente para a página de competições do MUT, onde podemos inscrever o nosso time pré-montado em competições, torneios e demais disputas que estejam ocorrendo.

THE YARD

Assim como o FIFA revitalizou seu FIFA Street com o modo Volta dentro do próprio jogo base, também assim foi feito com o saudoso NFL Street. Tal qual seu equivalente, podemos desenvolver uma carreira com nosso time de bairro em uma modalidade com menos jogadores, menos tamanho de campo e menos regras.

Uma opção mais despojada do Face of the Franchise, bem menos elaborada (em termos de opções e trama), mas tão divertida quanto. Vale muito a pena conferir, caso não conheça. Aviso que há riscos de se viciar apenas neste modo, também.

SUPERSTAR K.O.

Uma modalidade onde podemos usar apenas estrelas da Liga em confrontos online com amigos ou contra alguma pessoa aleatória. O modo agora conta também com estrelas e equipes do College, oferecendo desafios onde podem-se conseguir cartas de jogadores deste modo para o seu time no MUT.

Se não fossem as limitações devido ao delay sofrido, certamente seria um dos meus modos preferidos de jogo, mas ainda assim tem bastante potencial e certamente deve ser bastante apreciado por jogadores nativos.

VEREDITO

Definitivamente Madden NFL 22 possui muitos pontos positivos. Mesmo para alguém totalmente alheio ao esporte ou às antigas versões do jogo, o lançamento da EA Sports desempenha muito bem em cativar e angariar novas multidões de fãs. Principalmente para adeptos do esporte, o jogo entrega um entretenimento de qualidade.

Mesmo com as dificuldades mencionadas em relação ao lag nos servidores quando numa partida online em tempo real, as demais modalidades e opções do jogo fazem com que, mesmo com falhas, o jogo permaneça versátil e muito divertido.

A competitividade, mesmo em níveis mais baixos ou partidas contra a CPU se mantém alta o tempo todo e a oportunidade de vivenciar uma partida de dentro do campo, arremessando para touchdowns incríveis, quebrando linhas defensivas com Running Backs ou Tight Ends ou “jantando” Quarterbacks com Defensive Ends sedentos.

A expectativa é que, com o aumento do consumo de futebol americano no Brasil, e a consequente maior busca pelo jogo, possamos vir a ter jogos regionalizados, já que o Madden NFL 22 ainda possui apenas áudio e legendas em inglês. É possível até que uma versão traduzida permita que pessoas entrem neste mundo através do jogo, e a partir dele comecem a consumir mais sobre NFL. Difícil? Talvez, mas não é de se descartar. Olha a oportunidade aí dona Dawn Hudson!

Nossa nota
4,0 / 5,0

Confira o trailer do game:

E você, já jogou Madden NFL 22? O que achou? Deixa sua nota e comenta sobre suas impressões.

Nota do público
Obrigado pelo seu voto

Curte o nosso trabalho?

Se sim, sabe que ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – DP Dog Day (1ª temporada, 2021, Netflix)
Próximo artigoCRÍTICA – Lucifer (6ª temporada, 2021, Netflix)
Vindo do interior do interior do RS, fã de Cornwell, Zelda e do Fernandão, (péssimo) piadista, dá pitaco sobre quase tudo. Amante da cerveja, gosta de estudar diferentes culturas, leciona FIFA nas horas vagas e tem um cachorro chamado Salomão.