CRÍTICA – Monster Hunter Rise: Sunbreak (2022, CAPCOM)

    Monster Hunter Rise: Sunbreak é a nova expansão do jogo base Monster Hunter Rise; que foi lançada no dia 30 de junho para Nintendo Switch e PC.

    SINOPSE

    A expansão conta com jogabilidade aprimorada e novas mecânicas de combate ainda mais ágeis, novos monstros e locais de caça e um novo nível de dificuldade com as Missões do Ranque Mestre.

    Na pele do caçador que salvou Kamura da calamidade, você deve se aventurar pelas terras distantes de Elgado, um posto próximo a um Reino assolado por um novo inimigo sinistro, o dragão ancião Malzeno!

    A Caçada Começa em uma Terra Distante…

    A aldeia Kamura está finalmente em paz depois de sobreviver a inúmeros ataques de monstros conhecidos como O Frenesi.

    Com a inesperada aparição do monstro lupino Lunagaron nas Ruínas do Templo, a paz duramente alcançada é perdida.

    Nas Ruínas do Templo, o caçador encontra Fiorayne, uma cavaleira da Ordem Real. Fiorayne pede ajuda ao caçador para descobrir a razão dos monstros do Reino se tornarem agressivos e invadirem outros territórios, incluindo Kamura. Unidos em uma missão, eles partem para o distante posto de Elgado.

    ANÁLISE

    A mais nova expansão Monster Hunter Rise: Sunbreak é simplesmente sensacional e traz novamente muitas horas de caçadas dinâmicas e empolgantes. Com a inclusão de novas armas, monstros e personagens.

    Desse modo, essa nova caçada vai ser muito divertida, mas que ainda segue a fórmula básica de toda franquia Monster Hunter. Ainda que a história de Monster Hunter Rise: Sunbreak mantenha o jogador envolvido, a expansão segue demorando para engrenar e entregar uma jogabilidade frenética. Visto que leva um tempo para o jogador se adaptar as mais diversas armas distintas para realmente pegar uma arma que se adapte ao seu estilo de jogo.

    Esse ponto pode acabar sendo frustrante para jogadores que estão em busca de um game que irá entregar toda a diversão logo de imediato; algo que infelizmente é diferente na franquia Monster Hunter. Onde o jogador levara horas de progressão para que assim realmente esteja pronto para uma caçada sem frustação.

    No entanto, conforme for progredindo as recompensas ao completar suas caçadas são realmente satisfatórias.

    Ao longo de cada caçada é possível coletar diversos recursos que serão crucias para melhoria de seus equipamentos. Por isso, quando estiver em um campo de caçada esteja sempre atento aos recursos de cada arena, pois serão indispensáveis para melhorar o desempenho de cada um deles.

    Os gráficos de Monster Hunter Rise: Sunbreak são realmente incríveis, pois a equipe de designer teve o cuidado de elaborar cenários e novos monstros memoráveis. Além disso, o desempenho gráfico no Nintendo Switch é ótimo.   

    VEREDITO

    Monster Hunter Rise: Sunbreak é uma experiência desafiadora e sensacional, tornando-se uma porta de entrada para novos jogadores que ainda não conhecem o imenso potencial da franquia monstruosamente agradável.

    Nossa nota

    4,0 / 5,0

    Assista ao trailer de lançamento:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA – Cult of the Lamb (2022, Devolver Digital)

    Leia o review de Cult of the Lamb, um roguelite sarcasticamente fofo com elementos de gerenciamento de colônias lançado pela Devolver Digital.

    22 jogos indie e AAA para ficar de olho ainda em 2022

    Selecionamos 22 jogos indie e AAA (Triple A) para PC e principais consoles que prometem boas experiências ainda em 2022. Confira!

    CRÍTICA – Xenoblade Chronicles 3 (2022, Nintendo)

    Lançado em 29 de julho de 2022, Xenoblade Chronicles 3 é o novo jogo da franquia desenvolvida pela Nintendo com a MONOLITHSOFT. Leia o review.

    Assassin’s Creed: 15 anos de franquia da Ubisoft

    Relembre de Assassin's Creed de 2007, que trouxe elementos inovadores para jogos de mundo aberto que se tornaram padrão atualmente.