Início GAMES Crítica CRÍTICA – Moonlighter (2020, Digital Sun e 11 bit studios)

CRÍTICA – Moonlighter (2020, Digital Sun e 11 bit studios)

Inspirado em Zelda: A Link to the Past, Moonlighter Mobile adapta para iOS o RPG de ação lançado anteriormente para consoles e PC

Dos consoles e do PC para o smartphone. Este é o rumo de Moonlighter, que acaba de ser lançado para iOS, em uma versão que adapta a experiência das telonas para o mobile.

Desenvolvido originalmente pela espanhola Digital Sun, a adaptação do RPG de ação para iOS contou também com o trabalho da polonesa 11 bits studio. Embora sem data oficial de lançamento, Moonlighter Mobile também será disponibilizado para Android no futuro.

O protagonista da história de Moonlighter é Will, um jovem lojista aventureiro que secretamente sonha em se tornar um herói.

O jogo se passa no vilarejo Rynoka, um local próximo a portões que levam os jogadores para reinos e dimensões diferentes. Cada portão dá entrada a uma masmorra que se modifica toda vez que você os acessa.

Moonlighter e Zelda: A Link to the Past

Eu duvido que você tenha visto imagens de Moonlighter Mobile e não tenha lembrado do hit The Legend of Zelda: A Link to the Past (SNES, 1991). Sim, Moonlighter não esconde a principal fonte de inspiração e veio para agradar os fãs da franquia Zelda.

Inspirado em Zelda: A Link to the Past, Moonlighter Mobile adapta para iOS o RPG de ação lançado anteriormente para consoles e PC

Enquanto eu jogava, também me lembrei de clássicos do Game Boy: os Zeldas Oracle of Ages e Oracle of Seasons, e Pokémon Red / Blue / Yellow. Zelda porque, como falei, os criadores não tentam esconder a referência.

Por sua vez, a similaridade com Pokémon R/B/Y se dá na Masmorra do Golem, a primeira que se tem acesso. Não por causa do nome ser igual ao de um Pokémon da 1ª geração, mas sim porque há vários pergaminhos que são interessantes ler durante a exploração. Isso me lembrou a leitura dos diários que contam como ocorreu a criação do Mewtwo.

Pensei de cara: “um jogo que bebe de fontes icônicas como essas não tem como ser ruim“.

Will, um aventureiro empreendedor

Os criadores de Moonlighter para iOS fizeram um bom trabalho para não haver dúvidas sobre como jogá-lo no celular. Os primeiros passos no jogo são um tutorial simples que ensina os movimentos essenciais.

O começo do tutorial ocorre dentro da Masmorra do Golem e já dá o tom do que nos espera ao realmente iniciar o game. Feito isso, você é levado para dentro da casa/loja de Will. Lá, o velho Zenon, amigo do falecido avô de Will, dá mais detalhes do que você precisa fazer para se dar bem no jogo.

É nesse momento que o jogo me cativou. Embora criado com base em um jogo de 1991, Moonlighter mistura a jogabilidade de RPG de ação com estratégia baseada em noções básicas de mercado.

Inspirado em Zelda: A Link to the Past, Moonlighter Mobile adapta para iOS o RPG de ação lançado anteriormente para consoles e PC

Sim, você vai lutar com monstros estranhos e ser um vendedor. Essa mistura oferece uma experiência bem moderna. Confesso que não esperava algo assim.

Só que a vida de “empreendedor” de Will não para por aí: você também precisará tirar do próprio bolso para trazer lojistas e expandir seu próprio empreendimento para que os moradores retomem o orgulho de viver em Rynoka.

Lojista + aventureiro que sonha ser herói + prefeito do vilarejo? É tipo isso.

E sim, essa mistura é bem fácil de entender, pois o velho Zenon te explica as noções básicas de oferta e demanda, e como você deve precificar os produtos da sua loja a partir das reações dos consumidores. Eu gostei demais dessa mecânica!

A estratégia como diferencial de Moonlighter

Você já deve ter percebido que Moonlighter não se trata apenas de sair matando monstros, recolhendo itens e comprando armas com o dinheiro encontrado em cadáveres e baús. Você vai precisar encontrar sua “veia empreendedora”.

Use sua mochila (cujo espaço não é infinito) com estratégia para coletar itens que você possa vender por valores altos, ou então usá-los como matéria prima para fazer acessórios, encantamentos e poções.

Outro fator que torna a história interessante é a passagem de tempo. De dia, você pode abrir a loja e vender itens para os moradores de Rynoka. À noite, seu dever é ir se aventurar nas masmorras.

Como falei antes, as masmorras se modificam a cada vez que você as acessa. Então, isso é mais uma pitada de emoção e que exige que você seja um bom estrategista para derrotar os chefes e sub-chefes de cada nível, até se tornar um herói.

VEREDITO

Moonlighter é um ótimo divertimento que tem potencial para garantir muito tempo de jogo. A moderna mistura de RPG de ação e estratégia de vendas para Will avançar na aventura é muito interessante.

Entretanto, não é um jogo perfeito e de fácil acesso. Até o momento, o jogo está disponível apenas a partir do iOS 13 nestes aparelhos: iPhone (a partir do 7), iPad Pro (2ª geração em diante), iPad Air (3ª geração em diante) e iPad Mini (5ª geração em diante).

Também há alguns pequenos problemas que, acredito, possam ser corrigidos com certa facilidade. O primeiro é: se você entra em uma porta e já toca na tela para entrar em outra, o personagem se perde e vai para o lado contrário.

Outro problema que constatei é que às vezes você abre o jogo e não consegue interagir com nada que exiba um botão de ação. Por exemplo, você inicia na sua casa/loja e tenta colocar itens à venda, mas ao tocar na mesa nada acontece. Esse bug é um pouco irritante, mas felizmente ocorre poucas vezes.

Você pode comprar o jogo na App Store clicando aqui.

O preço em dólares é US$ 11,99. O preço para nós, brasileiros, está R$ 69,90. Sem dúvidas Moonlighter é um jogo que vale o esforço de ser comprado, mas confesso que no atual cenário entre dólar e real, R$ 69,90 é o maior problema do jogo, no meu ponto de vista.

Nossa nota

4,5 / 5,0

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCherry: Filme estrelado por Tom Holland ganha primeiras imagens
Próximo artigoWisteria: Projeto de David Lynch com a Netflix em fase de desenvolvimento
Jornalista pós-graduado em Jornalismo Digital, fã de Mr. Robot, Pokémon e com uma menção honrosa a 24 Horas, o seriado que me fez entrar no mundo de séries e filmes.