CRÍTICA: ‘Saviorless’ é indie cubano, repleto de minúcias e história sombria

    Três contadores de histórias dividem o fardo de conta a vida de um protagonista sempre da mesma maneira. Mas quando um dos jovens contadores pensam que esta não possui um final digno, decidem mudar um pouco as coisas, adicionando um herói a esta trama. Quando tudo sai do controle, e o protagonista toma as rédeas de sua história e dos outros, os contadores precisam descobrir como nos levar até seu final. E nosso progresso só depende de nós. Em Saviorless será necessário avançar, mesmo que as forças inimigas pareçam imparáveis.

    Como um cativante jogo de plataforma, com um visual estonteante, nos vemos imersos no game enquanto controlamos dois personagens que estão fadados a se enfrentar ao fim. Enquanto tentamos fugir da maldição das Ilhas Sorridentes, grandes perigos surgirão tentando impedir nosso avanço, e seja como Antar ou Nento, precisamos solucionar divertidos puzzles e bater de frente com inimigos que preenchem até mesmo toda a tela.

    SINOPSE

    Saviorless é um jogo de plataforma de fantasia sombria, com lindas animações e arte desenhadas à mão. Ele acompanha dois personagens principais na tentativa de escapar de um lugar amaldiçoado conhecido como Ilhas Sorridentes.

    ANÁLISE

    Saviorless

    A história de Antar é misteriosa. Como um protagonista que repousa sobre uma pedra ao fim de suas pequenas jornadas, dando espaço para os contadores da história de brilhar e debater, nosso personagem assume para si o papel de mergulhar em um mundo corrompido cujos perigos surgem na figura de inimigos que não podemos enfrentar de frente, apenas utilizar de artifícios para destruí-los e garantir nossa progressão.

    Com mensagens e um potente subtexto, Saviorless nos lança por jornadas e por histórias que nem sempre queremos contar, mesmo diante de perigos cujos problemas precisam ser enfrentados a fim de chegar ao fim destas.

    Como duas partes de uma moeda, Antar e Nento funcionam como contrapontos de uma mesma história.

    Saviorless

    Seja como o benigno herói, ou o personagem que vai abrir mão de qualquer humanidade para obter êxito em sua empreitada, a maldição das Ilhas Sorridentes assolarão o mundo do game de maneira impiedosa.

    Sendo poderoso e sombrio, o mundo do game se faz único por seu visual 2D feito a mão, e Saviorless se mostra um sucesso em tudo que se propõe como o primeiro game cubano da história. Seja por aventuras que se estendem pelo subtexto, ou por como a história avança, exploraremos as profundezas do mar, ou cidades destruídas e florestas mortas de um mundo em que a piedade não parece mais existir. Seja ao longo das horas do game ou ante os perigos que as forças dos Salvadores e os corrompidos lançam em nossa direção, Saviorless se faz muito feliz em suas escolhas narrativas.

    VEREDITO

    Saviorless

    O mundo de Saviorless é sucinto, não nos pega pela mão ou nos ambienta a seu mundo. Mas deixa claro que aqui, a maldade parece ter vencido. Os três contadores de história encantam por suas linhas de diálogo, e não apenas Antar, como Nento e o Salvador tem um papel de extrema importância nesta história, atuando como contrapontos. Com puzzles não tão confusos, mas um mundo hostil o tempo todo, Antar nem sempre será capaz de destruir as forças amaldiçoadas da terra dos Salvadores e das Ilhas Sorridentes. O Salvador, nascido para proteger a criança da horda de inimigos precisará entrar em cena. E tão logo quanto não for mais necessário, sairá de cena.

    De tão imerso e absorto, me vi finalizando o game às 4 da manhã mesmo tendo que acordar cedo na manhã seguinte. Saviorless cumpriu seu objetivo e fez com que esse se tornasse um dos meus games favoritos de 2024.

    Com uma experiência divertidamente desafiadora, precisamos imergir em um mundo cujos problemas surgirão de um mundo estranho, em que desconhecemos suas regras e seus limites.

    A Empty Head Games, desenvolvedora cubana e a publisher Dear Villagers (Born of Bread) obtém êxito no que diz respeito a nos fazer sentir imersos, não apenas por seu visual, como também por sua incrível trilha sonora. Sendo completamente localizado no Português do Brasil, o game deixa pistas visuais e apoio em texto para que compreendamos os absurdos deste mundo e que mesmo que pareça que Nento seja imparável, mesmo os menores e mais indefesos dos heróis pode fazer a diferença se decidir agir.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Confira o trailer de Saviorless:

    Saviorless foi lançado no dia 2 de abril para Nintendo Switch, PC via Steam e PlayStation 5.

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    EU CURTO JOGO VÉIO #8 | ‘The Darkness’ era uma escapada da rotina dos FPS

    The Darkness é um jogo FPS desenvolvido pela Starbreeze e publicado pela 2K, lançado em 2007 para PlayStation 3 e Xbox 360.

    Indie World: Confira todos os anúncios da conferência da Nintendo

    A Indie World chegou rapidinho e trouxe incríveis anúncios. O evento anunciou indies que chegarão ao Switch durante todo o ano.

    CRÍTICA: ‘Harold Halibut’ é aventura sci-fi stop-motion com narrativa profunda e envolvente

    Harold Halibut é uma aventura única. Em uma viagem ao desconhecido, somos lançados na história de Harold à bordo da Fedora, uma nave submersa.

    5 novos jogos de Nintendo Switch para toda a família explorar

    O Nintendo Switch dá as boas-vindas à primavera com seleção incrível de jogos casuais no portátil da Big N. Confira a lista!