Início GAMES Crítica CRÍTICA – Sonic Colors: Ultimate (2021, SEGA)

CRÍTICA – Sonic Colors: Ultimate (2021, SEGA)

Sonic Colors: Ultimate é a remasterização do jogo lançado em 2010 e está disponível para PC e consoles. Leia nossa análise pro Nintendo Switch

Neste 7 de setembro foi lançado oficialmente Sonic Colors: Ultimate para diversos consoles. O jogo é um remake remasterizado do título originalmente lançado em 2010 para Nintendo DS e Wii.

Sonic Colors: Ultimate está disponível para PC, PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch. A versão Deluxe garantiu acesso antecipado ao game e mais alguns bônus de customização.

Quem jogou antecipadamente se deparou com uma série de bugs visuais que comprometeram a experiência. Os glitches foram compartilhados aos montes nas redes sociais.

Houve quem afirmasse que muitos bugs relatados ocorreram apenas em emuladores, alguns chegando a acusar que determinados relatos eram falsos.

De qualquer forma, a desenvolvedora Blind Squirrel Games abriu um canal para receber feedbacks da comunidade e lançar atualizações para corrigir os problemas sinalizados (veja no tweet abaixo).

Afinal, Sonic Colors: Ultimate é realmente ruim? Veja nossa análise do jogo para Nintendo Switch.

SINOPSE

Dr. Eggman construiu um imenso parque de diversões interestelar cheio de passeios incríveis e atrações coloridas – mas tudo é movido pela energia dos Wisps, uma raça alienígena que o vilão capturou.

Use a super velocidade do Sonic para libertar os Wisps e aprender os segredos dos seus poderes fantásticos enquanto explora seis mundos únicos e coloridos, cada um repleto de inimigos perigosos e obstáculos a superar.

Agora com deslumbrantes visuais aprimorados, recursos adicionais, um novo modo e jogabilidade melhorada, esta é a experiência definitiva de Sonic Colors.

ANÁLISE DE SONIC COLORS: ULTIMATE

O visual gráfico é parte fundamental para uma experiência completa em Sonic Colors: Ultimate. Afinal, o título lançado para consoles anteriores da Nintendo é bem avaliado pela comunidade. Além do nome fazer alusão às cores, é claro.

Ou seja, havia grande expectativa para essa remasterização lançada agora para PC e consoles. Por isso, a enxurrada de bugs que tomou conta das redes sociais antes do lançamento da versão padrão de Sonic Colors: Ultimate realmente prejudicou o jogo.

Recebemos o jogo na noite de 6 setembro e afirmo que não notei bugs visuais comprometedores. Acredito que entre o lançamento antecipado e horas antes de lançá-lo oficialmente a SEGA e a Blind Squirrel Games conseguiram corrigir problemas graves. Alguns relatos mostravam que já na primeira fase os graves glitches ocorriam, mas felizmente não estão mais acontecendo (ao menos no Switch).

Sonic Colors: Ultimate é a remasterização do jogo lançado em 2010 e está disponível para PC e consoles. Leia nossa análise pro Nintendo Switch

Apesar de não contar mais com bugs visuais, isso não significa que a qualidade gráfica de Sonic Colors: Ultimate esteja plenamente resolvida. As cutscenes e os mapas dos mundos possuem problemas de acabamento.

Os destaques negativos das cutscenes são a estranha coloração de Tails e o serrilhado perceptível, especialmente nos ambientes. Em alguns momentos também há o uso excessivo de blur, indicando que a adaptação para a resolução atual poderia ser melhor.

A respeito dos mapas, podemos dizer que o excesso de cores fez pesar ainda mais um cenário com grande quantidade de informações. O serrilhado também está presente nesta parte.

A impressão que eu tive é que o mapa interplanetário e as telas de cada planeta apenas foram ampliadas para resoluções maiores. Dessa forma, diversos elementos coloridos estão muito próximos, quando o ideal seria refiná-los e dar mais espaçamento entre cada um.

Sonic Colors: Ultimate possui uma gameplay divertida e variada

Como destaquei antes, a parte visual ficou no centro das atenções por ser parte fundamental para o jogo. No entanto, a experiência em Sonic Colors: Ultimate não se limita a isso. E é na gameplay que residem seus melhores méritos.

Pelos trailers dá a impressão de que o jogo é constantemente veloz. Quase como um teste contínuo para sua coordenação motora, como se apertar botões para pular e utilizar habilidades do Sonic fossem apenas ações automáticas, sem muito pensar.

No entanto, o jogo mescla bem a adrenalina da velocidade, que se consolidou principalmente graças aos títulos para Mega Drive, com o estilo plataforma que tornou a franquia um sucesso.

Sonic Colors: Ultimate é a remasterização do jogo lançado em 2010 e está disponível para PC e consoles. Leia nossa análise pro Nintendo Switch

Além de fases que mesclam bem os dois modos de jogo, para zerar Sonic Colors: Ultimate você precisará voltar em planetas vencidos anteriormente. Isso porque muitas habilidades especiais dos Wisps são liberadas gradativamente, o que permite que você acesse áreas que na sua primeira experiência não poderiam ser acessadas, pois os Wisps estavam bloqueados.

Um outro fator muito positivo de Sonic Colors: Ultimate é a experiência puzzle em alguns momentos. Um exemplo disso é o uso da habilidade laser. Essa mistura de estilos ação, plataforma e puzzle torna o jogo bem dinâmico e divertido.

Os tutoriais em meio às fases são importantes e fáceis de compreender. Isso beneficia a experiência, especialmente porque a maioria é um ícone que você precisa habilitar para receber a informação.

No entanto, fica uma ressalva sobre a experiência de retornar em planetas jogados anteriormente: Há momentos em que não há como desviar dos tutoriais, de modo que a repetição acaba sendo cansativa, pois quebra o ritmo de jogo.

VEREDITO

Sonic Colors: Ultimate é um jogo dinâmico e divertido que garante horas de entretenimento. O novo game da SEGA e Blind Squirrel Games oferece uma agradável experiência imersiva em um título que mistura bem os estilos de ação, plataforma e puzzle.

Havia grande expectativa para essa remasterização, que infelizmente foi frustrada antes mesmo do lançamento oficial da versão padrão. Apesar dos problemas visuais mais graves terem sido corrigidos rapidamente, os bugs colocaram o título em uma situação difícil de reverter, pois há também aspectos visuais que não são glitches, e sim de acabamento que poderia ser melhor, considerando a capacidade gráfica do Nintendo Switch e das demais plataformas.

Nossa nota

3,8 / 5,0

Assista ao trailer de Sonic Colors: Ultimate

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Quanto Vale? (2021, Sara Colangelo)
Próximo artigoInspiration4: Viagem Estelar | Conheça a ambiciosa minissérie da Netflix
Jornalista pós-graduado em Jornalismo Digital, fã de Mr. Robot, Pokémon e com uma menção honrosa a 24 Horas, o seriado que me fez entrar no mundo de séries e filmes.