CRÍTICA – The Mageseeker: A League of Legends Story (2023, Riot Forge)

    The Mageseeker conta a história de Sylas, um ladrão de feitiços preso por muitos anos que ao se aproveitar de uma brecha, consegue fugir de seu longo cativeiro. Produzido pela Digital Sun Games, produtor do adorado Moonlighter e publicado pela Riot Forge, o game nos leva pelo mundo criado pela Riot, adorado por muitos fãs de League of Legends. E aos novos jogadores – e não conhecedores do mundo de League of Legends -, enquanto mergulhamos pela história daquele mundo, conhecemos como sua estrutura geopolítica é organizada. Ou melhor, mais especificamente, como os magos são temidos e caçados.

    Os Caçadores de Mago tem um importante papel na inibição dos indivíduos que possuem qualquer tipo de habilidade mágica, que são caçados e aprisionados. Assim como algumas das ameaças que enfrentamos naquele mundo, nosso personagem, Sylas possui uma ligação muito mais profunda com os Caçadores de Magos do que imaginamos.

    SINOPSE

    Feito pela Digital Sun, criadores de Moonlighter, The Mageseeker é um RPG de ação no universo de League of Legends. Jogue com Sylas, um mago recém-libertado após anos de cativeiro. Use as correntes que um dia prenderam você para libertar Demacia da tirania dos Caçadores de Magos.

    ANÁLISE

    The Mageseeker

    Ambientados em Demacia, acompanhamos a história daquele reino, nascido como um refúgio contra a feitiçaria após as Guerras Rúnicas, construída sobre uma peculiar pedra com propriedades mágicas, as petricitas. Como controlamos Sylas, acompanhamos sua história desde a infância. Criado em um dos bairros mais pobres de Demacia, Sylas de Dregbourne acabou se tornando um dos símbolos do lado mais sombrio da cidade.

    Ao descobrir ainda na infância uma habilidade de identificar magia, ele chamou atenção de Caçadores de Mago, que pouco tempo após trabalhar com eles, foi capturado por revelar a verdadeira extensão de seus poderes.

    Enquanto passou muitos anos preso, Sylas alimentou um ódio profundo por seus captores e quando fugiu, jurou matar até o último deles. O game nos leva por uma viagem intimista, nos apresentando a história de Sylas, o prisioneiro que buscava vingança, mas que acaba por liderar uma das maiores revoltas daquele mundo e posar como uma grande ameaça.

    Um elemento importante da lore de Sylas, vem do fato dele conseguir absorver poderes de seus inimigos. Não sendo de fato um produtor de magia, mas um condutor da mesma. Como citado anteriormente, o fato de Demacia ter sido construída sobre uma enorme reserva de petricita, as correntes com que Sylas estava preso, era feita do mesmo material. Com o tempo, nosso “herói” aprendeu mais sobre as propriedades condutoras do material, o que proporcionou sua fuga.

    JOGABILIDADE, MAGIAS E VISUAL DE THE MAGESEEKER

    The Mageseeker

    A jogabilidade de The Mageseeker se baseia quase que inteiramente em combate direto e como navegamos pelo mundo do game. Quando Sylas foge de Demacia, ele se abriga na floresta fora da cidade e encontra em seus aliados mágicos como Leilani, a oportunidade de tomar a cidade e se vingar. Pelo caminho, Sylas encontra aliados tão ou mais poderosos que ele, que se juntam ao grupo e o tornam ainda mais poderoso.

    Com um visual top down, o game mostra o quão bonito e rico o mundo de League of Legends pode ser. Sendo diverso, os mapas do game nos apresentam desde florestas obscuras, até cidades que reagem aos nossos movimentos.

    Após criarmos uma espécie de base, o game nos permite realizar missões a fim de garantir maiores poderes e habilidades a fim de enfrentar uma vindoura ameaça. Essas missões giram em torno de secundárias e principais. As missões secundárias nos permite coletar itens e também, novos personagens, que poderão se juntar a sua equipe.

    As magias de Sylas giram em torno da mistura dos elementos, que podem tanto ser roubadas, como preparadas por um dos nossos parceiros em nosso acampamento. Com um combate baseado quase que inteiramente em forças e fraquezas, esses elementos podem ser tanto trocados quanto absorvidos dos nossos inimigos. Permitindo assim, que os jogadores causem stun nos inimigos golpeando-os assim e causando ainda mais dano.

    Outro ponto positivo no game, vem de como ele é apresentado e projetado. Com um level design interessante e de fácil entendimento, o game deixa pistas visuais para elementos e itens escondidos ao longo dos mapas. Sendo assim, o mundo de The Mageseeker é brilhante e conciso.

    O visual de The Mageseeker e de seus personagens é cativante. Eles nos levam por uma viagem curiosa e corajosa, principalmente para os jogadores que não são fãs, ou não estão familiarizados com o mundo de League of Legends. Enquanto apresenta uma bela porção da história daquele mundo, o game faz com que seus jogadores tenham por algumas horas um “intensivão” de narrativas daquele mundo, mas de maneira amigável.

    VEREDITO

    The Mageseeker: A League of Legends Story nos leva por uma viagem divertida, desafiadora e contundente. Com uma mensagem poderosa, é incrível ver como a Riot está aos poucos diversificando sua IP ao dar a oportunidade de outros estúdios contarem sua incrível história de maneiras completamente inventivas – como a Digital Sun Games fez com The Mageseeker, e também como a Airship Syndicate fez com Ruined King.

    The Mageseeker merece ser jogado e com certeza encantará até quem não é fã de League of Legends.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Confira o trailer do game:

    O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é TWITCH-1024x190.jpg

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Sker Ritual’ combina terror com muita ação

    Sker Ritual é um fps de terror repleto de ação. O game é o sucessor espiritual do game do mesmo estúdio Maid of Sker.

    EU CURTO JOGO VÉIO #8 | ‘The Darkness’ era uma escapada da rotina dos FPS

    The Darkness é um jogo FPS desenvolvido pela Starbreeze e publicado pela 2K, lançado em 2007 para PlayStation 3 e Xbox 360.

    Indie World: Confira todos os anúncios da conferência da Nintendo

    A Indie World chegou rapidinho e trouxe incríveis anúncios. O evento anunciou indies que chegarão ao Switch durante todo o ano.

    CRÍTICA: ‘Harold Halibut’ é aventura sci-fi stop-motion com narrativa profunda e envolvente

    Harold Halibut é uma aventura única. Em uma viagem ao desconhecido, somos lançados na história de Harold à bordo da Fedora, uma nave submersa.