CRÍTICA – The Stanley Parable: Ultra Deluxe (2022, Crows Crows Crows)

    The Stanley Parable: Ultra Deluxe é um remaster do game de 2013 desenvolvido pela Crows Crows Crows. A nova versão preserva toda identidade visual e narrativa do jogo original, mas acrescenta conteúdos e novos finais.

    Alucinante e desafiador, o game está disponível para PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X | S e Nintendo Switch. Confira o que achamos dessa louca experiência no console híbrido da Nintendo.

    SINOPSE

    The Stanley Parable: Ultra Deluxe é um jogo de aventura em primeira pessoa. Você jogará como Stanley e não jogará como Stanley. Você fará uma escolha e terá suas escolhas tiradas de você. O jogo vai acabar, o jogo nunca vai acabar. Contradição segue contradição, as regras de como os jogos devem funcionar são quebradas, depois quebradas novamente. Você não está aqui para vencer.

    The Stanley Parable: Ultra Deluxe é uma releitura expandida do jogo indie premiado e aclamado pela crítica The Stanley Parable de 2013.

    Tudo o que estava no Stanley Parable original está aqui, preservado como em 2013. Mas The Stanley Parable Parable: Ultra Deluxe também expande dramaticamente o mundo do jogo original com novos conteúdos, novas escolhas e novos segredos para descobrir. O labirinto acaba de ficar maior.

    Além disso, o jogo foi atualizado visualmente para refletir a tecnologia moderna, preservando fielmente o tom do jogo original. Recursos de acessibilidade também foram adicionados, incluindo localização de texto, opções daltônicas e avisos de conteúdo.

    E assim como antes, a voz impecável de Kevan Brighting irá acompanhá-lo a cada passo do caminho.

    Em The Stanley Parable: Ultra Deluxe, tudo o que você lembra foi recriado, mas é diferente de alguma forma. Já estivemos aqui antes, não estivemos? Stanley ainda é o mesmo que era naquela época? Ou foi você que mudou?

    ANÁLISE

    “Essa é a história de um homem chamado Stanley”. Depois de diversas horas jogando The Stanley Parable, essa é uma das frases que, provavelmente, você escutará até enquanto dorme. Com um storytelling desafiador, frustrante e brilhante (ao mesmo tempo), o jogo criado por Davey Wreden e William Pugh é uma experiência arrasadora e que te mantém viciado em tentar encontrar respostas improváveis em meio ao caos de sua narrativa.

    A versão de 2022 de The Stanley Parable brinca com elementos da cultura pop e dos jogos atuais, para complementar um roteiro que, por si só, já é muito bem construído. Ao adicionar colecionáveis com missões inúteis (será mesmo?), referências a outros jogos e uma gama de conteúdo novo (que se chama conteúdo novo), toda a sua construção se torna ainda mais satisfatória, rendendo horas e mais horas de paranoia.

    CRÍTICA - The Stanley Parable: Ultra Deluxe (2022, Crows Crows Crows)

    No game você é Stanley, um homem que trabalha em um escritório, na sala 427. Sua função é apertar botões, completando sequências que são informadas para ele ao longo do dia. A vida de Stanley se transforma quando seus colegas de trabalho desaparecem e ele se vê sozinho, preso na empresa e sem respostas.

    Com o ímpeto de romper barreiras e encontrar algum sentido para toda essa situação, o jogador precisa seguir as ordens do narrador, fazendo escolhas a cada nova porta que aparece. Quando você desvia do curso planejado, o jogo muda, mostrando que as suas escolhas não fazem diferença nenhuma, pois você não está no controle de nada (de qualquer forma).

    Para descobrir todos os finais disponíveis em The Stanley Parable você precisa fazer as escolhas. E, assim como na vida real, cada escolha leva a um caminho diferente, que pode significar algo bom ou algo ruim. Aqui não há vencedores, mas a jornada é uma forma divertida de repensar a nossa própria condição dentro do grande sistema em que vivemos.

    Eu nunca havia jogado The Stanley Parable antes da versão Deluxe, tampouco havia recebido algum tipo de spoiler sobre ele. Portanto, a experiência foi arrebatadora, principalmente quando eu pude entender toda a complexidade e profundidade de ter um balde como meu fiel companheiro. É totalmente esclarecedor e único!

    Deixando a brincadeira de lado, uma das coisas mais legais no game é a narração e o trabalho de condução que ela possui. A dinâmica das fases por si só é bem simples (um fluxograma de escolhas), mas a narração de Kevan Brighting e a forma como ele te instiga a fazer exatamente o contrário do que ele manda é brilhante. Afinal, não há nada mais instigante do que quebrar as regras e fazer o narrador ter um ataque de fúria.

    CRÍTICA - The Stanley Parable: Ultra Deluxe (2022, Crows Crows Crows)

    Mesmo com um humor leve na maior parte do tempo, o jogo consegue transitar por situações angustiantes e, por vezes, tristes. Alguns finais nos fazem questionar a nossa própria existência, enquanto outros são uma patacoada sem tamanho. Tudo possui um balanço que funciona e, utilizando uma trilha sonora certeira, cria uma experiência muito recompensadora.

    Apesar do game não possuir gráficos inovadores, sendo uma escolha da própria empresa de manter a identidade original da história, a jogabilidade é ótima, fluindo muito bem no Nintendo Switch. É verdade que em alguns momentos você sente travamentos, ou quedas de FPS, e isso ocorre principalmente nas áreas que possuem localizações diferenciadas e utilizam de uma saturação maior de cores e elementos. Entretanto, não é algo muito prejudicial, sendo possível aproveitar tranquilamente a história.

    Alguns finais podem ser menos divertidos do que outros, mas as surpresas que você tem ao longo do caminho (que são muitas) compensam essas escolhas não tão inspiradas. Se você puder jogar sem ter nenhum contato com spoilers melhor, pois você passará por tantas reviravoltas inimagináveis que é impossível não gargalhar em diversos momentos. A construção da expectativa, a desconstrução dela e a criação de um laço com o narrador são elementos marcantes e que dão um grande charme ao jogo.

    VEREDITO

    The Stanley Parable: Ultra Deluxe é inteligente, elegante, brilhante e extremamente divertido. Uma experiência diferenciada que certamente encontrará um espaço especial na sua lista de melhores jogos.

    Nossa nota

    5,0/5,0

    Assista ao trailer:

    Acompanhe as lives do Feededigno na Twitch

    Estamos na Twitch transmitindo gameplays semanais de jogos para os principais consoles e PC. Por lá, você confere conteúdos sobre lançamentos, jogos populares e games clássicos todas as semanas.

    Curte os conteúdos e lives do Feededigno? Então considere ser um sub na nossa Twitch sem pagar nada por isso. Clique aqui e saiba como.

    Artigos relacionados

    Xbox Game Pass: 8 jogos adicionados recentemente

    O Xbox Game Pass é um serviço da Microsoft que oferece uma variedade de títulos para donos de Xbox One, Xbox One S, Xbox Series X | S e PC.

    CRÍTICA – Relic Hunters Rebels (2022, Rogue Snail)

    Desenvolvido pelo estúdio brasileiro indie Rogue Snail, Relic Hunters Rebels (Relic Hunters: Rebeldes, em português) é o primeiro jogo da franquia exclusivamente para celulares...

    CRÍTICA – Weird West (2022, Devolver Digital)

    Das mentes geniais do indie Wolfeye Studios, impulsionadas pela excelente Devolver Digital, surgiu Weird West. Confira nossa análise.

    CRÍTICA – Nintendo Switch Sports (2022, Nintendo)

    Nintendo Switch Sports foi lançado em 29 de abril de 2022 para o console híbrido da Nintendo é o sucessor do Wii Sports. Leia nosso review.