CRÍTICA – Wasteland 3 (2020, Deep Silver)

    Lançado no dia 28 de Agosto de 2020 para PC, Xbox One e PS4, Wasteland 3 é um RPG de esquadrões com combate baseado em turnos desenvolvido pela inXile Entertainment e distribuído pela Deep Silver.

    O jogo é o terceiro de uma série que iniciou como um jogo para MS-DOS em 1988. Apesar de ser parte de uma franquia, iniciantes não perdem em nada, já que um resumo é feito no início e sempre existem inserções pontuais quando é necessária alguma explicação sobre o enredo tratado nos games passados.

    INICIANDO A AVENTURA

    Wasteland 3

    O jogo já no início te permite escolher 2 dos membros principais e iniciais do seu esquadrão. Existem algumas opções predefinidas, com lores desenvolvidas e estipuladas para auxiliar na imersão, mas caso queira, pode criar a dupla desde o zero com um sistema de personalização com uma variedade suficiente de opções.

    Cada personagem tem características e habilidades específicas, que acabam norteando as possibilidades de evolução no game.

    É possível progredir tanto de maneira mais furtiva, quanto usando de habilidades de hack ou simplesmente da brutalidade de um personagem mais resistente e agressivo.

    A oportunidade de escolha é um dos pontos fortes do jogo.

    Assista nossa live com as primeiras impressões de Wasteland 3

    BONS PONTOS FORTES

    Wasteland 3

    A trama de Wasteland 3 apresenta um conflito geopolítico em um mundo pós-apocalíptico muito bem trabalhado e desenvolvido. A proposta do game colabora para o envolvimento do jogador com todas as escolhas e combates.

    O balanceamento entre ação, dilemas morais e momentos de comédia é bem equalizado, permitindo um bom aproveitamento de todas as nuances.

    O sistema de combate foi bem desenvolvido, dispondo de recursos de probabilidade, limite de ação e opções táticas variadas.

    Todas estas características, além da variação de habilidades e características dos personagens, trazem um bom tempero para a estratégia do jogo.

    Apesar de acessível para novatos, o jogo pode exigir bastante até de jogadores experientes em níveis de dificuldade mais altos.

    MUITOS CONTRAS?

    Tecnicamente, o gráfico acaba deixando a desejar um pouco, com algumas quedas de FPS e bugs em texturas que acabam se tornando repetitivos.

    Em geral, os visuais são bastante bonitos e condizentes com a trama, ajudando bastante na ambientação, mas os bugs deixam o jogo com um aspecto de má otimização e pressa na entrega.

    Estes detalhes atrapalham, mas não comprometem a rica história nem o bom sistema de combate.

    Além destas questões gráficas, uma das maiores críticas de fãs do gênero é a ausência de limite de inventário, o que dá maior liberdade tira um pouco a dificuldade que é característica em jogos deste tipo.

    Os combates, por serem táticos, tendem a ser demorados, mas não tanto quanto os loadings e as cenas de diálogo ou leitura de texto. 

    Wasteland 3 não foi traduzido para o português, nem dublagem, nem legenda. Por ter muito do seu conteúdo, como a história, conversas, além de easter eggs e sacadas cômicas em formato de texto, a ausência de uma tradução acaba limitando o aproveitamento do jogo por parte de alguns players.

    VEREDITO

    Fãs do gênero ou fãs da série, apesar destas limitações, têm grandes chances de ter uma experiência bastante satisfatória com o game.

    Wasteland 3 tem uma entrega bastante honesta, com bons desafios mas nada impossível. A história ajuda a ficar vidrado e consumir o jogo repetidas vezes.

    Nossa nota

    3,0 / 5,0

    Nota do público
    Obrigado pelo seu voto



    Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

    Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘Skull and Bones’ é uma boa experiência marítima 

    Skull and Bones é o mais novo lançamento da Ubisoft para o PlayStation 5, Xbox Series X | S e PC. Veja o que achamos!

    CRÍTICA: ‘Tomb Raider I-III Remastered’, coletânea é remaster respeitoso e faz jus ao legado

    Tomb Raider I-III Remastered é a coletânea remasterizada das primeiras aventuras de Lara Croft. O Remaster chegou em fevereiro aos consoles e PC.

    Desbloqueando o entretenimento com Códigos de Bônus de cassino

    Veja como identificar a melhor e mais segura plataforma de jogos para poder conseguir Códigod de Bônus sem correr o riscos?

    Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça | Quando um game deveria ser uma animação

    Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça chegou ao PlayStation 5, Xbox Series X | S e PC. Veja o que achamos do novo game da DC!