Início LIVROS Crítica CRÍTICA – Drácula (2019, Pandorga)

CRÍTICA – Drácula (2019, Pandorga)

dracula

Drácula é uma obra de terror e ficção realizada pelo lendário escritor Bram Stoker, sendo distribuída no Brasil pela editora Pandorga.

SINOPSE

Jonathan Harker é um jovem convidado temporário de Conde Drácula para fazer a burocracia da compra de terras por parte do anfitrião sombrio. Entretanto, Harker se torna prisioneiro de Drácula e agora conta os dias para que sua vida acabe.

ANÁLISE

Drácula de Bram Stoker é uma das maiores obras de todos os tempos e aqui ela é retratada com maestria, pois a atmosfera é incrível nesta excelente leitura.

A começar por seus personagens, o livro consegue nos apresentá-los de forma detalhada, mas não cansativa, uma vez que seus relatos são ricos em informações e características de seus personagens. A trama é densa e cheia de momentos memoráveis, uma vez que traz uma imersão muito forte ao leitor.

O Conde tem uma presença quase que onipresente, visto que o seu nome causa arrepios na população da Europa e Bram Stoker consegue passar isso muito bem em seu texto. Vemos a todo o momento que Drácula é uma figura poderosa e que tem muita influência por suas ações, pois traz consigo muitos discípulos perigosos. 

Ao evocar uma lenda tão importante fazendo o leitor ligar os pontos e se envolver tanto quanto seus protagonistas, o escritor acerta em cheio na sua narrativa. Os personagens secundários abrilhantam a obra e o formato documental dá certo realismo aos fatos, visto que apresenta um ar mais sóbrio ao fantástico.

Por se tratar de uma edição especial, o livro conta com uma estética incrível, pois conta com uma capa dura e um vermelho vibrante. Todo o colecionador que se preze deve comprar a obra literária, uma vez que ela está impecável.

VEREDITO

Drácula de Bram Stoker é uma leitura indispensável para os fãs de terror e de uma das figuras mais conhecidas da cultura pop.

Com uma história assustadora e excelentes personagens, o livro é um deleite para quem gosta de boas tramas.

Nossa nota

4,5 / 5,0

Autor: Bram Stoker

Editora: Pandorga

Páginas: 437

É fã de vampiros e de Drácula, leia também:

CRÍTICA – Drácula (2020, Steven Moffat e Mark Gatiss)

Drácula: Dissecando a criatura mais popular da cultura pop

TBT #17 | Drácula de Bram Stoker (1992, Francis Ford Coppola)

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA | Box – O Mundo de Oz (2020, Pandorga)
Próximo artigoCRÍTICA – Tribes of Europa (1ª temporada, 2021, Netflix)
Relações-públicas, gremista, nerd, escorpiano e palestrinha. Parece futebolista, pois só vive descendo a lenha. DC é melhor que Marvel, todavia, amamos as duas.