Início SÉRIE Artigo Avatar: A relação complexa entre Humanos e Espíritos

Avatar: A relação complexa entre Humanos e Espíritos

48
0
Avatar

Avatar: O Último Mestre do Ar sempre contou com mais mágica do que artes marciais elementais. Além do mundo humano estava o Mundo Espiritual, e quando eles se cruzavam, a série, seus spin-offs e sequências criavam histórias fantásticas. O que torna tal fantasia tão impactante, entretanto, é a realidade ligada a isso – e quando se tratava de espíritos em Avatar, nada se mostrou mais fascinante do que a sua relação com o mundo humano.

Conforme a história do mundo de Avatar se desenrola, há um conflito entre humanos e espíritos. Na época do Avatar Wan, a civilização humana viajava o mundo nas costas de Leões Tartarugas Gigantes, mas Wan se aventurava pelo mundo atrás de comida.

Não familiarizado com o meio ambiente, e percebendo que todos os espíritos o viam como uma ameaça, o relacionamento entre os dois grupos consistia apenas em antagonismo e animosidades. Isso aconteceu até Wan começar a conviver com os espíritos e aprender que a cooperação logo começara a dar frutos.

Infelizmente, Wan não podia fazer tanto, e ao liberar os espíritos Raava e Vaatu – que se digladiavam desde o início dos tempos – da sua luta eterna, Wan permitiu que a influência sombria de Vaatu se espalhasse pelo mundo. Com a ajuda de Raava, ele se tornou o primeiro Avatar e selou Vaatu por milênios, mas sua influência sombria permaneceu, e com o passar do tempo ficou claro que entre os humanos e espíritos havia feridas irreparáveis. Wan enviou os espíritos para o Mundo Espiritual e os isolou do mundo material, e por centenas de anos, os dois mundos se mantiveram separados.

Avatar

Isso não significa que cruzar entre os dois mundos se tornou impossível, entretanto, conflitos ainda aconteciam. Avatares antes de Aang lutavam contra os espíritos, como a Avatar Yangchen lutando contra o General Old Iron antes de estabelecer o Festival de Yangchen como uma maneira diplomática de agradá-lo.

O predecessor de Yangchen, Kuruk também se mostrou bastante conflituoso quando o assunto eram espíritos, enraivecendo Koh o Ladrão de Rostos, que roubou o rosto do amor da vida de Kuruk, Ummi. Mesmo na época de Aang, Kuruk continuou procurando Ummi pelo Mundo Espiritual, e o próprio Aang viu o rosto de Ummi quando encontrou Koh.

Aang se mostrou como uma verdadeira força diplomática, acalmando o espírito Hei Bai quando ele se enraiveceu após testemunhar a destruição de sua floresta.

O Espírito da Lua e o Espírito do Oceano tiveram grande importância no crescimento de Aang como Avatar, durante o tempo que passou na Tribo da Água do Norte. Quando o Almirante Zhao se tornou Zhao Destruir da Lua após destruir o Espírito da Lua, e foi a amiga de Aang, Yue que sacrificou sua vida para restaurá-la.

Os espíritos se mostraram presentes mesmo quando Katara se passou pela Dama Pintada para libertar uma vila de pescadores da Nação do Fogo, que forçava os moradores a trabalhar em uma fábrica. Ao fim desse arco, a verdadeira Dama Pintada apareceu para Katara para agradecê-la.


Avatar

Por fim, a relação de Aang com o Mundo Espiritual se mostrou de diplomacia, com Aang adequadamente cumprindo o papel do Avatar como a Ponte Entre os Mundos.

Uma mudança revolucionária veio mais tarde, quando a reencarnação de Aang, Korra questionou a razão e a necessidade de haver uma ponte afinal. Após aprender a história do Avatar Wan e lutar contra espíritos furiosos do Polo Sul, Korra percebeu que era de uma união entre os espíritos e os humanos que o mundo verdadeiramente precisava. Ela abriu os portais espirituais entre os dois, e a história do mundo mudou para sempre.

A Convergência Harmônica restaurou o equilíbrio do mundo, revitalizando a Nação do Ar quando ela já estava quase extinta.

Republic City, se tornou o lar das videiras espirituais e um portal para o Mundo Espiritual, colocando a cidade na vanguarda e provando que os humanos e espíritos podiam viver em harmonia.

A relação se mostrou complicada, mas a última HQ de Korra, pareceu mostrar que os dois mundos estavam se adaptando, enquanto o novo quadrinho A Sombra de Kyoshi mergulhará no passado, mostrando mais da antiga animosidade entre humanos e espíritos.


Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Comentários