CRÍTICA – Better Call Saul (6ª temporada, 2022, Netflix)

    Better Call Saul chegou ao final de sua sexta temporada. Recheada de momentos incríveis, a produção criou uma trajetória para o personagem secundário de Breaking Bad, enriquecendo ainda mais esse universo.

    Confira abaixo a nossa crítica da temporada.

    SINOPSE

    Depois do ataque a Lalo, Nacho foge. Jimmy e Kim bolam um plano para sabotar Howard. Mike questiona as intenções de Gus.

    ANÁLISE

    Better Call Saul, sem sombra dúvidas, é mais um marco da televisão que Vince Gilligan e Peter Gould realizaram com o mesmo brilhantismo de Breaking Bad. Neste último ano acompanhamos o final da odisseia tragicômica de Saul Goodman (Bob Odenkirk) que, ao longo dessas seis temporadas, teve todo o seu passado e presente desenvolvidos de forma única e mostrando o quão esse personagem foi incrível em Breaking Bad, mas que em sua série teve seu brilho elevado.

    A maneira como o enredo se desenvolve irá mudar completamente seu ponto de vista sobre Saul Goodman, e o fato de que toda a temporada foi resolvida de maneira efetiva é algo que será difícil de encontrarmos novamente na televisão. No final temos a redenção dos atos do passado, e apresentação do presente de Goodman. Além disso, vale ressaltar que foi fantástico como Kim Wexler (Rhea Seehorn) foi ganhando destaque e se tornando uma personagem tão importante para vida de Jimmy McGill até se tornar Saul Goodman.

    A forma que ela foi evoluindo ao longo de toda série foi realmente incrível, se tornando a cara metade de Saul Goodman, mas que infelizmente acabam encontrando um destino agridoce diante de alguns acontecimentos. Acontecimentos esses que acabam tornando a vida de ambos em um poço de culpa e ressentimentos.

    Contudo, esse passado obscuro acaba retornando para reunir Kim Wexler e Saul Goodman de uma maneira que eles nunca iriam imaginar, mas esse local foi o berço de aprendizagem de ambos.

    Better Call Saul

    A temática do último episódio foi sobre arrependimento. Com isso, Jimmy McGill/Saul Goodman tem importantes diálogos com personagens que foram de suma importância em Better Call Saul e Breaking Bad. Goodman questiona sobre seus arrependimentos e o que fariam se fosse possível voltar atrás e fazer diferente.

    Diante desse tema, temos um excelente final para Saul, que ao longo de toda a série foi um homem que apenas ligou para o dinheiro e nunca se preocupou de passar por cima de pessoas que fossem ameaça para seu sucesso. Porém, aqui, ele tem sua redenção.

    Em suma, Better Call Saul é um marco na carreira de todos os envolvidos e que certamente vai deixar saudades desse mundo tão obscuro do narcotráfico criado por Vincent Gillar e Peter Gould.

    VEREDITO

    Por fim, Better Call Saul certamente vai entrar para história da televisão e encerra com chave de ouro toda a história de Breaking Bad de forma única e avassaladora.

    Nossa nota

    5,0 / 5,0

    Assista ao trailer

    Inscreva-se no YouTube do Feededigno

    Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

    Artigos relacionados

    CRÍTICA: ‘The 8 Show’ é impactante e reflexivo

    'The 8 Show' é uma série original Netflix. A série adapta os webtoons Money Game e Pie Game de Bae Jin Soo.

    CRÍTICA: ‘Sugar’ é suspense noir de mais alto nível

    Sugar é a mais nova série do Apple TV+. Estrelada por Colin Farrell e grande elenco, acompanhamos a jornada do investigador John Sugar.

    Doctor Who: Conheça algumas curiosidades sobre a série

    A nova temporada de Doctor Who chegou com o melhor da série: muito humor, grandes vilões, incríveis batalhas e muitas voltas no tempo.

    Lançamentos Netflix: Veja o que chega em junho

    Junho já está chegando e nada melhor que ficar por dentro dos próximos lançamentos Netflix! Veja as produções da gigante do streaming.