Início ANIMES CRÍTICA – Castlevania (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Castlevania (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Castlevania (4ª Temporada, 2021, Netflix)

Castlevania é uma animação da Netflix baseada na franquia de jogos da Konami. Neste dia 12 de maio, a quarta e última temporada chega ao serviço de streaming. Com isso em mente, farei uma breve análise dessa última temporada sem spoilers.

SINOPSE

A influência de Drácula cresce à medida que Belmont e Sypha investigam os planos para ressuscitar o famoso vampiro. Alucard tem dificuldades para abraçar seu lado humano.

ANÁLISE

Nessa última temporada temos a solução de diversas pontas soltas dos anos anteriores. A produção segue com um bom ritmo e não perde seu brilho ao longo de todo a história, sendo uma excelente adaptação da famosa franquia da Konami.

Ao longo dos 10 episódios dessa temporada temos a apresentação de novos personagens que tem seu background explicados por flashback. A maneira que essa narrativa é introduzida na animação é bem lenta e acaba se alongando, utilizando a metade de um episódio para explicar as reais intenções desses personagens.

No entanto, esse recurso narrativo acaba sendo bastante exaustivo, pois acredito que daria para ser explicado em poucas cenas e não se expandindo tanto. Apesar disso, o enredo principal segue bem desenvolvido e caminhado para um final épico.

Além disso, eu senti que a trama demorou cerca de três episódios para realmente engatar. No entanto, seu desenrolar desencadeia  nos eventos do enredo principal, que tem a ver com a tentativa de trazer Drácula de volta.

CRÍTICA – Castlevania (4ª Temporada, 2021, Netflix)

A partir desse ponto, seguimos Belmont e Sypha em sua investigação sobre os novos personagens da história. Os desfechos que temos para Belmont e Sypha são realmente satisfatório, bem como o desfecho de Alucard, que certamente vai agradar os fãs.

Em relação a animação, o anime continua sensacional e apresenta excelentes cenas com batalhas épicas que são realmente de tirar o folego. No entanto, em alguns momentos a animação tem uma leve queda de qualidade, principalmente quando existem muitos personagens em uma mesma cena, mas nada que seja tão gritante.

Apesar do final satisfatório, acredito que futuramente exista a possibilidade de criarem spin-off com outros personagens da série. Pois, temos um leque de possibilidades para contar outras histórias dentro de universo.

VEREDITO

Por fim, essa última temporada de Castlevania entrega um final excepcional com uma trama bem desenvolvida e que com certeza trará novos fãs para franquia de jogos da Konami – que infelizmente encontra-se esquecida. Mas a série é uma ótima porta de entrada para conhecer esse universo sombrio de Castlevania.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – Os Filhos de Sam: Loucura e Conspiração (1ª temporada, 2021, Netflix)
Próximo artigoCRÍTICA – Uma Mulher no Limite (2019, Abner Pastoll)
Eu sou apenas um rapaz latino-americano que curte quadrinhos, games, livros e cinema.