Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Dinastia (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Dinastia (4ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA - Dinastia (4ª temporada, 2021, Netflix)

Dinastia, a série de sucesso da Netflix é baseada na novela dos anos 1980 do mesmo nome. A trama estreou em 2017 e desde então tem passado por altos e baixos em sua audiência e gerando muitas críticas dos espectadores.

A temporada foi produzida pela CBS Television Studios, com Josh Reims como showrunner e produtor executivo ao lado dos produtores executivos Josh Schwartz e Stephanie Savage.

O elenco conta com Elizabeth Gillies, Grant Show, Rafael de la Fuente, Robert Christopher Riley, Sam Adegoke, Alan Dale, Daniella Alonso e Sam Underwood.

SINOPSE

A série acompanha duas das famílias mais ricas da América, os Carringtons e os Colbys, enquanto elas brigam pelo controle de suas fortunas e seus filhos. A história mais uma vez gira em torno da estrela da série, Fallon Carrington (Elizabeth Gillies) e seu pai bilionário Blake Carrington (Grant Show). Dramas, busca incansável pelo sucesso, intrigas e luxúria são alguns dos objetivos que as famílias têm em comum.

ANÁLISE

Nunca foi tão inquietante assistir Dinastia com seus 22 episódios, explico: o primeiro episódio nos faz querer maratonar a série, no entanto, após longos e longos minutos consumindo o mesmo roteiro de temporadas passadas você já não aguenta mais prever as cenas seguintes.

A quarta temporada estreou dia 22 de outubro na Netflix e muitos fãs estavam ansiosos e cheios de teorias na esperança de buscar respostas de muitas pontas soltas das temporadas passadas. Embora a série tenha recebido elogios mundiais por seu enredo incrível, ela se perde a partir da terceira temporada e se mantém assim na sequência; com arcos de personagem que não se conectam.

Abordando um tema em que manter viva a dinastia da família Carrington é o que importa, seu roteiro esquece completamente de mencionar Steven (James Mackay) que desde a terceira temporada é deixado de lado. Fallon, Adam (Sam Underwood) e Amanda (Eliza Bennett) estão bem conectados, que é uma dinâmica para a qual a presença de Steven seria perfeita. Falharam miseravelmente.

A produção de seus figurinos e cenários se mantém intactos atrelados a atuações memoráveis que fazem o número de fãs crescer a cada sequência. Os atores são espetaculares, mas o roteiro caiu bastante no quesito qualidade.

VEREDITO

Infelizmente a Netflix trouxe mais do mesmo. Como fã da série na 1ª e 2ª temporada fiquei bem incomodada com as constantes mudanças de atrizes interpretando a mesma personagem, troca de dublador, personagens cansativos e um roteiro fraco. Entretanto, a excelente atuação de Elizabeth Gillies nos faz dar risada com seu sarcasmo, deboche e inteligência trazendo as melhores cenas da produção.

A quinta temporada está sendo filmada e tem estreia estimada para setembro/outubro de 2022.

Nossa nota

3,5 / 5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorSupergirl: Conheça Kara Zor-El, a prima do Superman
Próximo artigoCRÍTICA | Deadly Class – Vol. 3: Ninho de Cobras (2021, Devir)
Carioca, estudante de Design de Interiores, fã de séries, filmes e principalmente de Como Treinar o Seu Dragão <3