Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Harlem (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

CRÍTICA – Harlem (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

CRÍTICA | Harlem (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

Harlem é uma série da Amazon Prime Video em conjunto com a Universal Televison. Criada, escrita e produzida por Tracy Oliver (Girls Trip), a produção tem no elenco Meagan Good, Grace Byers, Jerrie Johnson e Shoniqua Shandai.

SINOPSE

Harlem é uma nova comédia que segue quatro melhores amigas ambiciosas e cheias de estilo no Harlem, na cidade de Nova York: Camille (Meagan Good) uma professora em ascensão lutando para abrir espaço em sua vida amorosa; Tye (Jerrie Johnson), uma empreendedora de tecnologia sempre namorando alguém novo; Angela (Shoniqua Shandai), uma cantora sem filtros e equalizações; e Quinn (Grace Byers), um estilista romântica e desesperada.

ANÁLISE

Comédia sobre amigos vivendo suas caóticas vidas em grandes metrópoles têm aos montes nas TVs e streaming. Mas, quando uma produção com uma premissa tão batida, consegue se destacar é surpreendente. Dito isso, Harlem tem o suficiente para ser clichê e ao mesmo tempo original. 

Isso porque, a produção aposta em temas que poucas séries de comédia tem interesse em falar: a vivência da mulher negra. Ao acompanhar as quatro amigas, Camille, Tye, Angela e Quinn em suas vida profissionais e confusões amorosas, Harlem não só se propõe a criar situações divertidas, como expõe discussões sobre o que é ser uma mulher negra em uma grande cidade.

Seja, na figura de Camille e seu empenho em alcançar uma boa posição como professora universitária; ou Tye, uma mulher negra lésbica e bem-sucedida, que precisa se esforçar ao máximo para se manter em posição de destaque; até mesmo Quinn, que tenta provar para os pais que consegue manter seu próprio negócio; e Angela, a mais “de boa com a vida”, mas que está atrás do seu sonho de ser cantora. 

Cada personagem enfrenta suas próprias adversidades e têm personalidades distintas bem demarcada pelo show. Mas, é quando esse quarteto está junto falando sobre percepções negras acerca da vida que o roteiro mostra o quanto séries como Harlem são necessárias para a comunidade negra. 

Não há dúvida que o público ama séries como Sex and the City (inclusive, saiu um spin-off), mas como é bom vermos e falarmos sobre experiências de pessoas negras. Sem apelar para um drama sobre sofrimento das pessoas negras, sendo somente divertido e leve, mas trazendo apontamos importante sobre feminismo e negritude. 

CRÍTICA | Harlem (1ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

Dessa forma, Harlem é ideal para quem curte séries como Ela Quer Tudo ou até mesmo Cara Gente Branca. Pois, tanto seu roteiro, como sua direção trazem um certo expositivo que tira sarro de situações – como fazer um musical sobre o filme Corra de Jordan Peele com uma mulher branca sendo protagonista – ao mesmo tempo que critica e reflete.

Logo, é uma produção muito segura e potente, a criadora Tracy Oliver já estava trabalhando há tempo na série e o resultado não poderia ser mais positivo. Em parte também pelo ótimo trabalho do quarteto que têm sintonia e carisma de sobra.  

VEREDITO

Ainda que alguns escorregões sejam perceptíveis, como um texto forçado para que certas situações aconteçam, nada tira a beleza de Harlem em falar sobre mulheres negras de forma tão simples e real. Certamente, um achado da Amazon Prime Vídeo que deve render mais temporadas.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorTBT #155 | Star Trek: Além da Escuridão (2013, J.J. Abrams)
Próximo artigoJornada Astral: Conheça o novo programa da HBO Max comandado por Angélica
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.