Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Hellbound: Profecia do Inferno (1ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – Hellbound: Profecia do Inferno (1ª temporada, 2021, Netflix)

Profecia do Inferno

As obras sul-coreanas têm tido um imenso êxito em refletir os aspectos mais adversos da sociedade moderna. Da mesma forma que Parasita e Round 6 exalta a diferença de classes em meio à sociedade sul-coreana, Profecia do Inferno exalta um aspecto não exclusivo da sociedade coreana, mas sim um movimento que vem sendo feito ao longo dos últimos anos em todo o mundo.

A dessensibilização e o espetáculo do sofrimento têm ganhado cada vez mais cartaz ao redor do mundo. Com o sofrimento de minorias, o espetáculo pelo sofrimento que têm tomado conta das redes sociais e dos noticiários.

SINOPSE

Quando criaturas sobrenaturais começam a mandar pessoas para o inferno após condenações brutais, surge uma seita religiosa que tem a justiça divina como maior preceito.

ANÁLISE

A mais nova série do aclamado diretor Yeon Sang-ho (Invasão Zumbi e Psychokinesis), nos joga em uma trama sobrenatural que desde seus primeiros minutos e não hesita ao nos chocar com violência e temor, nos causando um choque e um horror quase instantâneos.

Enquanto nos lança em uma aterrorizante narrativa, a série nos faz questionar até onde uma sociedade que busca no que acreditar pode ir a fim de garantir sua própria salvação – ou então talvez, apenas lançar na terra a mais profunda e primitiva violência.

Em meio ao levante, o crescimento das produções sul-coreanas e sua clara dianteira em relação às produções ocidentais, não apenas a qualidade de atuação dos atores, como também dos roteiros e da direção, têm rendido ao grande público obras marcantes. Servindo não apenas como dado comportamental para um algoritmo, mas servir como um retrato da atual sociedade em um futuro próximo, Profecia do Inferno conta com ótimas atuações não apenas de seu personagem central, mas garante aos espectadores uma ótima atuação de seu elenco de apoio.

Profecia do Inferno

Yoo Ah-In (Em Chamas, #Alive), Kim Hyun-joo, Jeong Min Park e Ik-joon Yang dão à trama e seus arcos sensações tão únicas e humanas quanto possível, nos transportando se qualquer chance de hesitar naquele mundo turbulento, em que o grande poder a ser vencido – além da violência física – parece ser tão abstrato quanto sobrenatural.

Enquanto realizamos um exercício de abstração ao assistir a série, é inevitável traçar diversos paralelos com a nossa sociedade e o mundo real. Indo desde fanáticos religiosos extremistas, até a mais profunda falta de empatia pelos mais cruéis atos de violência, a série aborda todo o espetáculo que é criado pelo sofrimento alheio a fim de servir como entretenimento à outros.

VEREDITO

Profecia do Inferno

A violência ao corpo alheio tem um importante aspecto na trama que serve como muito mais do que apenas um artifício de roteiro. Tal violência tem o intuito de chocar, e nos fazer pensar. O uso de efeitos especiais e práticos colocam a produção muito a frente de muitas produções americanas para a tv.

Enquanto atuam pelo que acreditam ser a igreja e uma vontade divina, os personagens da série agem sem qualquer tipo de escrúpulo, justificando em um dito conceito cristão qualquer atrocidade que venham a cometer.

Como é visto nos dias de hoje, e no passado, pessoas são mortas, civilizações são dizimadas em nome de um Deus, cuja única prerrogativa parece ser nada mais que o amor. Hellbound: Profecia do Inferno é tão brilhante ao ponto de nos fazer perceber elementos da psique humana em meio à um mundo fictício, nos fazendo ver em personagens da série certos indivíduos ou grupos do mundo real.

A violência e o terror do incompreensível e aterrador é o elemento mais absurdo e amedrontador da série. Sua força e potência vem de aspectos que para nós é simplesmente abstruso, ou desconhecido.

Enquanto a Netflix investe em produções sul-coreanas e suas tramas mirabolantes, assim como o grande sucesso que Round 6 foi, Hellbound: Profecia do Inferno tem a chance de ser mais um hit no mundo todo.

Profecia do Inferno é uma série original Netflix e seus 6 episódios já estão disponíveis.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Confira o trailer da série:

Inscreva-se no YouTube do Feededigno

Assista às nossas análises de filmes, séries, games e livros em nosso canal no YouTubeClique aqui e inscreva-se para acompanhar todas as semanas nossos conteúdos também por lá!

Artigo anteriorNoites Sombrias #40 | Audição (1999, Takashi Miike)
Próximo artigoCRÍTICA – Noite Passada em Soho (2021, Edgar Wright)
27 anos, apaixonado por cinema, quadrinhos e games!