Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – Modern Love (2ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

CRÍTICA – Modern Love (2ª temporada, 2021, Amazon Prime Video)

CRÍTICA - Modern Love (2ª Temporada, 2021, Amazon Prime Video)

A segunda temporada de Modern Love estreia na Amazon Prime Video no dia 13 de agosto. O diretor executivo John Carney, que praticamente atua como showrunner da série, também escreveu e dirigiu dois episódios. A primeira temporada estreou em 2019.

A série é inspirada em uma coluna homogênea publicada no New York Times aos finais de semana. Neste segundo ano estão no elenco, nomes como Kit Harington, Anna Paquin, Dominique Fishback e Tobias Menzies.

SINOPSE

Em Modern Love, acompanhamos um compilado de histórias reais que exploram não só o amor em suas múltiplas formas – romântica, sexual, familiar, platônica -, mas também outros sentimentos comuns à experiência humana, como perda e redenção.

ANÁLISE

Histórias de romances existem aos milhares, em cada esquina de cada cidade do mundo. Mas, existe algo mágico em Nova Iorque que torna as histórias mais cativantes e avassaladoras. A segunda temporada de Modern Love compreende o quanto sua cidade pode ser encantadora e utiliza suas características para criar ótimos momentos.

O burburinho da cidade à noite, a caminhada por uma rua movimentada, a festa do bairro de subúrbio ou até mesmo as quadras de basquete do Brooklyn constroem os melhores episódios da série por justamente viver o melhor de Nova Iorque. Nesse sentido também são histórias muito mais palpáveis que algumas da primeira temporada.

Ainda que o primeiro episódio, The Night Girl Finds a Day Boy, seja uma história impossível de acontecer é intrigante pensar o quanto podemos sair da zona de conforto quando gostamos de alguém. Ao mesmo tempo que o episódio traz os melhores momentos da cidade, tanto de noite, quanto de dia.

Em How Do You Remember Me? a montagem é o segredo. Um dos episódios mais inventivos de toda a série que consegue captar emoção em seu curto período sem deixar a desejar. Já em Am I Gay or Straight? Maybe This Fun Quiz Game Will Tell Me, a descoberta da sexualidade na adolescência junto às incertezas é um prato cheio para uma história leve.

CRÍTICA - Modern Love (2ª Temporada, 2021, Amazon Prime Video)

Ao contrário da primeira temporada, que utilizava contos mais específicos para gerar uma identificação com o público – Anne Hathaway sofrendo de bipolaridade e Tina Fey jogando tênis com John Slattery -, a segunda temporada foca em contos universais, histórias que poderiam acontecer a qualquer um.

Como é o tema do quarto episódio, A Life Plan for Two, Followed by One, Dominique Fishback se apaixona pelo melhor amigo e espera algum dia ser correspondida. Ao passo que em In the Waiting Room of Estranged Spouses, a descoberta de uma traição leva a um novo romance. Modern Love tem esse dom de fazer o espectador suspirar, não somente de amor, mas também de frustração quando as histórias não dão certo.

Nesse quesito a série cumpre muito bem o seu papel quando coloca Kit Harington e Lucy Boynton para viver uma história interrompida pela pandemia em Strangers on a Train. Do mesmo modo, Serpentine Road, With the Top Down sobre uma mulher superando a morte do marido em seu antigo carro têm capacidade, mas não chega lá de fato.

O mesmo acontece com Second Embrace, With Hearts and Eyes Open que ganha pela química de Tobias Menzies e Sophie Okonedo como um casal divorciado tentando novamente encontrar o amor, mas falha ao cair no melodramático.

Sendo assim, a segunda temporada de Modern Love apresenta seu potencial e por muitas vezes cria uma espécie de sinergia que perpetua pelos primeiros episódios, mas vai decaindo no médio para o fim. Ainda que o amor na forma mais brega possível seja merecedor, falta um pouco mais de coragem para Modern Love tornar-se de fato relevante em meio a tantas outras produções.

VEREDITO

A segunda temporada de Modern Love tem ótimas histórias e algumas direções inventivas em alguns episódios, mas por vezes cai no convencional e melodramático. Ainda assim, é uma boa continuação que reforça o espírito da série.

Nossa nota

3,5 / 5,0

Assista ao trailer:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorNosferatu: Conheça a origem do vampiro e suas principais adaptações
Próximo artigoCRÍTICA – O Cavalo dos Meus Sonhos (2021, Euros Lyn)
Jornalista em formação e apaixonada pela sétima arte. Representatividade e movimentos sociais através do cinema é fundamental. Apreciadora de livros, animes e joguinhos de ps4 nas horas vagas. The final girl.