Início SÉRIE Crítica CRÍTICA – O Diretor Nu (2ª temporada, 2021, Netflix)

CRÍTICA – O Diretor Nu (2ª temporada, 2021, Netflix)

A temporada final de O Diretor Nu chegou ao catálogo da Netflix na última quinta-feira (24). Baseada na história real de Toru Muranishi, um inovador e polêmico diretor japonês vídeos adultos que ficou conhecido no Japão como o “Imperador da Pornografia”.

O elenco conta com Takayuki Yamada, Shinnosuke Mitsushima, Tetsuji Tamayama, Sairi Ito, Tokio Emoto, Takenori Gotô e Misato Morita.

SINOPSE

O Diretor Nu conta a história de vida peculiar e dramática de Toru Muranishi (Takayuki Yamada), o ambicioso homem responsável por tentar sacudir a indústria pornográfica do Japão deixando-a de cabeça para baixo, causando grandes mudanças no segmento e gerando muitos problemas durante o processo ao ser consumido pela ambição desenfreada de fazer com que “caia pornô do céu”.

ANÁLISE

CRÍTICA - O Diretor Nu (2ª temporada, 2021, Netflix)Após sair da Crystal-Eizou (na série chama-se Sapphire Pictures) em setembro de 1988, Muranishi formou sua própria empresa, a Diamond Visual, que veio a se tornar uma gigante da indústria levando a pornografia a novos limites e muitas vezes além deles.

Kaoru Kuroki estrela da Crystal-Eizou também trabalhou na Diamond Visual e em 1989, uma nova estrela, Kimiko Matsuzaka (na série ela chama-se Mariko Nogi), estreou na empresa. Apesar de sua popularidade, Diamond Visual faliu em 1992 com dívidas de 5 bilhões de ienes.

VEREDITO

Diferente de Elite, temos aqui uma série baseada na indústria pornô japonesa, logo, cenas de nudez e sexo, mesmo que não seja explícito, está implícito.

Nesta segunda – e última – temporada de O Diretor Nu, temos mais uma vez uma montanha russa na vida do visionário diretor Toru Muranishi: Uma nova empresa, transmissão via satélite e claro problemas com a polícia e a Yakuza.

Os 8 episódios seguem um bom ritmo, que somado ao carisma do elenco e um roteiro objetivo, colaboram para uma boa experiência tanto para os que curtem assistir séries maratonando ou episodicamente.

Infelizmente o fechamento da série traz um final agridoce para alguns dos protagonistas e que por se tratar de uma obra semi-biográfica é difícil dizer quais personagens são baseados em pessoas reais e quais são fictícios.

Nossa nota

4,0 / 5,0

Assista ao trailer legendado da 2ª temporada de O Diretor Nu:

Curte nosso trabalho? Que tal nos ajudar a mantê-lo?

Ser um site independente no Brasil não é fácil. Nossa equipe que trabalha – de forma colaborativa e com muito amor – para trazer conteúdos para você todos os dias, será imensamente grata pela sua colaboração. Conheça mais da nossa campanha no Apoia.se e nos ajude com sua contribuição.

Artigo anteriorCRÍTICA – X-Ray (1ª temporada, 2021, Netflix)
Próximo artigoSéries e filmes para comemorar o Dia do Orgulho LGBTQIA+
Um carioca apaixonado por livros, cinema, games e que ama falar de nerdice.